Coluna

Márcia Travessoni (Gente): Família

Márcia Travessoni (Gente)

marcia.travessoni@diariodonordeste.com.br

00:00 · 23.12.2017

Patrícia e Edson Queiroz Neto - no clique com a pequena Júlia - assistiram, no último fim de semana, à palestra do líder espiritual Sri Prem Baba, na Unifor, e ouviram atentos os conselhos sobre a busca pelo autoconhecimento.

Mosaico

Morgana Dias Branco foi uma anfitriã exemplar, ao lado da filha Lissa, do tradicional encontro natalino que ela promove em seu apartamento. Cuidando de detalhes como a decoração da árvore, com as iniciais das convidadas, e um menu impecável, ela confraternizou com a família e as amigas íntimas (1) e (3). /// Sinônimo de luz, a família Magalhães foi também exemplo de fé em 2017. Os desejos são de que o Natal seja repleto de bênçãos para todos eles (2).

Image-1-Artigo-2340375-1
Nekita Romcy, Tânia Rusu, Ednice Bezerra e Morgana Dias Branco (1)

a
Jonathan, Juliana, Natália, Adélia e Paulo Magalhães (2)

Image-0-Artigo-2340375-1
Lissa Dias Branco (3)

Em festa

Antecipando seu aniversário, ocorrido dia 19, Izabella Fiúza reuniu uma turma animada para almoço, último domingo, em casa. Por lá, Rodrigo Maia, Gustavo Serpa, Branca e Racine Mourão, Letícia e Ricardo Studart, Suzane Farias e Luiz Eduardo Moraes, Martinha e George Assunção, Lorena e Lúcio Bonfim, Auridéia Gualberto, Adriano Fiúza e Roberto Pamplona.

Para uma balada natalina, Branca e Racine Mourão recebem amigos em seu elegante endereço, na madrugada do dia 25. O momento também marca a comemoração do aniversário de Racine e será regado a muita alegria e bons drinks. Buffet, doces e chocolates do La Maison.

Bastidores

Com retorno previsto para 7 de janeiro, Mafrense Souza e Júlio Allves viajam de férias neste dia 28 para Montevidéu, Colônia de Sacramento, Carmelo e Punta del Leste.///De Portugal, Willfridy Mendonça irá até Londres, decorar a nova casa de Daniela e Hugo Moreira. ///Regina Bezerra e Eduardo Nascimento saudarão o ano de 2018 na praia da Caponga, na casa de Dora e Cel. Luciano Arruda.

Adrísio Câmara Jr.,Suetônio Mota, Débora Moreira, Maria Wanda Sá, Marieta Araújo, Max Câmara, Moema Mota, Racine Mourão, Fátima Baquit, Norma Bezerra e Wilma Patrício são os aniversariantes do fim de semana.

Celebração

Tradicional missa de Natal celebrada na quadra do Colégio Santo Inácio, a "Celebração da Luz" acontece neste dia 24, às 18h, agregando as famílias em torno do altar do Senhor, antes da ceia natalina, para simbolizar a espera pelo Menino Jesus.

Destaque

Maurício Filizola - na foto com Laura Paiva - é quem assume, interinamente, a presidência da Fecomércio-CE enquanto Luiz Gastão Bittencourt assume a entidade do Rio de Janeiro.

Humanístico

Image-0-Artigo-2339220-1
Psicólogo, administrador, escritor e fundador da ETHOS - Desenvolvimento Humano e Organizacional, José Ernesto Bologna esteve em Fortaleza, no início de dezembro, para o lançamento seu mais novo livro "O Deputado ou o Cinismo".

Suas formações de base contemplam as áreas da Psicologia e Administração. Por que você escolheu áreas aparentemente antagônicas para se especializar?

Talvez essas áreas sejam consideradas antagônicas sob uma perspectiva profissional clássica, ou disciplinar. No entanto, sob uma perspectiva transdisciplinar, elas são altamente complementares em muitos pontos. Liderança, habilidades de relacionamento, clima organizacional, resiliência, desenvolvimento pessoal através do trabalho, entre outros pontos, nos quais a Psicologia apoia e enriquece a Administração.

Você é defensor da integração entre o pensamento humanístico e os negócios. Por que isso é necessário?

Porque, ao mesmo tempo, o processo civilizatório desenvolveu os valores humanísticos subjetivos, basicamente a empatia, a solidariedade, e a responsabilidade social; e também desenvolveu as competências objetivas, as ciências aplicadas e as tecnologias, mas ainda não conseguiu unir essas áreas. Negócios geridos de forma socialmente responsável, ou seja, segundo valores técnicos e humanísticos integrados, constituem a solução que vejo para a sustentabilidade econômica, política e social, ao mesmo tempo.

Sua mais recente obra, "O Deputado ou o Cinismo", aborda política e cinismo, assuntos que geram até certa repulsa nas pessoas. Como você tornou o tema atrativo em sua publicação?

O próprio fato do cinismo ser sentido como repulsivo já é uma esperança de consciência e de valor. O que eu desejei, e espero alcançar o máximo possível, foi despertar a consciência, chamar a atenção para o perigo da banalização e da trivialização do cinismo.

Qual o maior desafio em abordar ética, política e filosofia no atual cenário político e econômico do Brasil?

Despertar as pessoas da letargia provocada pelo cinismo, via promessas infantis que todos desejam ouvir, que os cínicos desejam dizer e sustentar, que de fato são e serão ditas, mas jamais serão cumpridas. Isso quer dizer que o maior desafio é despertar adultos corajosos capazes de assumir as responsabilidades sem iludir as camadas sociais de boa fé e pouca instrução, justamente porque é nesse estado que os cínicos desejam mantê-las.

Além de palestras e livros, em que se concentra a sua atividade profissional, atualmente?

Dirijo uma empresa de consultoria, fundada por mim, cuja missão é integrar, aplicando aos negócios, as ciências humanas e as ciências organizativas, em apoio à construção do capitalismo sustentável e responsável.

Quem são os seus maiores inspiradores?

A lista é longa o suficiente para que eu não consiga fazer justiça à sua extensão. Desde familiares, mestres escolares, amigos e até figuras históricas. Sócrates, Platão, Aristóteles, Protágoras e Epicuro; romanos como Sêneca, Cicero, Plotino e Plutarco. Do Oriente, Confúcio, Mencius e Lao Tse; do Oriente médio, Maimônides, Averróes, Avicena e Hipátia. Das ciências naturais, de Galileu e Newton, a Lorenz e Mandelbrot. Das ciências humanas, em especial Fred Keller, e um elenco de psicanalistas e antropólogos para além de Freud, Jung e Adler; e de Malinowski, Boas, Levy Strauss e Viveiros de Castro.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.