caminhos da fé

Projeto destaca a mística da cidade

Iniciativa objetiva estabelecer roteiro aos templos e monumentos, que ressaltam a religiosidade do lugar

21:00 · 20.06.2015 / atualizado às 00:00 · 21.06.2015
Image-0-Artigo-1876505-1
Monumento erguido à Nossa Senhora de Fátima é o maior do País ( Fotos: Eiizângela Santos )
Image-1-Artigo-1876505-1
O roteiro Caminhos da Fé reúne principais igrejas e monumentos da cidade, tais como a Igreja da Sé, o prédio Histórico do Seminário São José, com 140 anos, além da Congregação das Filhas de Santa Tereza de Jesus

Crato. Com o intuito de fortalecer um roteiro voltado aos templos e monumentos, foi criado neste município o projeto Caminhos da Fé, que vai além de divulgar os eventos religiosos. Há exatamente um ano, a iniciativa foi responsável por entregar um dos maiores monumentos de Nossa Senhora de Fátima já erguidos no Brasil. Apenas a primeira etapa do projeto foi inaugurada, restando toda a parte de infraestrutura do entorno em um terreno a ser doado formalmente para o Estado, a fim de que sejam iniciadas as novas etapas. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Crato, Venâncio Saraiva, esta parte da doação já se encontra formalizada.

Cerca de R$ 1 milhão, após diversas polêmicas em torno desse projeto para a cidade, foi investido no projeto. Mas de lá para cá ainda não houve um aumento significativo na quantidade de visitantes, por conta da falta de infraestrutura que favoreça melhores condições de recepção aos visitantes, como a instalação de banheiros. Barraqueiros se queixam da falta de condições. Não há água nem energia e, à noite, principalmente após às 22 horas, quando as luzes da estátua são apagadas, o local fica totalmente escuro.

Informalidade

O projeto Caminhos da Fé tratou de iniciar um processo de preparação dos vendedores ambulantes, numa parceria com órgãos como o Senai e o Sebrae, com cursos de capacitação, a exemplo de manipulação de alimentos. Num evento criado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo da Cidade, dentro do Programa Crato Turístico (Procratur), foi debatido com diversos setores, incluindo religiosos, os principais locais de visitação. Estão inseridos desde a Catedral, matriz da cidade, à Paróquia São Francisco, com realce de arquitetura gótica das catedrais europeias; o prédio Histórico do Seminário São José, com 140 anos, além da Congregação das Filhas de Santa Tereza de Jesus e o monumento à Nossa Senhora de Fátima.

Todo o percurso foi mapeado pela secretaria, que preocupou-se com as condições de atendimento aos fiéis, além de informá-lo sobre os pontos de visitação. Durante as grandes romarias em Juazeiro, o município cratense recebe milhares de romeiros, e para isso, tem sido realizado um receptivo.

Normalmente os romeiros seguem o trajeto de Juazeiro do Norte ao Crato, principalmente para conhecer a igreja da Sé, onde se encontra a pia batismal que o Padre Cícero do batizado. Foi na igreja que ele celebrou a sua primeira missa. A ideia é fortalecer essa visitação ao monumento de Nossa Senhora de Fátima, mas para isso é necessária a expansão da infraestrutura, conforme uma das moradoras e comerciante de área próxima à estátua, Cícera Rodrigues Pereira. Ela afirma que nos finais de semana ao invés de aumentar a visitação tem mesmo é reduzido o número de pessoas. As celebrações que acontecem no entorno são pagas pelos comerciantes informais, que sobrevivem das poucas vendas de suas barracas aos pés da estátua.

O projeto Caminhos da Fé traz peculiaridades históricas de cada espaço religioso. A Sé Catedral foi iniciada em 1745 e inaugurada em janeiro de 1768. Em 1911 foi construída uma segunda torre, tomando sua forma definitiva. O Padre Cícero foi batizado no local em 8 de abril de 1844. Atualmente é o espaço mais visitado pelos turistas, seguido da estátua de Nossa Senhora de Fátima.

O monumento à Fátima tem 53 metros, desde a base. Os moradores aguardam agora melhorias no local. Sem estrutura, ausência de banheiros para os visitantes, os barracões são montados com papelão, plásticos, madeira e outros materiais. "Se não fosse a gente o mato estava cobrindo e seria mais difícil ainda as pessoas passarem por aqui", afirma José Roberto. Ele disse que há poucos dias os vendedores chegaram a limpar uma grande área em volta da imagem, para dar condições das pessoas passarem no local.

Devoção

Segundo o memorialista Huberto Cabral, a devoção à Fáti-ma em Crato é antiga. Em 21 de junho de 1968, uma estátua chegou a ser inaugurada no antigo campo de pouso na Chapada do Araripe. Ainda hoje é bastante visitada. No Brasil, o monumento chega a ser maior que a estátua do Cristo Redentor (38 metros), no Rio de Janeiro, e no Ceará, a do Padre Cícero (27 metros). O projeto é considerado ousado e fica numa área alta da cidade.

As principais festas religiosas da cidade também são destacadas, como a Santa Cruz da Baixa Rasa, em 25 de janeiro; a festa de São José, em 19 de março, além o dia 24 de março, data de nascimento do Padre Cícero, e coroação da imagem de Nossa Senhora de Fátima, em 31 de maio. Em setembro, acontece a festa da padroeira da cidade, Nossa Senhora da Penha. E.S

FIQUE POR DENTRO

Município aposta no turismo religioso

Uma das tentativas com o fortalecimento do turismo religioso em Crato é intensificar o roteiro de visitações aos espaços do Monumento à Nossa Senhora de Fátima, Igrejas da Sé Catedral e São Francisco, além do Seminário São José e Congregação das Filhas de Santa Tereza, criado em Crato pelo primeiro bispo da cidade, Dom Quintino Rodrigues de Oliveira. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, foi iniciado um trabalho de capacitação de vendedores, na área de manipulação de alimentos, e de roteirização, com a finalidade de qualificar os serviços. A história desses principais pontos está inserida num folder produzido pelo órgão, por meio do Programa Crato Turístico, que também conta com um mapeamento histórico no município.

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.