segurança online

Pesquisa revela conteúdos mais acessados pelas crianças na internet

O relatório desenvolvido pela Kaspersky Lab mostra que o maior percentual das pesquisas realizadas por esses usuários nos últimos meses incluíam conteúdo de vídeo

14:18 · 07.07.2018 / atualizado às 14:48
Pesquisa revela conteúdos mais acessados pelas crianças na internet
Mídias sociais, programas de mensagens instantâneas ou e-mail foram os mais sites visitados por computadores com controles para pais ativados ( Foto: Arquivo )

O levantamento sobre a atividade das crianças na internet realizado pela Kaspersky Lab revelou os tipos de conteúdos mais acessados pelos pequenos quando estão online. O relatório mostra que o maior percentual das pesquisas realizadas por esses usuários nos últimos meses incluíam conteúdo de vídeo.

Os dados mostram que a categoria de áudio e vídeo, que incluem solicitações relacionadas a qualquer conteúdo de vídeo, serviços de streaming, videoblogs, séries e filmes, é a mais pesquisada por crianças no Google, com 17% do total de solicitações. O segundo e o terceiro lugares ficaram, respectivamente, com sites de tradução (14%) e comunicação (10%). É interessante notar que os sites de jogos ocuparam a quarta posição, com apenas 9% do total de solicitações de pesquisa.

Outro ponto importante a ser destacado é a diferença clara nos idiomas das solicitações de pesquisa. Por exemplo, as pesquisas relacionadas a sites de vídeo e música normalmente são feitas em inglês, o que pode ser explicado pelo fato da maioria dos filmes, séries de TV e grupos musicais terem nomes nesse idioma. As crianças que falam espanhol realizam mais solicitações de sites de tradução, enquanto os serviços de comunicação são mais pesquisados em russo. Mais do que qualquer outra nacionalidade, as crianças que falam chinês procuram serviços de educação, enquanto as que falam francês estão mais interessadas em sites de esportes e jogos. Por sua vez, as solicitações em alemão dominam a categoria de compras. O maior número de solicitações de pesquisa de pornografia é feito em árabe, e as de animes em japonês.

“Crianças de diversos países têm interesses e comportamentos online diferentes, mas o que têm em comum é a necessidade de serem protegidas do conteúdo possivelmente prejudicial. As que buscam conteúdo animado podem, sem querer, abrir um vídeo de pornografia. Ou podem começar pesquisando vídeos inocentes e involuntariamente acabar em sites que incluem conteúdo violento. Tudo isso pode ter um forte impacto de longo prazo sobre suas mentes vulneráveis e fáceis de impressionar”, diz Anna Larkina, especialista em análise de conteúdo da Web da Kaspersky Lab.

Os dados mostram ainda que os sites de comunicação (como mídias sociais, programas de mensagens instantâneas ou e-mail) foram os mais visitados por computadores com controles para pais ativados. Os usuários acessaram esses sites em 60% das ocorrências nos 12 meses anteriores. No entanto, a porcentagem dessa categoria está caindo a cada ano, conforme os dispositivos móveis continuam ganhando um papel mais importante nas atividades online das crianças.

A segunda categoria mais popular de sites visitados por esses usuários é “software, áudio e vídeo” (22%). Os sites com esse conteúdo se tornaram significativamente mais populares desde o ano passado, quando representavam 6% das pesquisas e eram a quinta categoria mais popular. As três mais importantes são completadas com a categoria de álcool, fumo e narcóticos (6%), uma nova inclusão em relação a essa época do ano anterior.

Mais uma vez, a tendência dos dispositivos móveis ganha destaque nos números de sites de jogos, que agora ocupam o quarto lugar da lista, com 5%. Conforme as crianças continuam mostrando uma preferência por jogos em dispositivos móveis em relação aos computadores, essa categoria deverá continuar perdendo popularidade nos computadores nos próximos meses e anos.

“Não importa o que elas fazem na Internet, é importante que os pais não deixem as crianças desacompanhadas em suas atividades digitais, pois há uma grande diferença entre cuidado e intromissão. Embora seja importante confiar nas crianças e ensiná-las como se comportar online com segurança, suas recomendações não são capazes de evitar que algo apareça inesperadamente na tela. Por isso, as soluções de segurança avançada são essenciais para garantir que as crianças tenham experiências online positivas e não prejudiciais”, acrescenta Anna Larkina.

O relatório traz estatísticas anônimas das principais soluções da Kaspersky Lab para consumidores que utilizam computadores Windows e Mac com o módulo de Controle para Pais ativado e do Kaspersky Safe Kids, um serviço autônomo para dispositivos Windows, Mac, iOS e Android.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.