Início de obras

Saneamento básico atende até 40 mil pessoas no Crato

Cidade sai na frente nos investimentos de infraestrutura, em tempos de restrição de verbas financiadas

22:00 · 17.01.2015 / atualizado às 00:00 · 18.01.2015
Image-0-Artigo-1779671-1
A expectativa é que essa fase da obra seja concluída até junho deste ano ( Fotos: Roberto Crispim )
Image-1-Artigo-1779671-1
O projeto de saneamento, que possui valor global de R$ 210 milhões, receberá do Governo Federal, por meio da Caixa Econômica Federal, cerca de R$ 77 milhões para que as primeiras operações sejam desenvolvidas

Crato. Cerca de 40 mil pessoas deverão ser beneficiadas com o início das obras de construção da rede de esgotamento sanitário e de distribuição de abastecimento de água, que contemplará a primeira parte do projeto de saneamento básico de toda a área urbana na sede deste município. Com previsão de início ainda no primeiro semestre do ano, as obras serão realizadas, neste primeiro momento, nos bairros Independência, Vila Alta, Recreio, Seminário, Casas Populares, Batateiras, Cacimbas e Sertãozinho.

O projeto, que possui valor global de R$ 210 milhões, receberá do Governo Federal, por meio do Ministério das Cidades, pela Caixa Econômica Federal, cerca de R$ 77 milhões para que as primeiras operações sejam desenvolvidas. O recurso destinado para a realização da primeira fase do projeto será utilizado em duas frentes de serviços. Serão gastos cerca de R$ 49,7 milhões para a ampliação da primeira etapa do sistema de abastecimento de água na sede do município. Os outros R$ 27,5 milhões serão destinados para a implantação da primeira etapa do sistema de esgotamento sanitário na cidade. Os processos licitatórios para contratação das empresas que ficarão responsáveis pela realização das obras deverão acontecer durante esta semana. A previsão é de que até o fim deste ano a primeira parte do projeto já esteja concluída.

Pleitos

Técnicos do Ministério das Cidades informaram ao gestor do município, Ronaldo Sampaio Gomes de Mattos (PMDB), que, após a conclusão da primeira fase do projeto, a Prefeitura poderá pleitear novos recursos para que seja dada continuidade às demais etapas do cronograma de instalação do saneamento básico e das novas redes de abastecimento de água nos bairros que formam a cidade. "O projeto é muito grande e, quando concluído, beneficiará toda a população residente na sede do município do Crato. Os recursos para o início das obras já estão garantidos e, ainda nesta semana, realizaremos as licitações para que contratação das empresas que realizarão as obras. A previsão é de que, até maio, os trabalhos já tenham sido iniciados", informou.

Ronaldo Mattos ressaltou, ainda, que além da ampliação do abastecimento de água e implantação do esgotamento sanitário, o projeto pretende solucionar, em definitivo, o problema da diferença de pressão de água entre as residências situadas em ruas mais elevadas. "Ninguém vai mais precisar ficar esperando a madrugada para poder ter água em casa", afirmou. "No futuro, vamos trocar toda a tubulação de água, vamos ter pressões equivalentes e não somente as casas construídas em áreas mais baixas terão água encanada. Hoje também temos muitos canos estourando diariamente. Isso também vai acabar", prometeu o prefeito.

Privilégio

Dentre os três municípios cearenses contemplados com as verbas federais destinadas ao abastecimento de água e saneamento básico, Crato foi o que recebeu o maior montante, com um repasse de R$ 77,2 milhões, enquanto Sobral e Quixeramobim receberam R$ 23,4 milhões e R$ 24,03 milhões, respectivamente.

Para o superintendente da Caixa Econômica Federal (CEF) - Região Norte-Sul, Marcelo Rodrigues, o grande mérito do município foi a elaboração de bons e importantes projetos, o que garantiu o repasse das verbas do Orçamento Geral da União.

"O Crato já tinha feito o seu dever de casa, elaborado seus projetos, aprovado nos órgãos competentes e foi fácil para a Caixa receber esses projetos, fazer a análise e realizar as contratações", disse.

O secretário municipal de Cidade, José Muniz, ressaltou que esta é apenas uma dentre as diversas demandas da população que vêm sendo atendidas ao longo dos últimos anos de gestão. "Nós temos uma cartilha de projetos dentro do nosso município. Nós conseguimos executar mais de R$ 400 milhões em projetos em um ano e meio. Desse volume de recursos, estão em execução R$ 250 milhões em obras em andamento", disse.

Na avaliação de Muniz, a ampliação da rede de abastecimento, bem como a construção da rede sanitária de esgoto na cidade, resultará, em breve, em importantes benefícios à sociedade. "São obras, na verdade, que a maioria das gestões não querem realizar por não serem visíveis aos olhos do eleitorado. No entanto, o impacto social que elas representam é gigantesco. Quando nós falamos de saneamento e abastecimento, nós passamos a discutir questões importantes, como a melhoria da saúde da população, diminuição de internamentos e economia de recursos públicos, por meio da diminuição da compra de medicamentos, que passam a ser desnecessários, a partir da redução de doenças adquiridas pela falta do saneamento e da água tratada ", observou o secretário.

Adutoras

José Muniz explicou que, nesta primeira fase do projeto de saneamento básico em bairros da cidade, serão construídas, além das ligações das redes domiciliares e intradomiciliares, estações elevatórias e estações de tratamento. "Além disso, para garantir o abastecimento, vamos construir adutoras, poços profundos e reservatórios, ampliando a quantidade de redes e de ligações para o recebimento de água encanada. Também serão instalados hidrômetros nas residências que ainda não possuem tal equipamento", ressaltou. Paralela ao projeto que contará com recursos federais para sua conclusão, outra ação vem sendo desenvolvida no município como forma de garantir melhorias no setor de saneamento da cidade. Na Encosta do Seminário, área considerada de risco por conta das inúmeras deficiências apresentadas no local, a primeira etapa das obras de saneamento e reurbanização deverá ficar pronta até o fim deste ano.

A área de voçoroca conhecida como "vulcão" já foi completamente soterrada e os moradores comemoram a realização do trabalho que, segundo afirmam, não esperavam que realmente fosse realizado. A obra tem investimentos de R$ 19 milhões e foi financiada por meio de empréstimo do Banco Mundial.

Mais informações:

Prefeitura Municipal do Crato
Secretaria de Cidades
Largo Júlio Saraiva, S/N
Telefone (88) 3521-9600
Centro

Roberto Crispim
Colaborador

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.