Ecoturismo

Cânions e Mangue Seco são atrações em Sergipe

Fora dos roteiros tradicionais, cidades do interior sergipano exibem belezas naturais e ganham popularidade

Em Canindé de São Francisco, os cânions chamam atenção dos visitantes. O passeio é feito de barco ( Fotos: Cleverton Ribeiro/ MTur )
00:00 · 26.04.2018
Durante o passeio pelo Cânion do Xingó, em Sergipe, o barco faz paradas estratégicas para um banho refrescante. A estrutura permite que os turistas aproveitem o local com a máxima segurança
Mangue Seco é um dos trechos mais belos do litoral sergipano. O local ficou conhecido nacionalmente após a exibição da novela "Tieta"
Com águas cristalinas, a Praia do Saco, na cidade de Estância, fica pertinho da capital e oferece passeios de buggy por dunas, rios e lagoa

Mangue Seco. O nome não vai soar estanho a quem assistiu à novela "Tieta", baseada na obra de Jorge Amado e exibida pela TV Globo entre 1989 e 1990. O quem nem todos sabem é que o local onde se passa a história é real e tão belo quanto o que foi mostrado no folhetim. Com o tempo, a fama transformou essa parte do litoral em dos pontos turísticos mais populares de Sergipe.

Localizada a 120 km de Aracaju, a região se estende de Sergipe a um a parte da Bahia e tem dunas de areia que oferecem um visual completamente diferente do que se encontra nas grandes cidades nordestinas. Para explorar a área, a melhor forma é fazer um passeio de buggy com guias locais. Na praia, as águas são limpas e, em alguns trechos, não há ondas.

"É uma parte do litoral que lembra bastante uma cidade do interior. Visitei a região em um fim de semana fora de temporada e é um sossego ótimo", conta o administrador Vitor Barreira, 49 anos. Ele foi a Sergipe e se programou para ficar em Mangue Seco por apenas dois dias, mas gostou tanto que estendeu a visita por uma semana. "O lugar é bonito demais e não tem a confusão que é comum em outras cidades litorâneas. Além disso, os pratos feitos com frutos do mar pescados na região são maravilhosos", indica.

O visitante que for mais para o norte do Estado, na divisa com Alagoas, vai se deparar com paisagens de tirar o fôlego na cidade de Canindé de São Francisco, a 190 km da capital sergipana. É lá que fica o Cânion do Xingó, formação rochosa no meio do Rio São Francisco. Para facilitar a visitação das áreas mais acidentadas, um barco bem equipado faz o passeio por entre os paredões de rocha. Há paradas estratégicas em alguns pontos para quem quiser nadar em segurança.

"É um passeio cercado apenas por aquilo que Deus fez. O homem só aparece pelas esculturas de São Francisco que ficam expostas em altares pelo caminho", relata a auxiliar administrativa Cristina Vieira, de 38 anos.

A 76 km de Aracaju, na cidade de Estância, fica a Praia do Saco. Ali, a pedida também é fazer passeios de buggy nas dunas. Na volta, águas com temperatura amena o ano todo, tanto na praia quanto em seus seis rios, aguardam os turistas. Há ainda uma lagoa artificial cercado por infraestrutura de barracas que vendem comidas e bebidas típicas a preços muito convidativos.

Para quem está visitando Aracaju e deseja conhecer essas atrações, há agências de turismo que fazem o trajeto de ida e volta com custo médio de R$ 100. Nesse caso, os guias buscam o turista no hotel por volta das 7h40 e retornam por volta das 15h. Os passeios tanto nos cânions quanto nas praias mais afastadas são pagos à parte.

Para quem não conhece o local, uma boa dica é contratar o serviço de bugueiros credenciados que também servem como guias. O preço médio é de R$ 160 e o valor pode ser dividido por até 4 pessoas. Não é preciso fazer a reserva antes, os carros ficam lá durante todo o dia.

Araju é parada obrigatória

a
Área do Museu da Gente Sergipana. O equipamento mostra as origens, cultura, culinária, hábitos, natureza e folclore do Estado

Com uma orla bem cuidada e excelentes opções de praias urbanas, a capital de Sergipe ganhou, nos últimos anos, vários equipamentos que merecem ser conferidos. Entre eles está o Museu da Gente Sergipana e o Oceanário de Aracaju mantido pelo Projeto Tamar.

Concebida pelo curador Marcello Dantas, a exposição permanente do Museu da Gente Sergipana mescla instalações multimídia com o mobiliário e estilo arquitetônico que remetem ao início do século XX.

No prédio tombado, erguido em 1926 para abrigar o Colégio Atheneu Dom Pedro II, atualmente os visitantes podem conferir um rico acervo interativo que mostra as origens, cultura, culinária, hábitos, natureza e folclore de Sergipe. É o tipo de equipamento cultural onde o tempo parece passar sem pressa. Há muitos detalhes a se apreciar.

Considerado um marco histórico para o Estado de Sergipe, o museu conta com diversos espaços expográficos, além de exposições temporárias, a exemplo de "Mamulengo de Cheiroso: A Magia no Teatro de Bonecos", atualmente em cartaz. O espaço também dá lugar a eventos culturais que já fazem parte do calendário turístico da cidade.

Oceanário

Mantido pela Fundação Pró-Tamar, o Oceanário de Aracaju recebe em torno de 160 mil visitantes por ano e faz sucesso entre adultos e crianças interessados na vida marinha da região. É o primeiro do Nordeste e o quinto do Brasil.

Ocupando uma área de 141 mil m², reúne cerca de 70 espécies diferentes, todas nativas de Sergipe expostas em 18 aquários (cinco de água doce e 13 de água salgada). Logo na entrada, fica o grande aquário oceânico, com 150 mil litros, abrigando cerca de 30 espécies, incluindo arraias, tubarões, moréias, xaréus, caranhas e meros.

Saiba mais

Museu da Gente Sergipana

Localizado na Avenida Ivo do Prado, 398, no Centro de Aracaju, o local funciona de terça a sexta-feira, das 10h às 16h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 15h. A entrada é gratuita.

Mais informações: museudagentesergipana.com.br

Oceanário de Aracaju

Fica localizado na Avenida Santos Dumont, 1010, na orla de Atalaia, em frente aos Lagos e funciona diariamente de 9h às 21h.

Ingressos: R$ 10,00 (meia) e R$ 20,00 (inteira). Portadores de necessidades especiais e crianças até 1 metro não pagam.

Mais informações: (79) 3243-3214

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.