até o final do ano

Microsoft estaria planejando lançar o Edge para Android e iOS

A ideia da empresa de Bill Gates seria oferecer aos usuários do sistema a mesma continuidade que os usuários do Chrome, Firefox, Opera e Safari têm ao saírem dos navegadores dos computadores e usarem os browsers em seus celulares

11:46 · 04.10.2017
Microsoft Edge
Os usuários do navegador poderão sincronizar abas, histórico, favoritos e senhas entre o Windows 10 e suas versões para iOS e Android ( Imagem: divulgação )

Apesar de a Microsoft ter afirmado, na época em que lançou o Windows 10, que o Edge não teria versões para celular, boatos indicam o contrário. Segundo uma publicação do site francês FrAndroid, a Microsoft está com planos de lançar versões móveis do navegador Edge para iOS e Android.  

A ideia da empresa de Bill Gates seria oferecer, aos usuários do navegador, a mesma continuidade que os usuários do Chrome, Firefox, Opera e Safari têm ao saírem dos navegadores dos computadores e usarem os browsers em seus celulares. Se a Microsoft de fato levar o Egde para os smartphones, quem for usuário do navegador poderá sincronizar abas, histórico, favoritos e senhas entre o browser e suas versões móveis em celulares do Google e da Apple. Obviamente, o Edge vem com integração com o Bing, serviço de buscas da empresa.  

Não existe pronunciamento oficial da Microsoft, mas as fontes do FrAndroid afirmam que as versões móveis do navegador chegam até o final deste ano na App Store e Google Play.

Luta diária

O Edge veio com um objetivo difícil: reconquistar o público que abandono o lendário Internet Explorer, navegador da empresa lançado em agosto de 1995 no pacote Plus! para Windows 95. A empresa parece que acertou em partes, já que o Edge parece reduzir o consumo de bateria em notebooks com Windows 10, mas essa função pode não chegar à todos os smartphones. No iOS por exemplo, todos os navegadores são "obrigados" a usar o mecanismo de renderização WebKit do Safari, logo a empresa não pode prometer a mesma economia de bateria que o navegador proporciona em notebooks. 

Apesar de consumir pouco CPU e memória RAM, o substituto do Internet Explorer ainda tem muito o que melhorar. Em março deste ano, o Edge foi o navegador com mais brechas no concurso de hacking Pwn20wn, e ficou "em primeiro lugar" após ser invadido 5 vezes. Em uma delas o time 360 Security conseguiu usar o Edge para chegar ao kernel do Windows 10, mostrando que o navegador tem brechas são tão sérias que podem comprometer completamente o sistema operacional.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.