Agora vai?

Facebook suspende 200 aplicativos por uso indevido de dados

A investigação começou depois que foi revelado que a consultora Cambridge Analytica se apropriou dos dados de cerca de 87 milhões de usuários da rede social

07:41 · 15.05.2018 por AFP
facebook
Facebook perdeu mais de US$ 93 bilhões em valor de mercado após a vir à tona o uso ilícito de dados de mais de 50 milhões de usuários ( Foto: AFP )

O Facebook anunciou nesta segunda-feira, 14, a suspensão de "cerca de 200" aplicativos de sua plataforma como parte de uma investigação sobre o uso indevido de dados privados de seus usuários.

A investigação começou depois que foi revelado que a consultora Cambridge Analytica se apropriou dos dados de cerca de 87 milhões de usuários da rede social, enquanto trabalhava para a campanha presidencial de Donald Trump em 2016.

"A investigação continua", afirmou Ime Archibong, vice-presidente de produtos associados ao Facebook, em um comunicado publicado online.

"Temos grandes equipes de especialistas internos e externos que trabalham duro para analisar esses aplicativos o mais rapidamente possível, e até agora, milhares de aplicativos foram investigados e cerca de 200 foram suspensos", explicou.

Archibong acrescentou que, quando encontrarem "evidências de que esses ou outros aplicativos utilizaram dados incorretamente, nós os proibiremos e os notificaremos através deste site".

As revelações sobre Cambridge Analytica desencadearam investigações nos dois lados do Atlântico e levaram o Facebook a reforçar suas políticas sobre como compartilhar e acessar dados pessoais. 

Facebook já mudou sua política em 2014, a fim de limitar o acesso aos dados de seus usuários, mas a empresa observou que alguns aplicativos ainda tinham dados obtidos antes dessa modificação.

"Há muito mais trabalho a ser feito para encontrar todos os aplicativos que poderiam ter utilizado de forma indevida dados das pessoas do Facebook, e isso vai demorar um pouco", admitiu Archibong.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.