Coluna

Márcia Travessoni (Gente): estrelas

Márcia Travessoni (Gente)

marcia.travessoni@diariodonordeste.com.br

00:00 · 18.11.2017

Junto de Socorro França, Onélia Leite, Gisela Vieira e Rebeca Leal, fui vendedora por um dia na Estrelário, a loja beneficente em prol da Edisca, que teve Ticiana Rolim Queiroz como uma das idealizadoras. O espaço funcionará até janeiro de 2018 e terá a renda revertida para o trabalho social conduzido por Dora Andrade.

Beneficente

A Obra Lumen já começou a campanha pelo Natal Branco, ação que vai beneficiar, este ano, cerca de seis mil crianças de comunidades carentes, com uma festa especial em alusão ao nascimento de Jesus. O evento acontece nos dias 2 e 3 de dezembro, das 8h às 16h, na rua Israel Bezerra, 630. Mais informações sobre apadrinhamento e doações para a campanha podem ser consultadas no site da entidade, www.natalbranco.com.br.

Bastidores

Fani e Ednilo Soárez viajam no início de dezembro para o Rio de Janeiro. Na agenda do casal, o aniversário do neto Bruno e o jantar anual da turma da Escola Naval. /// Toca Couto Sampaio, Lívia Ferreira Gomes Albuquerque e Nestor Chaves são os aniversariantes deste fim de semana.

Na manhã deste sábado, a recepção do casamento de Renato Melo e Camila Rodrigues de Araújo será realizada no Salão Prattes, do Teka's. À noite, o buffet de Karla e Kátia Maggy sedia a festa nupcial de Lidiana Pereira e Manoel José Barroso. A décor, assinada por Maggy, será nas cores azul marinho, branca e dourada.

Agenda

Dia 2 de dezembro, às 21h, o Teatro RioMar Fortaleza recebe os melhores bailarinos de teatros renomados como Bolshoi, Mariinsky e Mikhailovsky, para um show com trechos das obras clássicas Lago dos Cisnes, Corsário e Quebra-Nozes, compondo o espetáculo "Joias do Ballet Russo".

Bruna Waleska é anfitriã do lançamento da coleção de peças fitness que ela assinou para a Gamane, neste sábado, às 10h, na loja Rouge do Meireles. O evento terá bate-papo com a nutricionista Carla Laprovítera.

Giro

Após dizerem o "sim" na Igreja de São Pedro, Rodrigo Ventura e Alice Diniz se preparam, agora, para a grande festa no Colosso Lake Lounge, cuja décor está sendo preparada pela Triart (1). /// Stella Rodrigues e Ana Studart marcaram presença em um dos dias de venda especial da Estrelário, no RioMar Fortaleza. No espaço são vendidos itens personalizados, produzidos por designers e marcas cearenses, com inspiração no tema de estrelas (2). /// Branca de castro recebeu, na casa do filho Marcelo e da nora Karina, a família para comemorar mais um ano de vida (3). /// Marina Macedo foi uma das elegantes presenças do casamento de Clarissa e Marcelo Camelo, no último sábado (4).

Image-1-Artigo-2324958-1
Rodrigo Ventura e Alice Diniz (1)

stela
Stella Rodrigues e Ana Studart (2)

Image-2-Artigo-2324958-1
Karina, Branca, Érika e Manoela de Castro (30

Image-0-Artigo-2324958-1
Marina Macedo (4)

Infância

Image-0-Artigo-2325079-1
Referência em trabalhos e pesquisas relacionados à nutrição infantil e primeira infância, a pró-reitora de Extensão da UFC, professora Márcia Machado, vem acompanhando de perto todas as evoluções nessa área, e alerta que precisamos ir além.

Como surgiu sua identificação com o tema da Primeira Infância? O que motivou a pesquisar e trabalhar essa temática?

Desde a minha formação como enfermeira, comecei a trabalhar muito em projetos nessa área da infância. Na época, década de 1980, tinham muitos indicadores ruins no Estado, principalmente na questão da mortalidade e desnutrição infantil, e eram temas que me chamavam atenção. Na faculdade, tive a honra de trabalhar com o Dr. Galba Araújo, um dos diretores da Maternidade Escola, e que tinha um projeto que levava alunos, em um ônibus que era um consultório itinerante, para as comunidades, incentivando a questão da amamentação. Comecei a me especializar e, em 1987, fui solicitada para montar, junto com uma equipe, o primeiro banco de leite humano da Maternidade Escola, que passou a ser uma referência no incentivo à amamentação. Fomos ampliando o olhar da amamentação não só como oferta de leite, mas como estabelecimento de vínculos, e vimos que precisávamos criar políticas públicas para fortalecer esse contato. Ajudamos na formatação da lei da licença maternidade ampliada, trabalhamos junto aos agentes de saúde. Todas essas políticas aconteceram na década de 1980, que foi crucial para trazer esse tema como questão de saúde pública.

O que representou, na época, a criação do banco de leite humano da Maternidade Escola?

Quando a gente começou com o banco de leite, além de ter um trabalho assistencial e de doação de leite humano, começamos a trabalhar muito com pesquisas, vendo que, tudo o que fazemos, deve ser avaliado quanto ao impacto na saúde da criança, da mãe e da família. Passamos, então, a ter esse olhar ampliado e de pesquisa.

A partir de que momento essa preocupação com o aleitamento materno se expandiu e passou a contemplar toda a Primeira Infância?

Na década 1990 a gente conseguiu ultrapassar a barreira da alimentação saudável, quando os estudos da Neurociência começaram a surgir. Eram experimentos mostrando a importância de trabalhar a Primeiríssima Infância, de zero a três anos, quando o cérebro humano funciona como uma esponja, e todas as coisas que a criança absorve nessa fase vão produzir reflexos no futuro dela. Começamos a ver como a gente pegava crianças que já estavam contaminadas pelas consequências da desigualdade social e pensamos que não dá para trabalhar só a nutrição se não recuperar o bem-estar da família como um todo.

Como você avalia as ações, no Ceará, desenvolvidas nessa área?

Nós avançamos. Um aspecto positivo, dos últimos governantes, é a continuidade dos projetos. Outra coisa positiva que estamos vendo é a ampliação, mesmo de forma lenta, das creches boas, e a preocupação em formar os profissionais que vão trabalhar diretamente com essas crianças. Mas temos que ir muito além, é preciso que gestores públicos de várias áreas tomem esse tema como prioritário. Qualquer trabalho em rede exige paciência, e esse, especificamente, é um trabalho que não é possível fazer sozinho. Se a gente conseguir perceber isso, avança mais rápido.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.