Coluna

Estrelas Esquecidas: Deus tem mais o que fazer

Estrelas Esquecidas

A. CAPIBARIBE NETO - capi@globo.com

00:00 · 28.07.2018

Existem duas correntes que defendem a criação da Terra. Segundo a Bíblia, Deus, em um momento de sublime inspiração teria dito "Fiat lux!", segundo o Primeiro Livro, após a criação do céu e da terra, fazendo surgir o dia de 24 horas, com 60 minutos cada hora e 60 segundos cada um desses minutos.

Vamos separar esta conta. A Terra teria sido criada há 4 bilhões de anos, segundo os teóricos da criação da mesma Terra, a partir do Big Bang. Sem confusão e sem briga, vamos admitir que a Terra foi inserida no contexto do Universo, que foi criado há pouca coisa mais: 14 bilhões de anos. Está provado que esse mesmo Universo continua em expansão, como se Deus, incansável e mais onipotente que nunca, continuasse a sua obra, fora do alcance dos nossos olhos e, principalmente, dos umbigos que acreditam que o mundo gira em torno desse orifício, a cicatriz que restou quando o ser humano, pretensamente inteligente, deixou o universo mágico dentro da barriga materna e fez-se luz para ele.

Existe o Antes de Cristo e o Depois de Cristo, a partir do ano zero até este 2018 de hoje. Antes de Cristo, é uma incógnita. O que se apregoa pode ser uma espécie de "fake news", embora religiões como o Hinduísmo existam há mais de 5 mil anos. Ainda dentro dessa democracia de crenças, respeitando o direito e o berço da crença de cada um, vamos trazer para o cenário o aparecimento do primeiro homem a deixar rastros mundo afora, principalmente na África.

Este homem teria existido há mais ou menos 2,5 milhões de anos e foi identificado como "homo habilis", que lembrava muito mais um macaco que um homem, como se tivesse sido um esboço constrangedor do que viria a ser a versão melhorada dele, há 500 mil anos, quando foi apresentado o modelo "homo neanderthalensis", o primeiro ser humano como é conhecido hoje. E até hoje, neste exato momento em que você, caro leitor, está lendo essas mal traçadas linhas, não existe nenhuma prova de que existam "terras" nos moldes da nossa e muito menos homens ou mulheres bonitas como as nossas, em qualquer outra parte desse misterioso e incomensurável Universo.

Com tanto smartphone, tanta tecnologia disponível, todas as imagens de naves de outro mundo que aparecem para mexer com o imaginário são borradas, fora de foco, registradas de muito longe, efeitos especiais manjados. Não merecem crédito. Fazendo uma continha básica aqui, multiplicando 100 bilhões de galáxias, segundo a revista Superinteressante, por 100 bilhões de estrelas que existem dentro delas, estaremos falando de 10 sextilhoes de estrelas que não podem ser esquecidas. São nada menos de 21 zeros depois do 10 e isso só leva em conta o que os astrônomos chamam de universo visível, aquele cuja luz chega até nós.

A estrela mais distante, cuja tênue luz só foi captada através do telescópio Hubble, catalogada como MACS J1149+2223 Lensed Star 1, apelidada carinhosamente de Ícaro, levou nada menos de 9 bilhões de anos para chegar até nós! Como o Universo Dele continua se expandindo, sua obra aumenta lá nos confins de todas as distâncias, onde Ele esteja realizando projetos melhores e nem enxergue mais a desgraça em que o homo sapiens transformou a Terra de sua famosa Eva, enquanto nós aqui, girando em torno dos nossos umbigos egoístas, ainda estamos amargando o resultado de uma Copa pífia, achando graça da palhaçada do Neymar rolando até depois dos portões dos estádios - e por isso ficou de fora da lista dos melhores, enquanto a turma ignara grita, já quase vez voz, "Lula Livre", e outros batem palmas para discursos inflamados de pretensos novos salvadores da pátria. Isso para não falar diariamente das mazelas da nossa história. Ainda bem que Deus tem mais o que fazer. Bem longe.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.