Louisiana

Celebre a vida em New Orleans

Um dos maiores destinos turísticos do mundo, New Orleans, possui atrações singulares e diversificadas

O Mardi Gras, Carnaval de New Orleans, é uma das marcas mais fortes no calendário da cidade
00:00 · 28.12.2017 por Regina Carvalho* Editora da Àrea de Economia
O bistrô Muriel's Jackson Square é histórico com suas sacadas características da parte antiga da cidade. Tem como especialidade a cozinha Creole. Conta-se que no lugar ainda habita um fantasma ( Fotos: Regina Carvalho )

Uma cidade acolhedora, com astral elevado, que respira a história originada por um mix de influências (francesa, espanhola, africana e americana), dotada de força cultural singular. Essa é New Orleans, encravada no estado norte-americano de Louisiana, na parte Sul dos Estados Unidos, banhada pelo Rio Mississipi e o Lago Pontchartrain, referências definitivas do lugar, que completa 300 anos em maio de 2018. São tantas vertentes e perspectivas que a cidade oferece, que ao mergulhar no seu universo há sempre com o que ser surpreendido, mesmo em uma breve passagem pelo destino.

> Quando voar é uma experiência diferenciada 

Diante de uma atmosfera diferente da maioria das cidades norte-americanas, o visitante de NOLA, como é conhecida, tem a chance de desfrutar as delícias em um café histórico, onde cada assento é disputado em filas que se estendem ao longo do dia. Pode optar por uma caminhada nas ruas marcadas por construções que remontam o Século 18 ou se apanhar ouvindo histórias de fantasmas e espíritos que residiam em casarões cheios de misticismo.

Berço do jazz

As alternativas não param de surgir, com chances nada raras de ouvir música gratuitamente, sobretudo acordes de jazz, ali mesmo, nas ruas e praças. Afinal, NOLA é o berço do gênero musical consagrado que gera aficionados em todas as partes do mundo. Um acervo inestimável se encontra no The New Orleans Jazz Museum, que detém pérolas, a exemplo dos instrumentos de Louis Armstrong, a "personificação do estilo musical".

5
Vista interna da Basílica de Saint Louis, um dos principais marcos históricos do lugar. É a mais antiga catedral dos EUA 

Desfiles e paradas

Os festivais marcam um calendário intenso e, ao longo do ano todo, não deixam dúvida que agradam e geram interesse em uma variedade distinta de públicos, permitindo uma constante celebração da vida. Quem já não ouviu falar do "Mardi Gras", o Carnaval mundialmente famoso da cidade? (Em 2018, de 13 a 27 de fevereiro). Impossível não sentir um misto de curiosidade e excitação por fazer parte, nem que seja por 48 horas, da energia positiva que se encontra em New Orleans.

Na cena cultural há mais um leque de possibilidades. Pode-se, por exemplo, admirar a locação do intrigante filme "O Curioso caso de Benjamin Button" (2008), conhecer a casa do lendário escritor William Faulkner ou ouvir mais sobre uma das notórias moradoras da cidade, a também escritora Anne Rice, que possui entre suas obras "Entrevista com o Vampiro" (1994), igualmente rodado em New Orleans.

4
O Café Du Monde é visita obrigatória para quem vai a NOLA, servindo as famosas Beignets, espécie de donut 

Dá para admirar milionárias mansões de atores famosos, como Sandra Bullock e Nicholas Cage e entender a razão de Bob Dylan considerar aquele um dos melhores lugares do planeta. Museus e galerias de arte, localizadas no French Quarter (Quarteirão Francês), Arts District ou Garden District, obrigam o interessado a reservar mais tempo para explorar, de tanto que há para ver.

Religiosidade

Para os mais espiritualizados ou simplesmente pelo valor histórico, vale a visita à icônica Catedral-Basílica de Saint Louis. Também os cemitérios da cidade são encarados como verdadeiras atrações turísticas. O "Voodoo" é desmistificado e mostra-se uma forma de espiritualidade desenvolvida em New Orleans pela população afro-americana que falava o francês e o Creole.

As histórias sobre vampiros igualmente permeiam o lugar, tido para muitos como a cidade mais assombrada dos EUA. O Halloween, tradição americana, é levado muito a sério pelos moradores que enfeitam os ambientes com criatividade e riqueza de detalhes.

a
Nas 24 horas do dia, os visitantes e moradores de New Orleans são brindados com música nas ruas, preponderantemente o jazz, gênero musical que nasceu na cidade. Esse clima mantém a efervescência do destino turístico

Caminhadas

Andar pela cidade é indispensável. A melhor forma de desfrutar as peculiaridades das ruas, onde a música ecoa em todos os lugares durante o dia e, especialmente, à noite.

As sacadas são uma característica marcante da parte mais antiga. Parecem ter saído de uma pintura, compondo belas paisagens. Feitas com ferro, em desenhos diferenciados, dão um ar sofisticado a uma arquitetura ao mesmo tempo rústica e marcada pelo tempo.

Não é difícil ver em muitos pontos da cidade, mesmo quando não acontece um festival, os chamados "beads", colares de contas coloridas. Varandas, táxis, árvores, tudo pode ganhar cor e brilho com esses acessórios que já são uma marca da vida em New Orleans. O vai e vem de turistas é estimulado pelos festivais e "parades", uma 'indústria' poderosa forjada na efervescência natural do lugar.

Lauren Cason, diretora de Marketing e Comunicação do Convention & Visitors Bureau de New Orleans, confirma que a movimentação ocorre durante os 365 dias do ano.

Gastronomia

A comida servida em NOLA se nutre de tradição e, em especial, de frutos do mar locais. Chegar à cidade, ir direto até uma escola de gastronomia para cozinhar é um programa que vai te inserir no clima do lugar. Portanto, não hesite em testar. Além disso, os inúmeros restaurantes e pubs constituem oportunidades de vivenciar a cultura tão própria.

Não deixe de experimentar um "Po' Boy", sanduíche típico que além de muito sabor faz menção aos "poor boys" (jovens pobres), operadores de carros elétricos nos idos 1929, que durante uma greve, foram alimentados com o sanduíche à base do pão francês e variados recheios, principalmente peixes ou mariscos fritos.

No Café Du Monde, deguste as famosas "Beignets", uma espécie de donut sem recheio com muito açúcar polvilhado. Certamente, o visitante corre o risco de se sujar com o pó adocicado, mas faz parte do ritual ao provar a iguaria.

Flor de Lis

Não se pode esquecer de mencionar o símbolo de New Orleans, a Fleur de Lis, uma herança da época francesa, que enaltece a força dos nativos, que já passaram por vários furacões. O mais emblemático foi o Katrina que fez 1,8 mil vítimas fatais em 2005.

Saiba mais

Como chegar:

As parceiras Gol e Delta fazem o trajeto até New Orleans. O viajante precisa ter visto para entrar nos EUA

Onde ficar:

Experimente o The Whitney Hotel, onde, originalmente, as instalações eram de um banco. O local permite uma experiência autêntica e possui ótima localização (http://www.whitneyhotel.com)

Onde comer:

- Café Du Monde
-The New Orleans School of Cooking
- Ralph's on the Park
- Tableu
- Antoine's

Informações da cidade:

New Orleans Convention & Visitors Bureau (neworleanscvb.com)

*A jornalista viajou a convite do Convention Visitors & Bureau de New Orleans e Delta Air Lines

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.