Segurança pública

Santana do Cariri convive com o aumento da criminalidade

O medo de assaltos não ocorre apenas nas áreas urbanas. A insegurança chegou fortemente à zona rural do Município

00:00 · 01.05.2016
dsada
Comerciantes atender a clientela pelas grades com medo de assaltos ( Fotos: Elizangela Santos )
thr
Em vista da frequência de roubos e assaltos, os comerciantes estão trabalhando apreensivos na cidade, ameaçando até fecharem os seus estabelecimentos comerciais para não serem as próximas vítimas

Santana do Cariri. Nem mesmo os municípios de menor movimentação no Cariri estão livres da falta de segurança e dos assaltos que podem ocorrer até na zona rural. A falta de infraestrutura e recursos humanos da Polícia reflete ainda mais na insegurança dos moradores.

Em Santana do Cariri, não há sequer um telefone para contato com o destacamento da Polícia Militar, além da ausência de uma delegacia, que há cerca de cinco anos foi iniciada a construção e não chegou a ser concluída. Os presos são levados para a cidade de Altaneira, por falta de estrutura, e apenas três homens fazem a segurança, com uma viatura. A crescente onda de violência no município de Santana do Cariri está deixando a população insegura e com medo. Os assaltos ocorrem em plena luz do dia, em qualquer lugar.

Apreensão

Os comerciantes estão trabalhando apreensivos na cidade, ameaçando até fecharem os seus estabelecimentos para não serem as próximas vítimas. Donas de casas, trabalhadores rurais e profissionais liberais relatam que depois que os assaltantes chegaram para a prática destes delitos, as pessoas temem até estar andando pelas ruas e serem assaltadas.

A dona de casa Maria Pereira da Silva afirma nunca ter visto uma onda de violência tão grande quanto a que está havendo agora em Santana do Cariri. "Estamos com medo até de sair de casa para ir ao comércio, porque eles estão assaltando as pessoas em aqui qualquer hora do dia. Isso é revoltante, não termos sequer segurança", afirma.

Ela afirma que antes a cidade era pacata e atualmente tem acontecido assaltos a residências, posto de combustível e as pessoas que estão nas ruas. Para ela, está faltando uma ação mais enérgica das polícias, tanto civil como militar, para tentar inibir os assaltos.

"Não vemos sequer uma blitz diária sendo feita nas entradas e saídas da cidade, tanto em direção ao Estado do Pernambuco, onde o Município tem limite, quanto para a cidade de Nova Olinda", lamenta.

O servidor público estadual José Macário de Lima enfatiza que a insegurança está sendo uma preocupação constante da população, tendo em vista que as pessoas estão desprotegidas, tanto quem mora na sede do Município como quem reside na zona rural, pois Santana do Cariri tem cinco grandes distritos e uma área de mais de 900 km², e, em função disso, os assaltantes, devido a fragilidade da Polícia agem deixando a população temerosa. "É muito insignificante o efetivo policial que há em Santana do Cariri. É necessário que o governo do Estado aumente o número de policiais para melhor dar segurança aos mais de 17 mil habitantes. Estamos sendo reféns do medo", relata.

Fragilidade

No período de festas, a incidência de assaltos pode aumentar, segundo o sub-tenente Ariovaldo Ferreira dos Santos, de Santana do Cariri. Ele justifica os pequenos assaltos que ocorreram nos últimos dias por uma festa ocorrida na vizinha cidade de Nova Olinda. Mesmo assim, reconhece os problemas de fragilidade na segurança, mas destaca que a cidade ainda é um lugar tranquilo.

O sub-tenente diz que as ocorrências estão, com isso, relacionadas a fatos isolados. Além de um posto de gasolina, foram efetuados alguns roubos de celulares. Há cerca de 15 dias, dois homens em uma moto levaram R$ 200 de um posto de combustíveis da cidade. Os ladrões foram perseguidos, mas não chegaram a ser presos.

Na hora da ocorrência, o sub-tenente afirma que a única viatura existente na cidade, de pouco mais de 17 mil habitantes, havia sido solicitada para atender a uma ocorrência num dos distritos de Santana do Cariri. Com isso, houve tempo suficiente para a fuga dos ladrões.

Facilidades

As diversas estradas vicinais, por dentro da Chapada do Araripe, acabam facilitando a saída dos assaltantes. Esses caminhos foram muito utilizados para o tráfico de drogas, proveniente de outros Estados, principalmente de Pernambuco. No entanto, com a presença de um posto avançado da Polícia Federal em Juazeiro do Norte essa prática criminosa foi contida.

Outros problemas, no entanto, acontecem sem uma repressão à altura, embora o policiamento tenha sido reforçado em áreas do Centro, até porque os equipamentos, como o Banco do Brasil, Correios e uma agência lotérica ficam próximos.

O agricultor Francisco Roberto da Silva afirma que a insegurança em Santana do Cariri está preocupando todos os trabalhadores rurais, pois até a zona rural está sendo área de atuação dos assaltantes que estão roubando durante o dia.

O integrante do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Município, Francisco Cardoso, afirma que a cidade realmente tem passado por esses problemas de violência e tem recebido várias reclamações na rádio em que trabalha. "As pessoas estão com medo de sair na rua e querem que seja tomada uma providência", diz.

Já a comerciante Zumira Gomes da Silva, há mais de 20 anos com um comércio na cidade, decidiu colocar grades no mercantil, para atender os clientes. "Foi a forma que encontrei para me sentir mais segura", diz. Ela foi vítima de assalto há cerca de dois anos, com o marido no estabelecimento, por dois homens armados e com capacetes. Os proprietários até acharam que era uma brincadeira. Para eles, resta o trauma da insegurança, numa cidade em que a sensação de tranquilidade parecer ser algo do passado.

Santana do Cariri se destaca pelo museu de Paleontologia, que reúne um acervo importante para fortalecer o turismo científico na região. Com o histórico de tráfico de fósseis na cidade e no entorno, o problema da insegurança ganha outro contorno. (E.S) (Colaborou Amaury Alencar)

Mais informações:

Destacamento de Policiamento

Rua Patativa do Assaré

Centro

Santana do Cariri

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.