Novos roteiros

Tour inclui terra do 'Rei do Baião'

Visitantes e moradores contam com passeio indo até Pernambuco, na cidade onde nasceu Luiz Gonzaga

00:00 · 06.03.2016
Image-2-Artigo-2026000-1
O roteiro inclui vários atrativos que remetem a Luiz Gonzaga, destacando-se o Museu onde está reunindo importante acervo do artista ( Fotos: Elizângela Santos )
Image-1-Artigo-2026000-1
A Casa de Januário (Parque Asa Branca) foi construída por Luiz Gonzaga, que trouxe o seu pai da Fazenda Araripe para ficarem próximos

Crato. Novos roteiros de turismo no Cariri têm sido a pedida para visitantes e moradores da região, que decidem se embrenhar pelos caminhos das riquezas naturais, culturais e história da região. São diversas formas do fazer passeios hoje acessíveis, incluindo veículo caracterizado. Antes disponível na área do Geopark Araripe, em seis municípios do Cariri cearense, a viagem pode se tornar mais ampla e com gostinho saudoso do xote e forró de "Seu Lua".

O roteiro para Exu, terra do Luiz Gonzaga, cidade do interior do Pernambuco, mas bem próxima ao Cariri, está na área da Chapada do Araripe. Eram constantes as idas e vindas do artista ao sul cearense. Pela mesma rota, a oportunidade de conhecer um pouco da história do cantor que se tornou um símbolo da nordestinidade.

Incluído, em fevereiro deste ano, na lista dos espaços mais procurados para visitação na área da Chapada, a Associação dos Guias de Turismo do Cariri (AGturc) e o hotel Iu-á aguardam os primeiros a se habilitarem na inauguração da rota.

Image-0-Artigo-2026000-1

O Mausoléu do Gonzagão abriga os restos mortais de Luiz Gonzaga e de alguns de seus familiares, como da sua esposa Helena e dos seus pais, Ana Batista e Januário 

Acréscimo

Segundo a guia de turismo Ravena Monte, mesmo não sendo considerado território do Geopark Araripe e muito menos no Ceará, há uma grande proximidade cultural, e tem sido muito requisitada e marcada por uma relação muito forte com o Cariri. As canções do 'Rei do Baião' que o digam. Desde o "Viva meu Padim" ao "Cratinho de Açúcar", o carinho poético de Gonzaga era marcante pela região.

O projeto dos roteiros foi iniciado em setembro de 2014, com as outras trilhas envolvendo o território do Geopark Araripe, que neste ano completa dez anos de projeto e foi o primeiro criado nas Américas.

No começo, a previsão era de dez passeios para um ano, mas a meta foi obtida em pouco mais de três meses. "Para nós foi uma surpresa muito grande e só tem crescido", diz Ravena. Hoje, a marca ultrapassa mais de 100 passeios pelo território.

O veículo para a aventura nas terras do 'Cariri' e sertão pernambucano é um "doblossauro", e traz uma réplica de pterossauro. Acaba sendo, segundo Ravena Monte, uma propaganda dele mesmo. "A gente realiza alguns passeios e têm pessoas que se sentem atraídas pelo carro e seguem a equipe para pedir informações", frisa. Os meses de junho e julho são os mais procurados para os agendamentos, por conta do período de férias.

Curiosidade

Os roteiros são perseguidos não apenas pelos turistas que chegam à região, mas os próprios moradores que querem conhecer mais de perto as particularidades do território.

O hotel é corporativo e recebe muitos turistas. Normalmente, as pessoas vêm para outros compromissos no Cariri, e ficam surpresas com a exposição temática no hotel, com a cultura e riquezas naturais. "Com isso, prometem voltar ao Cariri para conhecer melhor", explica.

