Mais um

Outras empresas leem mensagens de usuários do Gmail, de acordo com Wall Street Journal

A empresa não quis se manifestar sobre o caso

07:58 · 03.07.2018 / atualizado às 08:00
Gmail
( Foto: Divulgação )

Em matéria publicada segunda-feira (2), o Wall Street Journal apontou que outras empresas leem o conteúdo de mensagens dos usuários do Gmail no mundo inteiro.

Isso acontece a partir do uso de aplicativos de terceiros que se conectam ao Gmail, da mesma forma como aconteceu com os testes do Facebook que foram explorados pela Cambridge Analytica.

A matéria do jornal mostra como as informações são coletadas:

1) Informações do destinatário: nomes e endereços de email são trocados por códigos numéricos e são ligados a informações demográficas como idade e localização;

2) Informações do remetente: os remetentes recebem pontuações de reputação com base na probabilidade de que seus e-mails sejam abertos;

3) Assunto: Vários assuntos de email são testados para analisar quais recebem mais cliques;

4) Tempo: Analisar quando os e-mails são abertos ajudam a descobrir qual é a melhor hora de disparar um email;

5) Texto: As sentenças do email são analisadas por software (normalmente) para compreensão de conteúdo ;

6) Assinaturas: Informações de contato como número telefônico e endereço podem ser usados 7) para criar um banco de dados;

7) Recibos: Se um recibo for enviado para seu email, a informação pode ser usada para descobrir tendências de preços para um determinado produto e o que está vendendo mais.

Ainda de acordo com a matéria, o Google não se pronunciou sobre o caso. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.