Coluna

Márcia Travessoni (Gente): Mosaico

Márcia Travessoni (Gente)

marcia.travessoni@diariodonordeste.com.br

00:00 · 30.06.2018 / atualizado às 04:12
Roberta e Raissa Vasconcelos
Laerte Bezerra, Morgana Dias Branco e Rebeca Leal (2)

Os caps da 50 Sabores, Roberta e Simão Vasconcelos, estão ajustando os últimos detalhes para a inauguração, no dia 4 de julho, do Café 50, novo empreendimento que promete trazer, para o hábito de tomar café do fortalezense, uma experiência cheia de sabor e charme. O espaço fica na Av. Beira Mar (1). /// Cearense radicado em Washington, nos Estados Unidos, o empresário Laerte Bezerra está em Fortaleza e já passou por alguns dos mais seletos eventos da capital, a exemplo da comemoração dos 18 anos dos trigêmeos de Morgana Dias Branco, ocasião em que foi clicado abaixo. No dia 20 de julho, ele estará entre os convidados do casamento de Carol Fialho e Matthew Hartenau, na Igreja do Líbano (2).

Destaque

Filho de Ana Virgínia e Marcelo Rocha, José Gerardo concluiu mestrado em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Columbia, em Nova York.

Charme

Lissa Dias Branco era só alegria na festa que celebrou aniversário, junto dos irmãos Lucca e Luciano, no Colosso Lake Lounge.

Catálogo

No dia 10 de julho, a Fundação Edson Queiroz lança o catálogo da exposição "Da Terra Brasilis à Aldeia Global", que está em cartaz no Espaço Cultural Unifor e marca os 45 anos da Universidade de Fortaleza (Unifor). Com 190 páginas, a publicação traz registros de algumas das mais de 270 obras que compõem a mostra, abrangendo um arco temporal que se estende entre os séculos XVI e XXI. A publicação traz ainda textos de Denise Mattar, curadora da exposição, e apresentação de Lenise Queiroz Rocha, presidente da Fundação Edson Queiroz.

Bastidores

Depois da coletiva em que apresentou o balanço das ações do Sistema Fecomércio no Ceará e no Rio, Luiz Gastão Bittencourt seguiu para Brasília, onde vai compôr, como vice-presidente, a chapa para eleição da diretoria da Confederação Nacional do Comércio (CNC). O candidato a presidente da chapa é José Roberto Tadros, presidente da Fecomércio do Amazonas.

Rita e Paulo Cruz, Paulinha e Ademar Júnior e Raquel e Jorge Hildo Neto foram vistos semana passada, almoçando no Cabaña del Primo do RioMar Fortaleza. /// Daniela Barreira é a aniversariante deste sábado.

Memória

A missa de 7º Dia de Francisco Nogueira, o Chico da Carmelita, será celebrada na Capela de São Francisco, no município de Morada Nova, neste sábado, às 16h. Padre Mota conduz a celebração.

Investimento

O Banco do Nordeste (BNB) contratou, esta semana, a maior operação de crédito em energia elétrica da região: R$ 1,1 bilhão, que será empregado na construção de 830 quilômetros de linhas de transmissão e de subestações elétricas.

Políticas

UMa das responsáveis por coordenar a Rede Acolhe, programa da Defensoria Pública do Estado que atende vítimas de crimes fatais, dentro do Núcleo de Atendimento a Presos Provisórios e Vítimas da Violência, a defensora pública Gina Moura expõe a urgência em tratar o tema de forma múltipla. A atenção à vítima e as políticas que vão contribuir com o fim desse cenário, defende ele, precisam de diversos ângulos.

Image-0-Artigo-2419865-1

Você é uma das responsáveis pela Rede Acolhe. Como funciona esse projeto?

A Rede Acolhe trabalha em articulação com outros setores da Defensoria Pública e com instituições privadas dentro dessa perspectiva de multiplicidade de atendimento, de ter um olhar completo para as vítimas da violência como forma de acesso à Justiça. Porque o contexto da violência tem inúmeras implicações de saúde, emocionais, que nem sempre são as questões centrais quando a gente faz o atendimento à vítima. Esse contexto implica numa gama completa de atendimento que não pode se restringir à questão criminal. A gente trabalha com demandas espontâneas, de pessoas que nos procuram nos núcleos, e também vamos ao encontro das famílias, quando tomamos conhecimento e somos provocados pela rede pública. Fazemos essa abordagem com equipes psicossociais, que identificam as demandas psicológicas e, em seguida, partimos pro atendimento jurídico.

O que as recentes chacinas ocorridas no Estado dizem sobre a segurança e políticas voltadas para os jovens no Ceará?

Cada chacina tem uma característica muito própria, não podemos generalizar. Mas ainda assim, uma constatação natural que fizemos, nesse trabalho em rede, é a necessidade de fomento de outras políticas como forma de prevenir a violência, acionar outros equipamentos no sentido de minimizar esse contexto. Temos mapeado os serviços públicos, levando à tona esse discurso de que o fomento a outras políticas são formas de prevenção da violência.

Comparado com o cenário nacional, em situações como o contexto de violência do Rio de Janeiro, por exemplo, como está Fortaleza em relação aos índices da violência urbana?

Se considerarmos o percentual por 100 mil habitantes, a gente está pior do que o Rio de Janeiro, mas nos números absolutos, a gente perde. Eu sempre reforço, diante do nosso trabalho, que o fomento de outras políticas de educação, e até mesmo de segurança, é necessário, por isso a violência existe dessa forma disseminada, e isso se torna ainda mais sensível se a gente considerar a desigualdade social.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.