O empreendimento foi o único no Ceará e um dos sete no Nordeste a obter o reconhecimento como o 18º melhor hotel do Brasil, pela TripAdvisor, escolha baseada nas avaliações de usuários. O ranking é de janeiro do ano passado. Ancorado na regionalidade, as dependências do empreendimento hoteleiro contam com um espaço destinado ao Geopark Araripe e um mini museu, com peças cedidas por meio de empréstimo pelo Museu de Paleontologia de Santana do Cariri. A opção pela regionalidade e o desenvolvimento sustentável são destaques que chamaram a atenção.

O hotel temático conta com trabalho de artesanato regional, a exemplo de obras do Mestre Noza, além da sala com fósseis de milhões de anos. Desde que o empreendimento iniciou suas atividades na região que foi firmada parceria com o Geopark.

Os roteiros podem ser marcados de acordo com a disponibilidade do turista e a distância. Ravena explica que para as pessoas que preferem ver a parte mais científica do Geopark, além de Santana do Cariri é inserida Nova Olinda. São cidades bem próximas e dá, segundo ela, para fazer o roteiro durante o dia inteiro. No local, são visitados pontos como o Museu do Couro, a loja do mestre Espedito Seleiro, além da Ponte de Pedra e a Fundação Casa Grande.

Mas esse trajeto é ampliado para os visitantes que querem conhecer a área da Colina do Horto, com a parte da religiosidade, além de pontos culturais, como o Centro de Cultura Mestre Noza e a Lira Nordestina.

Surpreendente

"As pessoas ficam surpresas por não ter conhecimento da riqueza regional, com os achados histórico-culturais e científicos. Normalmente quando se fala em turismo no Ceará, elas remetem às praias. No Interior ainda não é tão divulgado como merece", afirma Ravena.

Com todos os aspectos positivos, ela destaca a necessidade de maior estrutura para as áreas, o que vem sendo implementado com as novas reformas realizadas recentemente nos geossítios, conforme o coordenador, Idalécio Freitas. Os investimentos valorizam ainda mais a área, segundo ele.

O Geopark, que agora comemora o seu segundo Selo Verde, aprovado pela Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (Unesco), é considerado, por isso, como território internacional.

No Horto, pode ser encontrada a formação rochosa do cristalino, com mais de 400 milhões de anos, onde está localizado o monumento do Padre Cícero. Também podem ser visitados pontos em Barbalha, como o Riacho do Meio, onde está localizado mais um geossítio; e, em Missão Velha, a área da Cachoeira e floresta petrificada.

Transporte

Para cada passeio, estão disponíveis quatro vagas no doblossauro. Caso familiares queiram acompanhar o grupo, em carro próprio, não tem valor adicional. Se for outro grupo, é cobrada uma taxa, bem abaixo do preço normal.

Para o roteiro de Exu, são pouco mais de 92 quilômetros de percurso, e oito horas de trajeto, com parada de uma hora para almoço, passando por locais que lembram a história e trajetória musical do cantor e compositor Luiz Gonzaga.

Na cidade pernambucana, são visitados locais como o Museu de Luiz Gonzaga e o Parque Asa Branca, Sítio Araripe, com a casa que o cantor, quando voltou para o sertão e encontrou o seu pai, Januário; e o monumento levantado em cima do local onde era a casa onde ele nasceu.

Também pode ser degustado um licor caseiro nas proximidades. A gastronomia local é bem-vinda aos apreciadores do cozido de bode e até mesmo a regionalíssima buchada.

O roteiro está disponível todos os dias, a partir das 8 horas. Os interessados podem sair direto do hotel, ou mesmo marcar o local de onde poderão iniciar o passeio. Todas as viagens contam com um guia, que fornece as informações e orientações a respeito das áreas visitadas. São quatro disponíveis no hotel para diariamente realizarem esses serviços. Para vivenciar o roteiro de Exu, o passeio é R$ 320, com até quatro pessoas. (E.S.)

Mais informações:

Hotel Iu-á e AGturc

Rua Arnóbio Bacelar Caneca, 800

Lagoa Seca

Juazeiro do Norte

Contato e reservas: (88) 3102.7777

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.