novidade

EUA aprovam primeira pílula digital do país

A Food and Drug Administration (FDA),agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, aprovou a medicação que avisa ao médico se o paciente está tomando os remédios ou não

11:06 · 14.11.2017 / atualizado às 11:20
Pílula Digital
Chamada de Abilify MyCite, a pílula tem um pequeno sensor ingerível que se comunica com um patch usado pelo paciente que transmite dados para um aplicativo ( Foto: reprodução/Proteus Digital Health )

A Food and Drug Administration (FDA), agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, aprovou a produção da primeira pílula digital do país, que vai saber se o paciente tomou a medicação ou não. Chamada de Abilify MyCite, a pílula tem um pequeno sensor ingerível que se comunica com um patch usado pelo paciente.

Após receber as informações do sensor, o patch transmite os dados coletados para um aplicativo de smartphone que, que pode enviar automaticamente para um banco de dados que o seu médico, e outras pessoas autorizadas, tenham acesso. Abilify é uma droga que trata a esquizofrenia e transtorno bipolar, além de ser um tratamento complementar para a depressão

O funcionamento é simples: quando entra em contato com o ácido do estômago, o sensor, que é do tamanho de um grão de areia e feito de silício, cobre e magnésio, envia um sinal para o patch avisando que o paciente tomou o remédio. O patch, deve ser substituído a cada sete dias, coleta e envia dados como a hora de ingestão e a dosagem, além de registrar níveis de atividade, padrões de sono, passos e frequência cardíaca. O médico do paciente e até outras quatro pessoas escolhidas podem acessar as informações. O paciente pode revogar o acesso a qualquer momento. 

Desenvolvimento 

Criada pela farmacêutica japonesa Otsuka e pelo serviço de medicina digital Proteus Digital Health, a pílula levou anos de pesquisa para ser desenvolvida. O objetivo é uma forma de contornar o problema dos pacientes que não tomam suas medicações corretamente. A ainda Otsuka não indicou o quanto as pílulas digitalizadas Abilify vão custar. 

Segundo uma estimativa do IMS Institute, o uso inadequado e desnecessário da medicina custa ao setor de saúde dos EUA mais de US$ 200 bilhões em 2012. A aprovação abre a porta para a criação de pílulas digitais para tratar outros problema de saúde. Alguns especialistas temem o que a nova tecnologia pílula pode significar para a privacidade, já que o rastreamento pode ser uma maneira para punir os pacientes desobedientes.

O Wall Street Journal informa que a FDA está antecipando uma série de solicitações de aprovação para outras pílulas digitais. Um porta-voz disse à publicação que a FDA está planejando contratar mais funcionários com "conhecimento profundo" do desenvolvimento de software em relação a dispositivos médicos e se envolver com empresários em novas diretrizes.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.