Pau da bandeira

Reconhecimento da festa deve sair em 2015

Ritual festivo de Santo Antônio, em Barbalha, desponta para deter o título de Patrimônio Cultural Brasileiro

22:00 · 28.03.2015 / atualizado às 00:00 · 29.03.2015
Image-0-Artigo-1823201-1
Carregamento transformou-se numa tradição secular e referência de culto ( FOTO: BRUNO GOMES )
Image-1-Artigo-1823201-1
O dossiê nada mais é do que um inventário que irá sintetizar um trabalho longo de levantamentos realizados por historiadores locais

Barbalha. O processo é longo, mas parece chegar ao fim neste ano, com a conclusão do dossiê sobre a Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio de Barbalha. O título parece grande, mas incorpora uma das festas mais tradicionais do Brasil relacionadas ao santo, acompanhada de um ritual que chama a atenção pela dimensão centenária de sua realização, que é o cortejo do mastro da bandeira do santo.

O conjunto poderá se tornar, ainda neste ano, Patrimônio Cultural Brasileiro, com registro no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a depender da aprovação do Conselho Consultivo do órgão, em Brasília.

O dossiê nada mais é do que um inventário, que irá sintetizar um trabalho longo de levantamentos realizados por historiadores locais, pesquisadores de universidades do Estado e técnicos do Iphan, com diversas colaborações e reunião de publicações, depoimentos, além de um vasto acervo fotográfico sobre a festa. Historiadores do órgão estiveram reunidos com o secretário de Cultura de Barbalha, Antônio de Luna, recentemente, para tratar das questões finais referentes ao processo.

Síntese

Segundo a historiadora do Iphan Ítala Byanca o texto monográfico irá sintetizar o inventário. Serão cerca de 150 páginas que irão dar aos membros do conselho uma dimensão da importância do patrimônio cultural. As propostas iniciais são de salvaguarda da festa. Porém, antes de passar pelo Conselho, o inventário será encaminhado ao Departamento de Patrimônio Imaterial, além de passar por um procedimento de consulta pública. Após todo esse processo é que o dossiê finalmente será encaminhado para ser submetido ao conselho.

Quanto ao prazo de ser avaliado ou não este ano, a historiadora do Iphan afirma que haverá ainda cerca de três reuniões. Em média, os membros do conselho se reúnem quatro vezes a cada ano. Isso quer dizer que não faltarão encontros até o final do segundo semestre para avaliar e finalmente ser publicado o reconhecimento. São anos de um trabalho que a cidade aguarda com muita expectativa, segundo o secretário de Cultura, Antônio de Luna.

Multidão

Os levantamentos inserem desde a tradição à representatividade cultural e religiosa do centenário carregamento do pau da bandeira, em Barbalha. A festa se transformou em um dos grandes acontecimentos culturais e religiosos do Estado. Somente no cortejo inicial da festa do pau da bandeira, há uma participação de cerca de 350 mil pessoas.

Um ritual que todos os anos envolve mais de 200 carregadores do pau da bandeira de Santo Antônio. O processo começa com a identificação da árvore que pesa mais de 2,5 toneladas, em média. Cerca de 15 dias antes de começar a festa, acontece o corte da árvore, dentro da mata. O tronco é retirado em torno de 15 dias antes dos festejos, por meio de um corte sustentável e autorizado por órgãos ambientais, para que perca parte da seiva e facilite o transporte. 

Mais informações:
Secretaria de Cultura e Turismo de Barbalha
Rua da Matriz, 25, Centro, Barbalha

Elizângela Santos
Colaboradora

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.