Segurança e economia são os temas mais debatidos por brasileiros no Facebook

Os dois temas são seguidos por educação, tecnologia, saúde e habitação

08:41 · 21.07.2018 por Agência Brasil
Facebook
O quadro montado pelo Facebook toma como referência a sua base de usuários ( Foto: Arquivo )
Assuntos relacionados a segurança e economia são os mais debatidos pelos brasileiros no Facebook. No total, 64 milhões de pessoas geraram quase 1 bilhão de interações no mês de abril. Este tipo de mapeamento nunca foi disponibilizado publicamente pela companhia.
 
Os dados foram apresentados pela empresa em um evento sobre internet e eleições realizado na sexta-feira (20), em Brasília. A plataforma mapeia os assuntos discutidos e organiza estes em grandes temas. No monitoramento compartilhado no evento, foram identificados os números de pessoas abordando as questões, o número de interações (curtidas, comentários, compartilhamentos) e o percentual por gênero. Os dados são relativos ao mês de abril.
 
Diferentemente de pesquisas de opinião, que baseiam suas análises em uma amostra de alguns milhares de entrevistados, o quadro montado pelo Facebook toma como referência a sua base de usuários, que chegou a 127 milhões de pessoas, mais da metade da população brasileira
 
De acordo com o levantamento, segurança e economia foram os temas mais populares. O primeiro teve 262,2 milhões de interações promovidas por 32,3 milhões de pessoas. Já questões vinculadas ao universo econômico geraram 165,8 milhões de interações envolvendo 30,4 milhões de pessoas.
 
No ranking de áreas objeto de maior preocupação, os dois temas são seguidos por educação (119,9 milhões de usuários e 26,7 milhões de pessoas), tecnologia (102 milhões e 19,4 milhões), saúde (96 milhões e 25,9 milhões) e habitação (81,3 milhões e 19,7 mihões).
 
Na divisão por gênero, o tema de maior preocupação das mulheres foi saúde (65% to total de pessoas interagindo), seguido de educação (64%) e habitação, economia, meio ambiente e gênero (62%). Já a participação de homens foi maior nas conversas virtuais sobre indústria (47%), segurança (43%), agricultura (41%) e turismo e transporte (40%).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.