Racismo

A luta pela arte

De forma incisiva, Donald Glover denuncia, através de seu trabalho, o racismo e outras questões ligadas à população negra

00:00 · 30.06.2018 / atualizado às 04:04

Não é de hoje que denúncias e provocações de cunho político e social têm lugar na música, na literatura, na TV e no cinema. Nas últimas gerações de celebridades, o aumento da preocupação com essas questões chama atenção - e, dentro desse contexto, Donald Glover, 34, é figura expoente.

O cantor, ator, produtor, comediante, rapper e escritor norte-americano é um dos principais artistas da atualidade que fazem do trabalho uma missão. Ele, que já era conhecido por sua persona musical, Childish Gambino, levou a fama a outro patamar ao lançar, em maio, o vídeo da música "This Is America", que denuncia aspectos como o assassinato de pessoas da comunidade negra nos Estados Unidos e a brutalidade policial. Mais recentemente, Donald deu vida a Lando Calrissian, personagem de "Han Solo", spin-off de "Star Wars" que ainda está em cartaz nos cinemas.

This Is America

O cenário é o território americano. Palco de inúmeros tiroteios coletivos e de forte segregação racial, a imagem dos Estados Unidos é construída em "This Is America" de modo cru e cruel. No primeiro plano do vídeo, Gambino faz movimentos de dança peculiares, que, supostamente, pretendem distrair o público da violência desenfreada que acontece no plano secundário.

O clipe ainda conta com detalhes menos óbvios, como as referências a personagens da ficção e da vida real. No início do vídeo, Gambino imita as expressões faciais de Tio Ruckus, personagem negro que acredita ser branco, da história em quadrinhos "The Boondocks". O rapper também imita Jim Crow, figura que carrega estereótipos negativos atribuídos à comunidade negra.

Já as ligações com a realidade se mostram, por exemplo, no momento em que ele assassina um coro de igreja, menção ao massacre de Charleston, de 2015. Na ocasião, um homem branco de 20 anos assassinou nove pessoas de uma igreja afro-americana dos EUA. O vídeo é hoje o mais assistido da carreira de Glover, conseguindo quase 13 milhões de visualizações nas primeiras 24 horas no ar, e que hoje ultrapassa as 300 milhões de reproduções.

Carreira

Donald Glover começou a carreira como ator e roteirista. Em 2006, passou a escrever episódios da sitcom "30 Rock", da NBC, e se tornou mais amplamente conhecido após a atuação na série de comédia "Community", em 2009.

Apesar de nascido na Califórnia, Donald foi criado em Atlanta, um dos grandes polos de tráfico de drogas do sul dos EUA. A cidade tem o mesmo nome da série criada e estrelada por ele em 2016, que foi premiada em duas categorias no Globo de Ouro do ano seguinte. Ainda como ator, participou de produções como "Magic Mike XXL" (2015) e "Homem-Aranha: De Volta ao Lar" (2017).

Foi em 2011 que o lado Childish Gambino começou a aparecer para o mundo, com o lançamento do primeiro álbum, "Camp". Dois anos depois, "Because the internet" seria um disco de mais projeção, com os singles "3005" e "Sweatpants". Em 2016, "Awaken, My Love!" se consagrou como o álbum mais bem-sucedido de Gambino, famoso principalmente pelo single "Redbone" e rendendo indicações ao Grammy, vencendo na categoria de melhor performance tradicional de R&B.

Das telas à música, falar de Donald Glover requer espaço, tempo e consciência da importância da figura dele no cenário artístico atual. Afinal, se há algo que ele tem feito - e muito bem - é provar que arte é bem mais que puro entretenimento. É representatividade e luta, também.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.