Etanol em destaque

Usina Cariri I sem data para operação

Unidade passa ainda por modernização, ao mesmo tempo em que a Usina Cariri II já foi inaugurada

00:00 · 05.04.2015
Image-0-Artigo-1827419-1
Os investimentos visam modernizar o maquinário antigo da Usina Manoel Costa Filho e reaproveitá-lo ( foto: Elizângela santos )

Barbalha. A Usina Cariri I, em Barbalha, ainda não teve suas atividades iniciadas. A produção de cana-de-açúcar na região deve se intensificar somente no fim do segundo semestre na região. O grupo que adquiriu a empresa da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), ainda no final do ano passado, vai priorizar a produção de etanol para comercialização no Estado.

Os investimentos para o parque agroindustrial ainda estão sendo levantados, já que grande parte do maquinário antigo, da Usina Manoel Costa Filho, será reaproveitado. A tecnologia e os investimentos em cultivares de cana geneticamente melhorados em laboratório do Ceará serão utilizados para os novos plantios de cana na região. A perspectiva de cultivo inicial é de 6 mil hectares.

A usina foi adquirida pela Adece em 2013, por meio de leilão, no valor de R$ 15,4 milhões. Após mais de um ano, a agência estadual conseguiu negociar com o grupo de empresários de vários estados, incluindo proprietários japoneses, que irão incorporar novas tecnologias para segmento no Ceará.

A meta de investimentos para consolida o parque industrial com maquinários modernos é de R4 170 milhões, conforme levantamentos iniciais feitos pelo estado cearense.

Álcool

Com a meta de produzir, ainda neste ano, cerca de 6 milhões de litros de etanol para comercialização no Estado do Ceará, foi inaugurada, na manhã da última quinta-feira, a Usina Cariri II, em Ubajara. O antigo Engenho São Francisco Ltda. Foi vendido por R$ 24 milhões ao mesmo grupo de empresários que adquiriram a Usina Manoel Costa Filho.

A produção de álcool vai ocorrer a partir de setembro, com a moagem da primeira produção, inclusive com inovação na área produtiva, inserindo cultivares de cana geneticamente modificadas, no intuito de dinamizar a produção. Produtores, engenheiros e agrônomos estiveram presentes na reunião que marca a retomada da produção de álcool no Estado. A finalidade dos produtores é proporcionar uma queda significativa do preço do combustível nos postos do Ceará, com um produto mais acessível e consequente redução da carga tributária.

Segundo o diretor comercial da agroindústria, Henrique Paulo Santana, a meta é proporcionar um momento de debates com os produtores e engenheiros da Bioclone, empresa cearense responsável pelo melhoramento genético da cana que será cultivada no Ceará. Eles foram esclarecidos de todos os detalhes relacionados às formas de produção, solo adequado, vantagens, e o tempo de plantio, que irá favorecer a dinamização do setor.

Agenda

No Cariri, Henrique Santana disse que a agenda também depende do Governo do Estado, já que ainda faltam alguns detalhes burocráticos a serem concluídos. A Usina Cariri I está paralisada há uma década. Após a negociação com os novos proprietários, o local passou apenas por uma limpeza e os equipamentos estão sendo avaliados.

Outro fator importante, segundo Henrique, é que o grupo pretende investir em tecnologia para aprimorar a produtividade e poder proporcionar álcool de primeira qualidade para ser comercializado no Ceará. Atualmente o produto consumido no Estado é comprado em São Paulo e a incidência de impostos, conforme ele, onera muito o etanol. Pretende-se chegar a uma queda de preço significativa, podendo alcançar a meta de R$ 1,00 a menos nas bombas. "Queremos dominar o mercado no Estado e sermos autossuficientes na produção local", afirma.

No Cariri vêm sendo realizados estudos para o máximo de aproveitamento do maquinário antigo e a substituição de grande parte dos equipamentos. Os funcionários antigos da Usina Manoel Costa Filho estão sendo consultados quanto à utilização das velhas engrenagens.

A pretensão é ampliar ao máximo o plantio com as novas variedades de cana-de-açúcar no Cariri e na região de Ubajara. Será usada, este ano, uma quantidade de cana-de-açúcar considerada pequena para o diretor comercial, mas que marca o começo de um novo momento na produção de álcool no Estado. Estão sendo cultivados mais de 60 hectares de cana para a produção no segundo semestre.

No Cariri os novos plantios já direcionados à moagem no ano de 2016 serão a partir de outubro deste ano. A área de cultivo será inicialmente de cerca de 6 mil hectares. Para isso, os produtores serão convidados a aderir ao novo momento de produção de cana na região. A usina irá adquirir o produto cultivado no Cariri, além de plantar uma área de pelo menos 3 mil ha, de todo o montante previsto. 

Mais informações:
Usina Cariri - Rodovia CE - 060
Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Barbalha
Rua Adão Apolinário,106
Telefone: (88) 3532.1189

Elizângela Santos
Colaboradora

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.