Personalidade

Sucesso e rebeldia

Uma das personalidades mais intrigantes e peculiares de Hollywood, Joaquin Phoenix é nome sempre lembrado não só pelo grande talento, mas pelas histórias turbulentas de sua vida pessoal

00:00 · 26.05.2018

Para o público comum de cinema, ele é só um ator incrivelmente talentoso. Já aqueles que arriscaram ir um pouco mais a fundo em sua biografia sabem que, além disso, ele é um rebelde. Personalidade única em Hollywood, Joaquin Phoenix conta não só com êxitos, mas com uma boa dose de tragédia nas páginas de sua história.

A turbulenta vida pessoal, no entanto, fica em segundo plano quando o assunto são os primorosos papéis no cinema. Um dos exemplos mais recentes é o filme "Maria Madalena", no qual o ator interpreta Jesus Cristo, em uma espécie de crítica à retratação bíblica da figura feminina da protagonista, vivida por Rooney Mara, namorada de Joaquin na vida real.

Além da película, pelo menos dois filmes com o americano são esperados pelos fãs brasileiros, ainda sem previsão de estreia por aqui - "Don't Worry, He Won't Get Far On Foot" e "You Were Never Really Here".

Turbulências

Nascido Joaquin Bottom, o ator já se mostrava diferente desde cedo, a começar pelo próprio nome, considerado por ele comum demais frente aos dos irmãos River, Rain, Liberty e Summer (em português, rio, chuva, liberdade e verão, respectivamente). Ainda na infância, em uma tentativa de ser mais como os irmãos - ou menos como ele mesmo -, mudou sua identidade para Leaf (folha, em português), o que durou até o início dos anos 1990.

Um dos primeiros infortúnios do tortuoso caminho de Joaquin foi frequentar, por causa dos pais, a seita "Filhos de Deus", posteriormente desmascarada em virtude de casos de abuso sexual e fraude - desconhecidos pela família na época. Já em 1993, Joaquin sofreu o que talvez tenha sido o baque definitivo na construção de sua personalidade: a morte do irmão River, por overdose de cocaína e heroína. O acontecimento, é claro, rendeu material de sobra para a imprensa sensacionalista.

O inesperado comportamento com a mídia teve seu ápice na famosa entrevista a David Letterman, no The Late Show, em 2009. Phoenix agiu de modo bizarro, mal respondendo às perguntas feitas.

Mais tarde, confessou, junto a um pedido de desculpas, que naquela ocasião estava incorporando o seu personagem do filme "I'm Still Here", lançado no ano seguinte. Um desfecho tão imprevisível quanto o próprio ator.

Carreira

Apesar de terem moldado o Joaquin Phoenix que se conhece hoje, as polêmicas e angústias não são tudo na invejável carreira do ator. Seja no papel do imperador Cómodo, em "Gladiador" (2000), incorporando o cantor Johnny Cash em "Johnny & June" (2005) ou na pele do solitário e sentimental Theodore, no longa "Ela" (2009), Joaquin consegue, entre doses de lucidez e loucura, se reinventar - sendo, sem dúvidas, ele mesmo.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.