Só gps

Apple Watch Series 3 ganha dados celulares, mas não vem para o Brasil

Fisicamente o relógio não apresenta diferenças, apenas a coroa com a ponta vermelha para a versão com dados celulares

11:22 · 13.09.2017 / atualizado às 11:49
Apple Watch Series 3
Apple Watch Series 3
Apple Watch Series 3 Edition cinza espacial
O Watch Edition, modelo em cerâmica, ganha uma nova cor, cinza espacial, e tem preço a partir de US$ 1299 ( Divulgação )

Além dos novos iPhones, a Apple também apresentou, na tarde desta terça-feira (12), o novo Apple Watch Series 3. Jeff Williams, Chief Operating Office (COO) da empresa, apresentou a terceira geração do relógio inteligente e a versão atualizada do sistema operacional de pulso, que traz novidades para todas as gerações do gadget.

A grande inovação será a capacidade de usar redes de dados celular no dispositivo de pulso. Com isso, o usuário vai poder andar livremente sem a necessidade de ter o iPhone próximo para que o relógio interaja de forma inteligente. Quando longe, como por exemplo durante uma corrida, o Series 3 vai receber notificações normalmente, como mensagens e até mesmo chamadas de áudio, as quais o usuário vai poder responder usando a rede de dados celular. A novidade também vai possibilitar streaming de músicas diretamente pelo relógio para fones de ouvido sem fio. Até o Amigos, aplicativo para compartilhamento de localização da Apple, vai automaticamente mudar a localização para o relógio, quando o usuário se afastar do iPhone.  

Com o novo processador de dois núcleos e 70% mais rápido, a Siri agora vai "poder" falar, algo impossível nas versões anteriores. O Wi-Fi está 85% mais rápido e usando apenas metade da energia que o Series 2. A nova versão também ganha um altímetro barométrico, que vai ajudar a medir ganhos de elevação depois dos exercícios. Um novo Software Development Kit (SDK) será liberado para desenvolvedores usarem a novidade em aplicativos de ski e snowboard. 

Fisicamente o relógio não apresenta diferenças, apenas a coroa com a ponta vermelha para a versão com dados celulares. Entretanto, nem todos os modelos estão disponíveis em todas as versões, como o de aço inoxidável e o de cerâmica, que agora só vem no modelo celular. Os preços começam em US$ 329 para a versão GPS (sem celular) de 38mm e o modelo topo de linha será o Watch Hermès, que na versão de 42mm mais cara chega aos US$ 1.399

Segundo a assessoria de imprensa da Apple no Brasil, o Series 3 deve chegar ao Brasil até o final deste ano apenas na versão GPS, já que o modelo celular não deve ser comercializado na América Latina. Com a chegada da nova versão, o Series 2 sai de linha, mas o Series 1 continua como modelo de entrada por US$ 249 nos EUA e no Brasil por R$ 1.999.

WatchOS

O novo sistema móvel para o relógio vai estar disponível para as três gerações em 19 de setembro e traz algumas novidades. O aplicativo de exercícios agora tem um novo modo HIIT, termo inglês para Treino Intervalado de Alta Intensidade. Nadadores também terão novidades, como a capacidade de iniciar um novo set automaticamente. O GYM kit é a promessa para a integração do relógio com os equipamentos de academias, que vão sincronizar os dados automaticamente.

O aplicativo monitor do coração teve melhores significativas. Ao olhar para o relógio, a frequência cardíaca vai estar disponível diretamente no Watch Face. Ao abrir, o app traz novas medidas, como a frequência cardíaca durante o repouso e a recuperação dos batimentos após um exercício, onde o relógio compara os batimentos com os dados do acelerômetro para saber quando você terminou de correr, por exemplo. Com os novos algoritmos, o relógio vai ser capaz de detectar e notificar se houver elevações na frequência cardíaca quando o usuário não estiver fazendo atividade física.

As arritmias cardíacas são alterações no ritmo cardíaco normal de uma pessoa. A doença, que afeta dezenas de milhares de pessoas no mundo, é uma das principais causas de acidente vascular cerebral (AVC) e, como não gera sintomas, dificilmente é detectada. Fazendo uso da capacidade de monitorar frequência cardíaca quando o usuário estiver em repouso, a última novidade relacionada ao monitor cardíaco será o Apple Heart Study, uma parceria entre a Maçã e a Universidade de Stanford, onde os pesquisadores vão usar dados dos usuários inscritos no programa de testes para estudar arritmias cardíacas e notificar os possíveis enfermos. O estudo começa ainda em 2017 nos Estados Unidos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.