teledramaturgia

Talento e consistência

Depois do último trabalho na TV, na supersérie "Onde Nascem Os Fortes", Patrícia Pillar agora está nas telonas em "Unicórnio", filme inspirado na obra de Hilda Hilst

00:00 · 25.08.2018

Não é novidade que a teledramaturgia brasileira é uma dos produtos mais rentáveis e populares do Brasil. Naturalmente, não nos falta nomes de peso nessa área, e Patrícia Pillar, 54, é, sem dúvidas, um deles. A brasiliense conta com longa lista de trabalhos na televisão, no cinema e também acumula experiências como diretora de videoclipes e documentários.

Atualmente, a atriz está em cartaz nos cinemas com o filme "Unicórnio", dirigido pelo cineasta Eduardo Nunes. A produção tem inspiração em contos da escritora brasileira Hilda Hilst, conhecida por abordar temas controversos e provocativos, como o erotismo. Com poucos diálogos, aspectos como a fotografia e os personagens em si são o que mais chamam atenção no longa. "São personagens sensoriais, não de ação. Eles são mais da reflexão, da sensação", explicou a atriz em entrevista à Revista TPM.

Trajetória

A estreia de Patrícia Pillar nas telenovelas se deu em 1985, em "Roque Santeiro", já tendo atuado, à época, no filme "Para Viver Um Grande Amor" (1983) e em algumas peças teatrais como "Os Banhos" (1981) e "Morangos e Lunetas" (1984). De lá para cá, são inúmeros os trabalhos que enriquecem o currículo da atriz.

Dentre as importantes novelas das quais participou, estão "Sinhá Moça" (tanto a original de 1986 quanto a segunda versão, de 2006), "Rainha da Sucata" (1990), "O Rei do Gado" (1996), "Um Anjo Caiu do Céu" (2001), "Cabocla" (2004) e a supersérie "Onde Nascem os Fortes" (2018).

O personagem de maior apelo e destaque da carreira dela foi Flora, a vilã de "A Favorita", papel que rendeu à Patrícia várias indicações (e vitórias) em premiações nacionais. Também vale mencionar as minisséries "As Brasileiras", de 2012, e "Amores Roubados", de 2016, além do sucesso de programas de TV apresentados por ela, a exemplo de "Som Brasil" em 2007, 2011 e 2013.

Drama

Paralelamente às obrigações de uma agenda de atriz de renome como ela, Patrícia Pillar passou por um drama pessoal em dezembro de 2001, quando descobriu um tumor maligno no seio. Graças ao diagnóstico precoce, ele foi totalmente removido. Ainda assim, a atriz precisou se submeter a uma quimioterapia, no ano seguinte e passou afazer aparições de cabeça raspada, buscando incentivar outras mulheres a fazerem o autoexame de mama.

De dentro para fora das telas, Patrícia Pillar já se provou figura de força, deixando claro que talento não é a única atribuição que a levou a ter fama. Consistência diz ainda mais sobre ela, uma figura que certamente tem inspirado muitos de nós.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.