Balanço

Pesquisa revela que apenas 13,3% dos internautas brasileiros já pagaram por aplicativos

Estudo também descobriu que 46,2% dos internautas brasileiros com smartphone já fizeram compras dentro dos aplicativos

13:05 · 05.07.2017

A pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box – Uso de apps no Brasil revelou alguns dados bem interessantes sobre o comportamento dos usuários nacionais de smartphones. Os principais números da pesquisa foram que apenas 13,3% dos internautas brasileiros com smartphone já pagaram pelo download de um aplicativo móvel. Porém, quando questionados se fazem compras dentro de aplicativos, 46,2% dos brasileiros disseram que sim.

Ainda com relação a compra de aplicativos no smartphone, a pesquisa perguntou por que o usuário não os adquire. Dos entrevistados, 56,2% respondeu que não o faz por não ver necessidade. Já 15,3% por não ter um cartão de crédito, 12,4% não compra sem poder testar antes, 12,2% acha os apps pagos caros, 1,2% não sabia que podia comprar e 2,7% não soube responder.

Um dado surpreendente é que o WhatsApp perdeu um pouco do destaque na tela principal dos pesquisados para outros apps como Facebook, Facebook Messenger, Instagram e Uber. Segundo a pesquisa, o WhatsApp, embora continue sendo o app mais presente na homescreen do brasileiro, vem gradativamente deixando esse espaço nobre. 

Em abril de 2016, segundo a pesquisa, o WhatsApp estava presente na primeira tela de 78,3% dos smartphones de internautas do País. Em novembro de 2016, caiu para 72,9% e agora está em 66%. Foi a maior queda registrada na pesquisa. Ao mesmo tempo, outros apps da empresa de Mark Zuckerberg cresceram.

De acordo com a pesquisa, merece especial atenção o Facebook, que subiu de 49% para 57,4% em seis meses. Os seus irmãos Instagram e Facebook Messenger, por sua vez, ganharam 2.7 e 2.8 pontos percentuais também em seis meses, respectivamente. A explicação para a queda do WhatsApp talvez esteja em uma certa fadiga do usuário com o excesso de mensagens recebidas diariamente, sejam privadas ou em grupos. Enquanto isso, Facebook, Facebook Messenger e Instagram adicionaram uma série de ferramentas nos últimos meses, como publicações histórias e jogos instantâneos, dentre outras, o que deve ter contribuído para o ganho de popularidade.

Paralelamente, outro aplicativo que vem continuamente subindo no ranking é o Uber. Um ano atrás ele sequer constava na lista do 20 mais populares. Em novembro de 2016 apareceu na sétima posição, presente na tela principal de 9,3% dos smartphones. E agora conquistou o quinto lugar, com 12,3%. Se excluídos os aplicativos de mensagens e de redes sociais, ele teria a liderança. Com o sucesso das suas modalidades mais baratas (UberX e Uber Pool), o app de corridas em carros particulares está democraticamente espalhado por todas as classes sociais e faixas etárias do País. A única região com baixa penetração do Uber na homescreen é a Norte.

Na análise por gênero, a pesquisa notou que é mais comum encontrar apps de redes sociais e mensagens na tela principal de smartphones de mulheres do que de homens. Isso vale para WhatsApp, Facebook, Instagram, Facebook Messenger e Snapchat. Em todos eles a diferença em favor das mulheres é maior que a margem de erro da pesquisa. Em alguns casos gira em torno de 10 pontos percentuais, como acontece com o Facebook, presente na primeira tela de 61,4% dos smartphones de mulheres e em 50,8% daqueles de homens. O Instagram também tem uma diferença significativa por gênero: 35,9% em smartphones de mulheres contra 26,7% naqueles de homens. Entre os apps do ranking, os únicos com predominância masculina são Banco do Brasil, Twitter, Google Maps e Spotify.

O WhatsApp segue sendo o aplicativo favorito dos brasileiros. Perguntados qual app escolheriam se pudessem ter apenas um instalado em seus smartphones, metade dos entrevistados (51,9%, para ser exato) apontaram o app de mensagens. Os cinco títulos mais citados continuam os mesmos: WhatsApp, Facebook, Instagram, Google e Banco do Brasil. A única mudança é que o Instagram saltou da quinta para a terceira posição, confirmando seu ganho de popularidade no Brasil, verificado também na o aumento da sua presença na homescreen.

Não é de se estranhar a liderança do WhatsApp. Ele é provavelmente o aplicativo que os brasileiros abrem mais vezes ao longo do dia e aquele no qual passam mais tempo ao todo. De acordo com outra pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion, esta sobre mensageria, o WhatsApp está instalado em 98,1% dos smartphones dos internautas brasileiros e 97,5% dos seus usuários o utilizam todo dia ou quase todo dia. Ao pequeno grupo de 13,3% dos entrevistados que declararam já ter pago pelo download de um app, pedimos que nomeassem qual foi o último título comprado. Apenas três registraram mais de 2% de citações: Facetune (2,5%), Minecraft (2,5%) e Runstatic (2,1%). Houve ainda 2,5% de menções ao Spotify, embora na verdade seu download não seja cobrado, mas sim o acesso à sua versão premium. 5% responderam de forma genérica “jogos” e 3,3% não lembraram o nome do app, o que indica que faz muito tempo que compraram um aplicativo pela última vez. Como a amostra é pequena e os percentuais, baixos, optou-se por não publicar um ranking.

A pesquisa

Realizada em uma parceria entre o site de notícias Mobile Time e a empresa de soluções em pesquisas Opinion Box, o questionário foi elaborado por Mobile Time e aplicado on-line por Opinion Box junto a 1.904 brasileiros que acessam a Internet e possuem smartphone, respeitando as proporções de gênero, idade, faixa de renda e distribuição geográfica desse grupo. As entrevistas foram feitas ao longo de abril de 2017. A margem de erro é de 2.2 pontos percentuais. O grau de confiança é de 95%. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.