Google for education

Tecnologia a favor de educadores e alunos

Plataforma gratuita do Google foi pensada para ser móvel e proporcionar interface amigável aos usuários

Alunos da Escola de Educação Básica e Educação Profissional, em Fortaleza, usam o Google For Education
00:00 · 13.11.2017

A tecnologia está cada vez mais presente na vida do ser humano. O uso intrínseco dos smartphones, relógios inteligentes e tablets no dia a dia das pessoas tornou muito mais fácil utilização dessas ferramentas para os mais diversos fins. Uma das áreas mais beneficiadas por essas novas tecnologias é a Educação, que precisa se reinventar constantemente para acompanhar a maneira como os alunos aprendem nesta nova era.

Criado por demanda de professores, o Google for Education surgiu quando os educadores perceberam que os alunos já chegavam com as respostas em seus celulares e as soluções disponíveis não condiziam com as demandas do mundo digital. Foi com isso em mente que um time de funcionários do Google criou a plataforma, com o objetivo de mudar a forma como as escolas trabalham seu material didático. A proposta da empresa é que as instituições implementem a ferramenta sem abrirem mão de seus valores educacionais.

Benefícios extras

Usado por mais de 70 milhões de professores e estudantes ao redor do mundo, a ferramenta do Google oferece gratuitamente os mesmos aplicativos já disponíveis nas contas pessoais do Gmail, mas com alguns benefícios extras. Em comparação a outros serviços similares, como o Office 365 educacional, por exemplo, a vantagem da plataforma está nos aplicativos adicionais, como o "Sala de Aula" (usado por 20 milhões de professores e estudantes) e o "Vault". Criado especialmente para a solução educacional, o aplicativo "Sala de Aula" tem como objetivo facilitar a comunicação entre alunos e professores. Em seu painel, o educador detém controle de todas as suas turmas, consegue distribuir tarefas, enviar feedback e acompanhar o progresso dos alunos, tudo na mesma interface. É possível ver ainda quem está fazendo o exercício em tempo real. A empresa quer que professores e alunos atinjam resultados melhores com a tecnologia do Google.

Nas tarefas, tanto os professores quanto os alunos podem anexar qualquer coisa, como um documento para referência, arquivos do Drive ou links externos. É possível incluir até mesmo uma fotografia tirada na hora, tudo atualizado em tempo real. Caso tenha dúvidas, o aluno pode iniciar uma conversa particular com o professor ou fazer perguntas para toda a turma, como se estivesse na sala de aula, para que a resposta do educador seja visualizada por todos.

Desenvolvido inicialmente para as versões empresariais e corporativas, o "Vault" também está disponível no Google for Education. Com ele, o administrador da conta educacional pode gerenciar, pesquisar, guardar e exportar e-mails e bate-papos gravados nas contas dos usuários da organização. A versão para educação ainda conta com um criador de sites para web.

Adaptação

Rodrigo Pimentel, diretor de Google for Education para a América Latina, acredita que o serviço é extremamente importante para a sociedade, já que a educação precisa passar por mudanças e se adaptar às demandas atuais. "As tecnologias do passado, em sua maioria caras e muito complexas para grande parte da população, não conseguem atender aos objetivos que a educação precisa para se atualizar". Ainda segundo ele, muitos estudantes se sentiam desmotivados, principalmente pelo fato de a Educação não acompanhar o ritmo das mudanças tecnológicas.

O gestor explica que a plataforma é gratuita e que o Google pretende continuar dessa forma. "Essa é nossa maneira de devolver e agradecer à comunidade educacional, uma vez que o Google foi fundado baseado em um projeto de pesquisa da Universidade de Stanford". Qualquer instituição de ensino pode ter acesso ao Google for Education. Basta conectar-se ao site da plataforma e seguir o passo a passo.

Enquanto os estudantes anseiam pelo uso da tecnologia, outros podem não se sentir tão confortáveis longe do papel e da caneta. Rodrigo enfatiza que a empresa disponibiliza treinamentos para as escolas e universidades que aderem à plataforma. "Essas organizações escolhem como querem passar o treinamento para seus educadores e como será a maneira que vão utilizar a plataforma". Ele pondera que a empresa preza pela educação em todas as idades e cita o caso da professora Dilce Eclai, membro do Grupo de Educadores Google (GEG). Um dos projetos dela é o "Google para Todos", no qual trabalha com pessoas com mais de 60 anos de idade. "Hoje, 115 idosos participam do projeto e todos possuem acesso às ferramentas do Google".

Inovação

Diversas instituições de ensino do Brasil já migraram para o Google for Education como o Maple Bear Canadian School, em Brasília e o Colégio Província de São Pedro, em Porto Alegre. Em Fortaleza, a Escola de Educação Básica e Educação Profissional (Ebep), do Sesi, foi a primeira a usar a plataforma.

Wladiane Medeiros, coordenadora do Programa Ebep, lembra que quando foi criada, a instituição foi pensada para usar a tecnologia como aliada no processo de ensino e aprendizagem. "Em fevereiro de 2016 foi realizado um evento na Federação das Indústrias do Estado do Ceará para apresentar o Google for Education ao presidente (Beto Studart) e demais gestores da Federação". Ao perceberem que era importante oferecer novos estímulos e possibilidades aos alunos, as negociações para a implantação começaram logo depois do evento.

Segundo a coordenadora, a introdução do sistema não foi difícil, pois os professores já usavam algumas ferramentas do Google. "Foi necessária a formação com os educadores apenas para que eles desenvolvessem habilidades", pontua.

O uso dos aplicativos pelos professores e estudantes começou em outubro de 2016, junto da inauguração da Sala Google, mas foi em 2017 que a utilização se intensificou. Wladiane explica que a criação das contas e o uso dos aplicativos são gratuitos, mas que a escola pagou por outros produtos. "A capacitação da equipe e gerenciamento pedagógico e administrativo dos apps são extremamente necessários para o desenvolvimento do programa e não tem custo elevado".

Uso

O Google for Education representa um diferencial da instituição, segundo a coordenadora. "O investimento valeu a pena porque nos traz retorno positivo, já que ele permite ao professor continuar o que é discutido em sala de aula através da utilização dos aplicativos, complementando o conhecimento e gerando novos debates". Já os alunos podem rever conteúdos, participar de trabalhos construídos colaborativamente e serem avaliados de uma forma diferenciada. 'Eles também conseguem interagir com os demais estudantes da turma de qualquer lugar". A coordenadora pontua ainda que a economia com impressões após a implantação do conjunto de ferramentas foi considerável.

Atualmente, o sistema é usado tanto no administrativo quanto no pedagógico. "Para o administrativo utilizamos os formulários para registro de ocorrência com os nossos estudantes. Já o Drive serve para guardar documentos". Aplicativos como Documentos e Planilhas, segundo ela, são usados para construção colaborativa dos documentos da instituição. "A agenda serve para registro e controle de utilização dos espaços e hangouts para reuniões".

Wladiane garante que a coordenação não faz nenhum tipo de exigência quanto ao uso das ferramentas. "Nossos professores têm liberdade para escolher qual aplicativo utilizar, pois depende da atividade que ele fará". A coordenadora ainda esclarece que o uso dos aplicativos tem vários objetivos, como complementação de conteúdos, realização de atividades e avaliações, além de auxiliar na recuperação paralela. "Nossos estudantes demonstram maior agilidade com a utilização dos aplicativos, principalmente na elaboração e devolução dos trabalhos aos professores, pois podem realizar a atividade individualmente ou em grupo simultaneamente, mesmo estando em locais diferentes", acrescenta. (Colaborou Allan de França)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.