segurança

Atenção redobrada na hora de comprar roupas infantis

Saiba o que observar na hora de comprar roupa para as crianças para evitar acidentes

11:40 · 07.10.2015 / atualizado às 12:06
roupa infantil
Atenção com os enfeites das blusinhas

Dia das crianças chegando e uma opção muito útil e prática para presentear as crianças são as roupinha da moda. Só de imaginar seu filho dentro delas, as mamães ja se derretem todas e a experiência pode ser bem emocionante e divertida.

Mas muitas vezes a emoção do momento faz muitos adultos esquecerem de observar itens importantes nas peças, como o conforto, a qualidade e a segurança. Por isso, na hora de comprar roupas infantis, nunca devemos deixar de prestar bastante atenção em cada detalhe.

Para tranqüilizar os pais e diminuir o número de acidentes, em maio deste ano a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) adotou normas de segurança para a confecção de vestuário infantil no País, numa parceria com a ONG Criança Segura, Inmetro e órgãos que regulamentam o mercado de confecção têxtil brasileiro.

A segurança da roupa infantil anda de mãos dadas com a qualidade e o conforto. Tecidos feitos com fibras sintéticas, além de oferecer risco de alergias e irritações na pele, podem ser inflamáveis, tornando a roupa um perigo em potencial para a criança. Os aviamentos como zíperes, botões e enfeites em geral, quando são de qualidade, dificilmente irão quebrar causar arranhões ou ferimentos ou soltar partes pequenas que podem ser engolidas. As roupas que têm cordões fixos e ajustáveis, botões, zíper, capuz, aviamentos termocolantes, como pedrinhas e lantejoulas, velcros e bordados, precisam ter uma atenção dobrada. Alguns acessórios aparentemente inofensivo como cordões, por exemplo, podem ser um perigo. Eles podem prender em um brinquedo do parquinho, ou enroscar na porta do carro, ônibus, ou bicicletas, podendo causar acidentes graves.

Para Cris Sales, estilista de moda infantil da Kokid Kids, os pais precisam estar atentos, por exemplo, se as calças têm zíper com forro de tecido por dentro, para proteger a pele da criança, e verificar se botões de camisas e enfeites estão bem firmes, com costuras reforçadas, para evitar que a criança consiga soltá-los e engoli-las. Cris  alerta, ainda, que a própria matéria-prima dos tecidos deve ser conferida dentro da loja. “Alguns materiais sintéticos, como o poliéster, podem provocar alergia em crianças que tenham sensibilidade”.

Os tecidos precisam ser leves e maleáveis para garantir a mobilidade de meninos e meninas, fator a ser considerado principalmente na compra de peças em jeans, na visão da estilista. “A roupa precisa ser confortável, não pode ser áspera, dura ou pesada, como sabemos que alguns jeans da moda adulta são. A criança precisa brincar, pular, correr como toda criança faz”.
 
Confira em detalhes o que as normas da ABNT dizem (NBR 16365/2015 ):
 
- Zíper: não deve ter abertura no puxador e precisa vir acompanhado de forro em tecido, protegendo por dentro a pele da criança. Opuxador sem abertura evita que, em caso de a criança colocar o zíper na boca, ela o enganche em algum dente e corra o risco de arrancá-lo.
 
- Botões e outros enfeites pequenos: precisam estar bem presos para que a criança não consiga arrancar e engolir, ou mesmo sofrer asfixia com o objeto preso na garganta.
 
- Cordão: devem ser curtos, com ajustador e proteção nas extremidades, para evitar que o fio fique preso em brinquedos, escadas rolantes ou mesmo em portas de carros.
 
Dica da Especialista: Para crianças com idade entre 02 e 06 anos, Cris Sales aconselha os pais a priorizarem a compra de calças, bermudinhas e shortinhos que possuam elástico no cós. “A criança vai usar a peça por mais tempo. Oelástico compensa o aumento de medidas, já que nessa fase o corpo cresce rápido”, explica.
 
SAIBA MAIS
 
Para mais informações basta acessar o site criancasegura.org.br

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.