Febre aftosa

Vacinação tem 2ª fase encerrada

A campanha foi encerrada em todo o Estado, sendo que o Cariri deve ter atingido acima de 95% da meta

00:00 · 20.12.2015 por André Costa - Colaborador
Image-0-Artigo-1987569-1
Até o início do mês, cerca de 330 mil bovinos, de um total de quase 399 mil, tinham sido imunizados, o que representava pouco mais de 82% ( Foto: Natinho Rodrigues )

Juazeiro do Norte. A segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa foi encerrada nesse sábado em todo o Estado. Inicialmente prevista para ir até o dia 2 de dezembro, a Secretaria da Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa), com autorização do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), adiou o prazo em duas semanas para que a meta de 95% fosse cumprida. Na região do Cariri, o tempo extra de vacinação obteve resultados positivos. Até o início do mês, cerca de 330 mil bovinos, de um total de quase 399 mil, tinham sido imunizados, o que representava pouco mais de 82% do total na região. Após duas semanas, este índice saltou para 92%, com 365.801 imunizações.

Superação

O gerente de sanidade animal da Agência de Defesa Agropecuária (Adagri) e coordenador da campanha, Joaquim Sampaio, ressalta, no entanto, que o percentual pode superar a casa dos 95% ao fim do prazo da comprovação, que encerra-se no próximo dia 3 de janeiro. A diferença no índice pode ser explicada devido à morosidade com que os criadores declaram a vacinação à Agência de Defesa Agropecuária (Adagri), órgão responsável pela campanha. "Muitos pecuaristas até compram a vacina dentro do prazo, mas demoram dias para declarar a quantidade do rebanho imunizado", disse.

Além do escritório da Adagri, os criadores podem declarar a vacinação nos escritórios da Empresa de Assistência Técnica de Extensão Rural do Ceará (Ematerce) e em prefeituras conveniadas à campanha. A declaração garante ao produtor o trânsito livre de seus animais para outros municípios e até para fora do Estado. Os pecuaristas que não cumprirem o prazo estabelecidos, estarão passíveis de multa no valor de R$ 16 por cada animal não vacinado ou declarado, além de ficarem impedidos de tirarem a Guia de Trânsito Animal (GTA).

Resultados

Atualmente, existem cerca 398.270 bovinos na região do Cariri. Em outras campanhas, a região obteve bons resultados, sempre atingido a meta estabelecida pelo governo do Estado. "O Cariri tem sido uma das melhores regiões do Estado em termos de percentual, sempre superando o índice de 95%". No ano passado, o Ceará foi reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como zona livre internacional de febre aftosa. Apenas Amapá, Roraima e parte do Amazonas ainda não possuem esta condição sanitária. Santa Catarina é o único Estado com status sem a vacinação.

Os países estabelecem resistentes bloqueios à entrada de animais vulneráveis e seus produtos provenientes de regiões com ocorrência da doença. Tais bloqueios acarretam efeitos negativos sobre a pecuária e toda a economia do País. Isto explica o desejo do governo em tornar todas a federação livre da febre aftosa.

A doença é viral, de alto contágio e pode ser transmitida por meio de contato direto com o animal, ou por alimentos, água e veículos onde são transportados. Ela causa febre e aftas na boca e pés dos animais. A prevenção da ocorre por meio de vacina, aplicada duas vezes por ano. Bovinos e bubalinos a partir de um ano de idade devem receber a dose de 5 ml.

Mais informações:

Adagri - Fortaleza

Telefone: (88) 3101-2500

Adagri - Juazeiro do Norte

Telefone: (88) 3523-7832

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.