Em 2 anos

Facebook pretende decodificar palavras do cérebro e transcrever diretamente em um computador

Projeto foi apresentado durante uma conferência nos Estados Unidos

09:15 · 20.04.2017 / atualizado às 09:16

Executivos do Facebook apresentaram um projeto cujo objetivo é criar um sistema capaz de decodificar as palavras na parte do cérebro que abriga o centro de linguagem e transcrever diretamente em um computador a uma taxa de cem palavras por minuos. O tempo é cinco vezes mais rápido do que o tempo exigido hoje para escrever na tela sensível ao toque de um celular.

A apresentação aconteceu quarta-feira (19), em uma conferência anual de desenvolvedores de aplicativos em São José, na Califórnia (EUA).

"E se púdessemos digitar diretamente do cérebro para um computador?", questionou a diretora do Facebook Regina Duran.

Uma equipe de mais de 60 cientistas e engenheiros especializados em tecnologias de inteligência artifical trabalham no projeto. O objetivo é desenvolver o sistema, que não exigirá a implantação cirúrgica de eletrodos, em dois anos. Serão adotados sensores não intrusivos que ainda não existem. 

"Queremos transformá-los em uma tecnologia portátil que poderá ser produzida em larga escala", completou Mark Zuckerberg.

Outro projeto que Regina Duran descreveu durante o evento é "ouvir com a pele". A ideia é repassar as frequências que são transmitidas para o cérebro para que o usuário as sentisse na pele. No entanto, o desenvolvimento desta tecnologia levará anos. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.