Juazeiro do Norte

Mobilidade é prejudicada com veto a projeto para ciclistas

Pelo fato de as vias serem estreitas, o Executivo entendeu a inadequação para ciclovia e ciclofaixa

00:00 · 01.02.2015
Image-0-Artigo-1788389-1
A ideia de criar ciclofaixas e bicicletário terá uma outra avaliação pelo gestor ( Foto: Elizângela Santos )
Image-1-Artigo-1788389-1
Praticantes do ciclismo e pessoas que utilizam a bicicleta como meio de transporte deverão realizar uma manifestação, na próxima terça-feira, para pressionar o Executivo a reconsiderar a decisão ( Foto: Roberto Crispim )

Juazeiro do Norte. Praticantes do ciclismo e pessoas que utilizam a bicicleta como meio de transporte diário prometem realizar, na próxima terça-feira, uma mobilização, em frente à Câmara de Vereadores deste município, objetivando a apresentação de um novo Projeto de Lei (PL) que trate sobre a criação de ciclovias, ciclofaixas e bicicletários em pontos estratégicos da cidade de Juazeiro do Norte. A ação também é vista como um ato de repúdio ao veto do prefeito da cidade, Raimundo Macêdo (PMDB), ao projeto que tratava sobre a criação do Sistema Cicloviário do município, de autoria do vereador Cláudio Luz (PT), no mês de dezembro passado.

Conforme a matéria, que recebeu aprovação da maioria dos parlamentares, o Sistema Cicloviário do município de Juazeiro do Norte articularia o transporte por bicicleta com o Sistema de Transporte Público, viabilizando os deslocamentos com segurança, eficiência e conforto para o ciclista, além de proporcionar a implementação de infraestrutura necessária ao trânsito de bicicletas e a introdução de critérios de planejamento para implantação de ciclovias ou ciclofaixas nas vias públicas e em outros espaços naturais.

O projeto definia, ainda, a implantação dos trajetos cicloviários expressivos para a demanda. Além disso, que fosse agregada aos terminais de transporte coletivo urbano infraestrutura apropriada para a guarda de bicicletas; a abertura de negociações com o Estado com o objetivo de permitir o acesso e transporte no metrô e em ônibus metropolitanos de ciclistas com suas bicicletas, dentre outras ações.

Para justificar o veto à matéria, o executivo argumentou ter recebido do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) parecer contrário à instalação do sistema cicloviário por conta do crescimento desenfreado da frota de veículos motorizados da cidade, de 18 mil para 90 mil, entre os anos de 2010 e 2013, estimando-se que, atualmente, a quantidade supere os 100 mil veículos e, ainda, devido à malha viária central e periférica da cidade ser formada, em sua maioria, por vias estreitas, que, segundo avalia o órgão de fiscalização, deve ser um problema a se resolver paulatinamente, por meio da adoção de políticas de longo prazo.

Melhoria

Para a ciclista Aglaize Damasceno, que pratica o esporte desde os 14 anos de idade, a decisão da Prefeitura em não sancionar o projeto de autoria do Legislativo vai na contramão das ações desenvolvidas por municípios de maior porte, ou cidades em franco processo de desenvolvimento, que estão resultando na melhoria das questões referentes à mobilidade urbana. "O veto a este projeto foi, sem sombra de dúvidas, um grande equívoco por parte da gestão pública de Juazeiro do Norte", avalia.

Outro desportista que também vê o veto do prefeito como um prejuízo à população de Juazeiro do Norte é o ciclista Kiko Gonçalves. Especialista na preparação de bicicletas para treinos de mountain bike e speed, ele observou que o número de acidentes envolvendo ciclistas e veículos automotores poderia ser amplamente diminuído, a partir da construção do Sistema Cicloviário.

Redução

"Hoje, devido à falta das ciclovias e ciclofaixas, os acidentes são constantes. Houvesse a instalação desse sistema, com certeza o número de acidentes seria reduzido. Principalmente nas áreas de maior fluxo de veículos, disse.

O vereador Cláudio Luz, autor do projeto, avalia que há falta de interesse por parte da administração municipal na construção de áreas onde a prática do ciclismo seja possível de maneira segura e cômoda aos seus praticantes. "O projeto, inclusive, não estipula período de tempo para que a Prefeitura realize a construção dos espaços referentes aos bicicletários, as ciclofaixas e as ciclovias. Nas estações de metrô, inclusive, é necessária a existência de locais adequados para a guarda de bicicletas, bem como nos terminais de ônibus que circulam pela cidade. O prefeito vetou o projeto apenas porque ele ignora a questão da mobilidade urbana na cidade. Há uma falta completa de políticas públicas voltadas a esta questão no município", ressaltou o parlamentar.

Ouvido pela reportagem, o prefeito do município de Juazeiro do Norte, Raimundo Mâcedo, disse que o veto foi necessário porque, na análise da gestão municipal, não há como efetivar a construção do Sistema Cicloviário nos moldes determinados pela matéria do Legislativo. "Não tem como fazer. As ruas de Juazeiro são muito estreitas. Nós estamos realizando um levantamento das ruas e avenidas da cidade para, então, termos a condição de definirmos onde serão aplicadas as ciclofaixas e as ciclovias. Há todo interesse do nosso governo em atender a esta questão. No entanto, não é possível realizar uma ação como esta da noite para o dia", salientou.

Segundo Macêdo, até o fim do primeiro semestre este levantamento já estará concluído e, então, se deve iniciar "ações pontuais em algumas áreas", informou. Ele observou que em alguns locais já há ciclovias sendo construídas. "A intenção é realizar a interligação de bairros e, ainda, um amplo estudo sobre a possibilidade de interligarmos a cidade aos municípios de Caririaçu, Crato e Barbalha", concluiu.

Mais informações:

Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte
Praça Dirceu Figueiredo, s/n
Telefone: (88) 3566-1044
Centro

Roberto Crispim
Colaborador

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.