TECNOLOGIA

Pela liberdade na internet, Mozilla defende neutralidade da rede

Empresa listou benefícios do fator em meio a noticias de enfraquecimento dele; uma carta também foi enviada à FCC

14:30 · 13.07.2017 / atualizado às 14:43
neutralidade da rede
Princípio proíbe provedores de banda larga de oferecer acesso à internet rápida de forma diferenciada. ( FOTO: Reprodução )

Com as recentes notícias envolvendo a neutralidade da rede, a Mozilla, desenvolvedora do Firefox, segue na luta para defendê-la. A neutralidade significa que todas as informações que trafegam na rede devem ser tratadas da mesma forma, navegando à mesma velocidade. A empresa listou pontos pra se juntar à causa.

Para reforçar a defesa, a Mozilla criou uma carta à Comissão Federal de Comunicações (FCC), direcionada ao novo presidente, Ajit Pai, que pode ser assinada por qualquer usuário, a fim de mostrar que sua proposta de enfraquecer as regras existentes de neutralidade da rede é ''inaceitável''.

Segundo a empresa, o enfraquecimento ''prejudicaria a concorrência, sufocaria a inovação, prejudicaria a escolha do usuário e ameaçaria a liberdade de expressão on-line''. Para a Mozilla, a neutralidade é fundamental para a liberdade de expressão. Sem ela, as grandes empresas poderiam censurar a sua voz e dificultar falar em linha. A neutralidade tem sido chamada de "Primeira Emenda da Internet".

A Mozilla afirma ainda que é fundamental para a concorrência. ''Sem a neutralidade da rede, os grandes provedores de serviços de internet podem escolher quais serviços e conteúdo carregam rapidamente, e que se movem em um ritmo glacial. Isso significa que os grandes podem se dar ao luxo de comprar seu caminho, enquanto os pequenos não têm chance'', pontuou em nota.

A neutralidade da rede é fundamental para a inovação, defende o gupo. ''Sem a neutralidade da rede, os criadores e os empreendedores poderiam lutar para alcançar novos usuários. O investimento em novas ideias secaria e a internet começaria a parecer cada vez mais como TV a cabo: um zilhão de canais e nada'', aponta.

Por fim, o grupo empresarial diz que o fator é fundamental para a escolha do usuário. ''Sem a neutralidade da rede, os ISPs podem decidir que você assistiu muitos vídeos de gatos em um dia e acelerar suas velocidades da Internet deixando você para trás nos últimos memes de Maru''.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.