Comercialização de automóveis

Usados são alternativa para mercado desaquecido

Com maior mercado de automóveis do Interior do Ceará, a cidade comercializa até para os Estados vizinhos

00:00 · 20.03.2016 por André Costa - Colaborador
Image-0-Artigo-2031834-1
Se o comércio de carros zero Km está em baixa, o mesmo não se pode dizer dos automóveis seminovos, de até três anos de uso ( Fotos: André Costa )
Image-1-Artigo-2031834-1
Esse aquecimento dos seminovos e usados ocorre em todo o País, com vendas crescendo mais de dois dígitos. De acordo com dados da Fenauto, janeiro e fevereiro deste ano representam, juntos, alta de 24,2%

Juazeiro do Norte. Após ter se estagnado, em 2015, na quarta posição no ranking global de vendas de veículos, com cerca de três milhões de unidades comercializadas, o Brasil caiu três posições no fim do ano passado, devido à retração na economia. A queda, em termos porcentuais, foi de 27%, o segundo pior desempenho do mundo, melhor apenas que o da Rússia. Esse declínio nas vendas dos carros novos foi sentido, também, neste Município.

Com maior mercado de automóveis do Interior do Ceará, a cidade, que comercializa carros para Estados vizinhos, como Pernambuco e Paraíba, conta, atualmente com aproximadamente 18 concessionárias e aproximadamente 25 revendedoras. A maioria delas, surgidas na última década.

Entretanto, de acordo com o vendedor Fábio Braz, "a crise que atingiu duramente a venda de carros em todo o País também prejudicou Juazeiro do Norte". A meta mensal, que outrora chegava a 110 unidades, regrediu para 40 veículos. "A própria Volkswagen reconhece as dificuldades financeiras do Brasil e diminuiu consideravelmente nossa meta", ressalta.

Fábio Braz destaca, no entanto, que 2016 teve início mais promissor do que o segundo semestre do ano passado. "Nos dois primeiros meses deste ano as vendas foram melhores do que todo o segundo semestre de 2015. Batemos a meta em janeiro e fevereiro, ainda que ela tenha sido reduzida", disse o vendedor de automóveis.

Ele acredita que, gradativamente, a comercialização pode ganhar novo fôlego neste ano. "Tudo depende da Economia como um todo. Se a crise perder força, consequentemente nós iremos voltar a vender. Juazeiro do Norte tem uma posição de destaque nesse meio", acrescenta Fábio.

Os consumidores de Estados vizinhos também são vistos, pelas concessionárias, como importantes impulsionadores nas vendas. As condições de pagamentos, preços diferenciados e a capilaridade de lojas que reúnem as mais diversificadas marcas, atraem compradores de cidades adjacentes. "Apesar da Volkswagen ter aberto revendedoras na Paraíba e em Pernambuco, consumidores de outros centros, que por algum motivo flutuam por Juazeiro, acabam sendo potenciais clientes, o que nos ajuda bastante", observa Fábio.

Alternativa

Se o comércio de carros zero Km está em baixa, o mesmo não se pode dizer dos automóveis seminovos, de até três anos de uso. As concessionárias juazeirenses estão apostando nesse mercado que, com preços mais em conta, têm atraído os consumidores. O gerente de vendas da Graje Veículos, José Filho, pondera que, mesmo diante da crise financeira, "as vendas não foram reduzidas". "Obviamente tivemos que nos adequar e cortar algumas despesas, mas não tivemos grandes reduções no ano passado. Já neste ano, as vendas não estão ruins", concluiu o gerente da concessionária que há 13 anos se dedica, exclusivamente, à venda de seminovos.

Recém-formado, o biomédico Bruno Leal conta que, após pesquisar o preço de vários carros, optou por um seminovo. "A diferença de preço é grande e bem mais difícil financiar um veículo zero. Então, depois de pesquisar em alguns concessionárias, encontrei um que a parcela cabe no meu bolso e com estado de conversação semelhando ao zero", pondera.

Esse aquecimento dos seminovos e usados ocorre em todo o País, com vendas crescendo mais de dois dígitos. De acordo com dados da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), janeiro e fevereiro deste ano, representam, juntos, alta de 24,2%, com 666.509 unidades vendidas - incluídos carros, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas.

Frota

Segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE), o triângulo Crajubar, composto pelos municípios de Crato, Barbalha e Juazeiro do Norte, possui 168.822 veículos. Somente Juazeiro, responde por quase 106 mil veículos, dos quais 33.860 são automóveis, o que representa um crescimento de três mil unidades em comparação ao ano passado.

Com sucessivos crescimentos da frota de veículos no Estado, superando Fortaleza e o próprio Estado como um todo, o Detran já reconsidera a estimativa feita em 2013, quando esperava-se algo em torno de 300 mil veículos até o ano de 2020.

Para explicar o tal crescimento, Paulo Ernesto Serpa, da gerência do Núcleo de Imprensa e Comunicação do Detran, destacou a economia pujante do Município: "Juazeiro do Norte é o principal polo de atração do Cariri, com a convergência de organizações nas áreas da indústria, comércio, bancária, ensino superior, impulsionada pelo turismo religioso, em função do que representa Padre Cícero para as populações que habitam os Estados da Região Nordeste".

Com uma maior quantidade de veículos circulando nas artérias da cidade, a diretora de Planejamento do Detran, Lorena Moreira, observa que o órgão é requerido para solução de problemas como congestionamento, falta de estacionamento, elevação de infrações e exigência de melhorias em sinalização.

"Nós estamos atentos a este crescimento e auxiliando a atuação constante do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran). É esse órgão de trânsito que gerencia o fluxo de veículos, implanta a sinalização horizontal e vertical; implanta semáforos; e opera os projetos de engenharia, educação e fiscalização.

O Detran do Ceará, por sua vez, cuida do registro de veículos e da emissão de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além da fiscalização nas rodovias estaduais e nas vias urbanas, abordando os condutores de veículos, para conferir os documentos de licenciamento e de habilitação", explicou Lorena.

Paulo Ernesto ressaltou que, devido ao elevado número na frota de veículos da região, "a Unidade Regional de Juazeiro do Norte ganhará nova sede, com o dobro da atual área coberta, em construção no Distrito Industrial do Cariri, onde já está em funcionamento a pista de exame de direção; e está em construção a Escola de Educação para o Trânsito, a terceira do Ceará. As outras duas estão em Fortaleza e Sobral".

De acordo com as estatísticas oficiais do Detran-CE, no fim dos anos 2000, Juazeiro tinha frota de 17.995 veículos, enquanto o Estado, no geral, possuía frota de 633.871. Cinco anos mais tarde, a do município cresceu 68,73%, superando o crescimento de Fortaleza (31,86%) e do Ceará como um todo (51,76%).

Nos cinco anos seguintes, entre 2005 e 2010, o crescimento da frota de veículos do Juazeiro foi ainda maior. Em dezembro de 2010, o quadro da frota no Estado era 1.706.3671 veículos, ao passo em que Juazeiro do Norte já atingia a marca de 62.411 veículos. Um crescimento de 105,55%. O Ceará cresceu 77,39%. No fim do ano de 2015, a frota em Juazeiro atingiu a marca de 105.483 veículos, dos quais 33.860 automóveis e 57.970 motos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.