resgate cultural

Clássico de Monteiro Lobato em edição de luxo

Os clássicos recuperam as primeiras ilustrações a dar forma ao universo de Narizinho, Pedrinho e Emilia

15:30 · 27.11.2015
Com o lançamento de Caçadas de Pedrinho, a Biblioteca Azul segue com a publicação da obra infantil de Monteiro Lobato em edições especiais que recuperam as primeiras ilustrações a dar forma ao universo de Narizinho, Pedrinho e Emilia.
 
Como em todos os livros de Lobato, é a partir de uma brincadeira de crianças que o mundo se abre em aventuras incríveis, seres imaginários, A capacidade de observação e de construção desse universo fez de Lobato o pai da literatura infantil brasileira e com ele as crianças ganharam definitivamente um lugar de honra nas narrativas nacionais. A publicação desses livros é um reiterado convite aos pais, muitas vezes saudosos dessa aventura, para revivê-las e angariar novos leitores para a aventura.

A importância aferida por Lobato aos ilustradores inaugura uma nova fase na história do mercado editorial brasileiro. Ao escolher os artistas, pautar as ilustrações e apostar na criação conjunta das personagens, ele torna os ilustradores parceiros no em seu maior empreendimento, esse de criar um imaginário que foi definitivo para sucessivas gerações.

Além de Jean Gabriel Villin e J.U. Campos, apresentados na edição especial de Reinações de Narizinho, as ilustrações de André Le Blanc e Kurt Wiese acompanham essas emocionantes caçadas. Wiese, que ilustrou a primeira edição de Caçadas de Pedrinho não apenas foi um aventureiro do qual pouco se sabe sobre a passagem no Brasil, como foi responsável pelas ilustrações de clássicos infantis internacionais como Bambi, de Felix Salten, e O livro da selva, de Ruyard Kipling, antes das representações de Walt Disney.

Para quem reencontrar as histórias de sua infância ou apresentar um clássico da nossa literatura infantil às novas gerações, a nova edição de Caçadas de Pedrinho é um convite para descobrir o prazer da leitura com as palavras de um mestre.

Sobre o autor

Monteiro Lobato (1882-1948) é um dos maiores autores de nossa literatura. Sempre abordando temas de cunho universal dentro de uma perspectiva brasileira, Lobato fez desta mistura um cenário cheio de frescor e com o colorido das tradições locais e, por isso, permanece atual não só porque traz à tona debates sociais urgentes em nossa sociedade, mas também porque incorpora um tratamento de estilo, que se mantém eterno. Dentre suas principais obras, todas publicadas pela Globo Livros, estão clássicos como Urupês, Cidades mortas, Negrinha, Contos completos, entre outros, sem contar toda a produção infantojuventil.

Os ilustradores

K. Wiese (1887-1974) embora existam poucos registros pela passagem do o alemão Kurt Wiese pelo Brasil, sua vida parece ter sido aventureira como as histórias de Lobato. Wise nasceu em Minden, na Alemanha, e muito jovem viveu e viajou pela China durante seis anos, trabalhando como comerciante, até que eclodiu a Primeira Guerra Mundial e ele foi capturado pelos japoneses. Passou cinco anos preso, parte desse tempo na Austrália. Parece que quando foi solto lá, se interessou muito pela vida dos animais selvagens e começou a desenhá-los. Wiese ilustrou várias obras infantis importantes pelo mundo, como o livro original de Bambi e O livro da selva. Não encontramos registros de como veio parar no Brasil, e nas biografias estrangeiras, Lobato sequer é citado. No entantro, Wise ilustrou a primeira versão de As caçadas de Pedrinho – quando ela ainda se chamava A caçada da onça.

André Le Blanc (1921-1998) nasceu no Haiti, mudou-se para os EUA ainda criança. Começou a desenhar revistas em quadrinhos. Casou-se com uma brasileira e teve uma passagem bastante produtiva pelo Brasil. Fez a série Edição Maravilhosa, que trazia versões ilustradas de clássicos da literatura brasileira, como Guarani e Iracema; foi um dos primeiros professores no MAM-R J e ilustrou toda a obra infantil de Monteiro Lobato, com exceção de Os doze trabalhos de Hércules. Ao voltar para Nova York, sua relação com os quadrinhos. Trabalhou com artistas como Will Eisner (The Spirit), Sy Barry (Fantasma), Alex Raymond (Flash Gordon) e para o estúdio de Hannah Barbera, entre outros.

Jean Gabriel Villin (1906-1979) nasceu em Amiens, na França. Estudou na Escola de Desenho Bernard Palisay, em Paris. Veio morar no interior de São Paulo em 1925, e dois anos depois mudou-se para a capital para trabalhar no Departamento de Educação como desenhista. Dedicou-se, também, à publicidade. Pelos anos 1929-1930, começou a ilustrar livros de Monteiro Lobato, com quem que teve uma longa convivência.

Jurandir Ubirajara Campos (1903-1972) nasceu em São Paulo foi para os Estados Unidos onde se tornou desenhista do New York Times. Quando voltou ao Brasil em 1930, contribuiu para a implantação de uma nova arte a serviço da propaganda. Monteiro Lobato era seu sogro e um dos grandes incentivadores do artista.

Serviço:

Título:  Caçadas de Pedrinho   
Autor:  Monteiro Lobato
Ilustrações:  Jean Gabriel Villin e J.U. Campos, André Le Blanc e Kurt Wiese 
Páginas:  168                                        
Formato: 16 cm x 23 cm
Gênero: Literatura infantil
ISBN: 978‑85‑250‑6089-1
Preço: R$ 44,90
Editora: Biblioteca Azul

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.