Juazeiro do norte

Ministro garante melhoria na pista do aeroporto

Os novos módulos operacionais do terminal estão previstos para conclusão até o final deste mês

00:00 · 05.10.2014
Image-0-Artigo-1713650-1
Novos módulos vão operar com esteira maior na área de desembarque ( FOTO: ELIZÂNGELA SANTOS )

Juazeiro do Norte. O Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes deverá passar a operar com aeronaves de grande porte com 280 passageiros, após reade-quação da pista. Pelo menos, essa é a perspectiva, desde a visita recente do ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, que esteve em Juazeiro do Norte para realizar visita técnica ao local, no último dia 25. A atual categoria da pista é de 32 PCN, sigla internacional de "Pavement classification number".

De acordo com a total regularização a pista e o pátio deverão passar para 42 PCN. Ele disse que todos esses aspectos serão avaliados para implementar as melhorias no aeroporto. A adequação da pista é o passo mais simples, por ser de cunho burocrático para a primeira mudança, mas a coordenação de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Município, solicitou a melhoria da pista para a categoria de 60 PCN. A finalidade é que o aeroporto passe a receber aviões cargueiros.

É provável que até o início de novembro, os Módulos Operacionais Provisórios de Embarque e Desembarque (MOPs), previstos para serem concluídos durante setembro passado, sejam inaugurados. A obra estará sendo finalizada até o final deste mês, conforme assegurou a equipe de engenheiros.

O ministro disse que será estudado um prazo para a entrega dos novos módulos, que irão possibilitar ampliação dos terminais de passageiros. A capacidade atual da área do aeroporto é de pouco mais de 900 metros quadrados, passando para cerca de 2 mil metros, ampliando as condições de recepção de público anual de 400 mil para 800 mil pessoas.

Melhorias

Operando com seis voos diários, o equipamento deverá receber um sétimo voo pela Gol, a partir do dia 15 de outubro, de Juazeiro do Norte para Guarulhos, em São Paulo. O ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, esteve inspecionando o local, com a presidência da Infraero, e prometeu a regularização da pista, para que sejam operados voos de maior porte. As melhorias deverão ser realizadas por etapas, conforme o ministro,

Em conversa com o prefeito Raimundo Macedo, e o coordenador de Turismo, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da cidade, Roberto Celestino, o ministro disse que irá estudar as possibilidades de investimentos, mas irá realizar uma coisa de cada vez.

O ministro da Aviação Civil ouviu dos próprios engenheiros responsáveis que a obra do aeroporto, administrado pela Infraero, será entregue no próximo dia 30 de outubro. "Estamos com uma empresa que me garantiu que a obra estará pronta para ser inaugurada em 30 de outubro. E eu disse a eles que promessa é para ser cumprida. Além disso, conversei com o prefeito de Juazeiro sobre o futuro do aeroporto, que é importante para o Ceará e o Nordeste", disse.

O país tem cerca de 100 aeroportos regionais operando voos regulares hoje, e o objetivo do Governo Federal é aumentar a oferta de voos e a malha, também, para as pessoas que precisam ir a outras cidades que não as capitais. "Queremos ampliar essas alternativas. Isso vai depender do mercado, mas, segundo os dados que temos, nos últimos dois anos mais de 10 milhões de pessoas voaram pela primeira vez. Atualmente, seis em cada dez pessoas da classe média brasileira vivem no interior. São pessoas que querem voar e nós estamos fazendo um esforço para atendê-las", afirmou o ministro.

As obras começaram em 2011 e tratam da ampliação das laterais do atual espaço do aeroporto regional, aumentando a capacidade de atendimento. Os módulos operacionais provisórios acrescentarão 1.050 metros quadrados ao terminal de passageiros - 600 m² para o módulo de embarque, e 450 m² para o de desembarque.

De acordo com o ministro, já foi cumprida a exigência do problema da desapropriação para a reforma do aeroporto. "Agora, vamos faze o novo terminal de passageiros. Entendo que atenderá às necessidades dos passageiros. Precisamos, agora, ter pistas que recebam aviões maiores e deem vazão a carga do que é produzido na cidade e na região", ressaltou. (E.S)

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.