Alerta

Vídeos 'infantis' no YouTube trazem conteúdo violento ou erótico

O site do Google está apagando os filmes que burlam o controle de imagens e diálogos impróprios

Num dos desenhos, Peppa Pig é torturada por um dentista ( Foto: Reprodução )
10:36 · 30.11.2017 / atualizado às 11:55
A personagem do desenho britânico também aparece bebendo água sanitária

Os pais mais atentos já devem ter percebido que as crianças hoje preferem os conteúdos publicados no YouTube aos desenhos dos canais infantis ou do Netflix. Entretanto, a liberdade de publicação no site de vídeos do Google esconde um perigo: filmes com 'cara' de infantis, mas que escondem conteúdos impróprios seja pela violência em excesso ou pelo erotismo.

A Peppa Pig, por exemplo, personagem da série animada britânica que é a preferida de muitas crianças em idade pré-escolar é vista sendo torturada por um dentista ou mesmo bebendo água sanitária. Já os personagens da Patrulha Canina se suicidam, jogando-se de um telhado após uma boneca possuída por um demônio hipnotizar os cachorrinhos.

Patrulha Canina

Estes conteúdos já foram removidos da plataforma e o YouTube está atento. Mas, como estes, há muito, muito outros e um controle eficiente é praticamente impossível, já que lá são publicadas 400 horas de vídeos por minuto. Sim, por minuto. 

Isso exige total atenção dos pais. Ou seja, usar o site como “babá” para que as crianças se distraiam por alguns minutos (ou horas) não deve ser uma conduta dos responsáveis. Apesar do problema não ser novo, o assunto ganhou relevância com recentes publicações do site Mashable e do jornal New York Times.

pj masks

Dinheiro

O truque de usar os personagens infantis em situações violentas ou sensuais tem uma razão: dinheiro. Os vídeos registram milhões de visualizações, o que, em outras palavras, significa dinheiro no bolso de quem publica tais conteúdos.

O site proíbe expressamente o “conteúdo com menores de idade que possam prejudicar uma criança” e que “descrevam personagens de entretenimento familiar envolvidos em comportamento violento, ofensivo ou de outra forma inadequado”. Mas quem tem más intenções não se importa com isso. 

Por isso o YouTube intensificou a busca pelos vídeos que desrespeitam as regras e, em apenas uma semana, foram removidos cerca de 50 canais e milhares de vídeos.

mickey

YouTube Kids

Há alguns anos, já preocupado com a proliferação desses conteúdos impróprios, o Google lançou o aplicativo YouTube Kids, que promete um filtro melhor para que apenas os vídeos verdadeiramente infantis sejam encontrados. Mas lá também eles não garantem um controle plenamente eficiente. 

Lá, citando mais exemplos, havia um vídeo com uma salada de personagens, onde Elsa (de Frozen), Homem-Aranha, Hulk e Batman matam os inimigos com metralhadoras ao som de uma cantiga conhecida. Noutro, Mickey Mouse é atropelado e fica deitado sobre seu próprio sangue para desespero de Minnie. Há ainda a insinuação de sexo em grupo dos PJ Masks. A lista é virtualmente infinita.

Ou seja, a criança não deve acessar o YouTube (na verdade, qualquer conteúdo na internet) sem o acompanhamento de um responsável. Não é de hoje que especialistas em desenvolvimento infantil alertam para os riscos da TV e de outros conteúdos audiovisuais para os pequenos. Mas isso é exponencialmente na “terra sem lei” que é a web. 

Estar atento é preciso. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.