inovação

Apple quer iPhone com sensor 3D traseiro em 2019

Diferente da usada na câmera frontal, o novo sensor vai mudar a forma como o aparelho trabalha com realidade aumentada

O novo sensor 3D deve resolver o atual problema em que um uma imagem criada por realidade aumentada não consegue se posicionar por trás de objetos reais ( Imagem: reprodução/Bloomberg )
09:47 · 14.11.2017

A Apple está trabalhando em um novo sensor 3D para usar na câmera traseira do iPhone, segundo noticiou o Bloomberg nesta terça-feira (14). Fontes próximas da empresa disseram ao site que o objetivo da nova tecnologia seria tornar o smartphone da maça líder em realidade aumentada ainda em 2019.

O novo sistema de câmera seria diferente do usado pelo TrueDepth, inaugurado com a câmera frontal do iPhone X e usado para autenticação com o Face ID. O sistema atual usa uma técnica de luz estruturada que projeta 30 mil pontos de laser no rosto do usuário para medir a distorção e gerar uma imagem 3D para autenticação. Já o novo sensor usaria um sistema de "tempo de vôo", que calcula o tempo necessário para que um laser rebate em objetos próximos para criar uma imagem tridimensional do ambiente.

Um sistema não influencia no funcionamento do outro, o que garante a permanência de ambos nos futuros aparelhos. As fontes afirmam que a Maçã já está em contato com possíveis fornecedores do novo sensor, mas que como a tecnologia ainda está em estágios iniciais de teste, podem nem chegar ao telefone. Procurado pelo Bloomberg, uma porta-voz da Apple se recusou a comentar.

Durante uma entrevista ao programa estadunidense diário Good Morning America, Tim Cook, presidente da empresa, acredita que "a realidade aumentada vai mudar a maneira como usamos a tecnologia para sempre". A empresa já trabalha com RA em seus novos aparelhos, mas a tecnologia ainda é frágil. Se um animal criado por RA caminhar por trás de um móvel, o móvel vai permanecer por trás dele, quebrando a ilusão. O novo sensor 3D consertaria isso.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.