Coluna

Márcia Travessoni: nossas homenagens

Márcia Travessoni (Gente)

marcia.travessoni@diariodonordeste.com.br

00:00 · 11.08.2018
Milton Rios e Márcia Travessoni

Neste domingo de Dia dos Pais, fica o desejo para que essa relação tão pura e rica, entre pais e filhos, possa ser celebrada nas mais diversas situações e formações familiares. E para ilustrar esse amor, deixo aqui dois registros importantes: o papai de primeira viagem Rodrigo Ponte, que está à espera do baby Rafael para o fim de novembro; e meu querido pai, Milton Rios, referência de amor na minha vida. Homem guerreiro, que faz de cada dia uma vitória. Coração grande, amigo fiel e de todas as horas.

 

Bastidores

Apaixonados por aviação, o músico Waldonys e o jornalista Tom Barros visitaram a exposição "Santos-Dumont - Coleção Brasiliana Itaú", em cartaz até dezembro no Espaço Cultural Unifor.

No casamento de Dulce Santana e Aurélio Bezerra, o menu do jantar foi assinado pelo chef Léo Gondim - que ampliou seus serviços para todos os tipos de eventos. A recepção do casório, anfitrionada por Maria Amélia Santana, foi na casa de Alfredo e Tilda Miranda.

Filha de Wilson Aragão e Paula Simas, Ana Beatriz colou grau em Direito, no início do mês, e comemorou no Coco Bambu Lounge & Music. A mais nova bacharel é neta de Beta Fiúza. /// No sábado, adiantam a comemoração do Dia dos Pais Branca e Josué de Castro com almoço no Ideal Clube, junto dos filhos, noras e netos.

d

Nathalia e Rodrigo Pontes

Plateia

Marize Castelo Branco, Ada Faganello, Tânia e Betinho Holanda, Luzia e Walter Castelo Branco formam animada mesa para o show de Lulu Santos, em setembro, no Aquaville.

Agenda

Pianista de Viena, Reginaldo Mordenti faz apresentação gratuita neste sábado, às 20h, no Teatro Celina Queiroz. /// A edição de agosto da Escola Bike Anjo (EBA) acontece neste Dia dos Pais, das 8h30 às 11h30, na Praça Luiza Távora. No projeto, voluntários auxiliam os que pretendem aprender a andar de bicicleta.

A Caixa Cultural recebe, de 16 a 19 de agosto, a III Feira do Cordel Brasileiro, com programação gratuita das 14 às 21h. Literatura de cordel, cantoria, palestras, declamação, xilogravura, repentistas violeiros, escritores e folheteiros de várias partes do País estarão disponíveis no evento, além da exposição de obras raras e venda de cordéis, livros, camisetas e CDs.

f

Diogo e Aline Ferreira Gomes estão curtindo a temporada de esqui na Argentina

Estética

d

A liberdade na busca pela própria beleza esbarra em várias questões controversas. À parte as discussões sobre padrões de beleza, um ponto exige um debate urgente: os riscos em realizar procedimentos cirúrgicos com profissionais não habilitados. O presidente da Regional Ceará da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Giovanni Bezerra, alerta para os cuidados na hora de decidir fazer correções cirúrgicas na aparência.

 

Quais são os cuidados essenciais de se ter na hora de escolher um profissional para fazer um procedimento estético cirúrgico?

 

O que está acontecendo é que as mídias sociais estão criando celebridades instantâneas, porque permitem a autopromoção. O alerta é para as pessoas não procurarem serviços como esses em mídias sociais, como grupos fechados, onde geralmente tem aliciadores contratados por médicos para convencer pacientes a comprarem produtos, divulgação de fotos de pós-operatório, preços fora do mercado. O método mais seguro é se informar sobre a formação daquele profissional, e isso você pode consultar no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Além disso, desconfiar de preços muito baixos, porque pode ser que produtos de qualidade inferior estejam sendo utilizados no procedimento.

 

A SBCP falou recentemente, em nota, sobre uma "Invasão de não especialistas" na área. Por que isso tem acontecido?

 

Existe uma grande falha em relação aos médicos, a legislação é muito permissiva e tem uma briga de mercado, todo mundo querendo invadir essa área dos procedimentos estéticos. Alguns médicos fazem cursos de fim de semana, mas não têm especialidade naquilo, sendo que alguns procedimentos são de risco - quando tem complicações, são muito sérias e graves. A formação de um médico especialista nesse tipo de procedimento leva, pelo menos, 11 anos. Você não pode comparar uma formação dessas com quem faz um curso de fim de semana. Hoje temos, ainda, muitos não médicos fazendo alguns desses procedimentos, principalmente aqueles feitos com agulhas, sem ter conhecimento anatômico. Se você assistir a dez cirurgias de apendicite, você vai conseguir fazer a 11ª, mas não vai saber tratar as complicações, e é o que acontece com esses profissionais. Até sabem a técnica, mas não têm competência para tratar uma complicação.

 

O que pode, então, ser feito para diminuir a atuação desses profissionais não capacitados?

 

É mesmo tentar conscientizar a população para procurarem profissionais adequados, e desconfiarem de preços muito baratos, não entregarem a saúde nas mãos de qualquer profissional.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.