Educação

Pais que querem participar de reuniões escolares podem ter direito à folga

A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou uma proposta que permite que o empregado falte ao trabalho por um dia a cada seis meses para participar de reuniões escolares de filhos ou enteados

14:36 · 05.09.2015
escola
Especialistas enfatizam que os profissionais de educação devem estar mais abertos à ideia de experimentação e (criar) protocolos científicos para validar isso

Quem trabalha e possui filhos em idade escolar sabe que um dos grandes dilemas é arranjar tempo para as reuniões escolares. Os encontros com os professores quase sempre acontecem em horários que coincidem com o expediente e, dependendo da empresa, do chefe ou da profissão, pedir dispensa pode ser uma dificuldade e tanto.

No entanto, isso pode mudar. A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou, na última quarta-feira (2), uma proposta que permite que o empregado falte ao trabalho por um dia a cada seis meses para participar de reuniões escolares de filhos ou enteados. O projeto é de autoria da senadora Lídice da Mata (PSB-BA).

Agora, o texto segue para as Comissões de Educação, Cultura e Esporte e de Assuntos Sociais. O relator do projeto, João Capiberibe (PSB-AP) afirmou que a presença dos pais é importante para a manutenção do vínculo familiar e transmite segurança aos filhos.

De acordo com a Agência Senado, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) também se posicionou a favor da proposta e elogiou a aprovação. "Todos vão falar que os empresários vão ser sacrificados", disse Buarque. "Coisa nenhuma. A ida desses pais à escola vai trazer uma vantagem tão grande para o Brasil inteiro pela educação das crianças que os empresários também se beneficiarão. E o Brasil inteiro. Educação ajuda não só os que são educados. Ajuda todos que moram no país ou até no mundo inteiro", completou.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.