santana do cariri

Paleontologia atrai campus da UFRJ

Centro acadêmico avançado vai facilitar estudos e pesquisas também para a geologia na região do Cariri

00:00 · 28.09.2014
Image-0-Artigo-1708396-1
Trabalhos de construção civil já foram iniciados no distrito de Inhumas fotos:elizângela santos Região tem um dos mais importantes acervos paleontológicos do mundo com achados fósseis sendo estudados, também, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro
Image-1-Artigo-1708396-1
Região tem um dos mais importantes acervos paleontológicos do mundo com achados fósseis sendo estudados, também, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Santana do Cariri. O avanço nos estudos relacionados à Paleontologia e à Geologia ganham um aliado na região do Cariri, que há cerca de cinco décadas já marcavam presença com pesquisadores e estudiosos na região. Trata-se da instalação de um campus avançado da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com o Centro de Referência Casa de Pedra (CDP), localizado no distrito de Inhumas, em Santana do Cariri.

O projeto vinha sendo pensando há cerca de três anos, como forma de possibilitar, além das pesquisas, um local onde os estudantes da universidade e os pesquisadores passassem a ter um ponto de apoio para desenvolver suas atividades. A primeira etapa do CDP está prevista para ser inaugurada ainda em dezembro deste ano.

Segundo o coordenador de Patrimônio da UFRJ, Hélcio Gomes, um dos importantes objetivos das atividades é proporcionar a conservação dos fósseis da região, conforme o coordenador, e tentar conscientizar as pessoas que moram no entorno, de aproveitar o material que muitas vezes acaba sendo descartado. "Esse rejeito pode ser explorado de várias formas", além de desenvolver trabalhos manuais, o que poderá proporcionar renda para a população.

Conquista

Até junho do próximo ano, a casa deverá estar pronta e contará com estrutura para atender cerca de 60 alunos da região. Para o coordenador do projeto Jovens Paleontólogos e um dos idealizadores do campus, Ypsilon Felix, essa é uma importante conquista que vai proporcionar também um fortalecimento para as pesquisas relacionadas não apenas a UFRJ, mas outras instituições de ensino superior da região, a exemplo da Universidade Regional do Cariri (Urca), Universidade Federal do Cariri (UFCA) e a Universidade Federal do Ceará (UFC), entre outras instituições. O CDP manterá parceria com o Geopark Araripe.

Umas das grandes dificuldades dos pesquisadores que realizavam trabalhos na área de Santana do Cariri, Capital da Paleontologia, reconhecida por decreto lei estadual, era a ausência de locais de hospedagem e pontos de apoio. No local também serão reservadas salas para a instalação de laboratórios. Para a viabilidade do novo projeto, foi assinado um convênio de cooperação técnica, entre a universidade carioca e a prefeitura local, responsável pela doação do terreno, onde está sendo construído o campus.

O acordo de cooperação compreende a contrapartida do município para o projeto que vai atuar na área de extensão e possibilitar os cursos de pós-graduação. Para Ypsilon, a conquista é de suma importância para Santana do Cariri, com destaque para o fortalecimento do turismo científico. Ele ainda ressalta que todos os anos, cerca de 200 estudantes da universidade carioca vêm à região do Cariri para desenvolver atividades curriculares acadêmicas.

Santana do Cariri possui um dos mais importantes acervos paleontológicos do mundo da era Cretácea, com achados fósseis que compõem coleções de importantes museus do mundo, como o de Nova Iorque, e também do Brasil, com o Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Acervo

No Município, o Museu de Paleontologia da Urca detém um acervo de pelo menos 10 mil peças. Alguns deles são holótipos, peças originais e únicas, dos fósseis encontrados. O projeto terá a coordenação do Professor Ismar Carvalho, diretor do Instituto de Geociência da UFRJ. O docente tem diversas pesquisas na área da geologia já desenvolvidas na região.

Segundo o coordenador, a necessidade de ter o local como ponto de apoio para alunos e professores começou a ser debatida de alguns anos para cá e, somente agora, com a iniciativa do professor Ismar Carvalho e de Ypsilon é que houve a concretização desse projeto.

Para Hélcio, o espaço estará voltadom, especialmente, aos pesquisadores. "Esse centro foi uma forma de pensar um local mais próximo das áreas de estudo. A cidade mais próxima era o Crato e isso acabava dificultando essa proximidade", diz ele. A casa de pedra trará cursos de extensão da própria universidade, que será ministrado para a comunidade, para as pessoas da cidade e entorno.

O coordenador de patrimônio disse que será utilizado na construção do Centro de Referência material em pedra Cariri, da própria região, além de empregar mão-de-obra da própria localidade. Os serviços já foram iniciados, numa área de mais de 2 mil e 700 metros quadrados.

Ele disse ainda que a própria universidade, pelo próprio número de alunos que se deslocam do Rio de Janeiro até a região, já demonstra o nível de importância da área para os estudos.

No momento, se encontram na área da Bacia do Araripe mais de 54 estudantes da universidade carioca. "Esse número tende a crescer, com esse ponto de apoio", diz ele. Além dos estudantes da área de geologia, será ampliada a quantidade de alunos ligados aos cursos de extensão da universidade.

O Centro de Referência contará com o alojamento para 60 pessoas e já está sendo construída uma grande sala de aula, onde serão realizados os cursos de extensão. Está sendo feita a primeira sala de aula e uma parte do alojamento, voltado para 30 alunos, inicialmente. (E.S)

Mais informações:
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Centro de Referência Casa de Pedra (CDP)
Distrito de Inhumas
Telefone: (88) 9961. 8225

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.