espedito Seleiro

Mestre artesão é classificado como Patrimônio do Brasil

Especialista reconhece talento e a identificação com a cultura regional expressada pelo artesão de Nova Olinda

00:00 · 09.08.2015
Image-0-Artigo-1906477-1
Os irmãos Campana possuem peças expostas do artesão caririense, inclusive uma que se encontra no Museu de Arte de Nova Iorque. Eles se encantaram com o uso de materiais sustentáveis e alternativos ( Fotos: Elizângela Santos )

Juazeiro do Norte. Depois de percorrer locais representativos da arte caririense, um dos maiores designers do Brasil classificou o mestre Espedito Seleiro como um patrimônio do Brasil. Humberto Campana, que faz parceria de trabalho com o irmão arquiteto Fernando Campana, garantiu que continua a parceria de trabalho com o mestre artesão do couro da cidade de Nova Olinda.

Ele esteve recentemente participando da Casa Cariri Mostra, que acontece em Juazeiro do Norte, até o dia 16 de outubro. Durante palestra, acompanhado de Espedito Seleiro, falou da sua trajetória de trabalho e de vida, como adentrou no mundo da arte para desenvolver as suas peças e o contato com o artesão cearense, por meio de um trabalho de divulgação, realizado pela ex-primeira-dama do País, Ruth Cardoso.

Viagem

Humberto admitiu que, até o fim do ano, poderá estar realizando, junto com o mestre Espedito, uma viagem para os Estados Unidos, voltada para a apresentação do trabalho parceiro com o mestre cearense no mercado internacional. Os irmãos Campana possuem uma das suas peças expostas no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque.

A coleção Cangaço surpreendeu a dupla de designers famosos, que buscam materiais sustentáveis e alternativos, para criarem em cima dos seus trabalhos. Foi a parceria desenvolvida entre o mestre Espedito e os Campana que, em abril, teve os mobiliários expostos em São Paulo. "Para nós, de todos os trabalhos que desenvolvemos, foi um dos que mais chamou a atenção do público", disse Humberto.

Tipologias

A arte carirense tem chamado a atenção do designer. Ele esteve percorrendo o Centro de Cultura Mestra Noza, onde dezenas de artesãos realizam trabalhos, com diversas tipologias de produtos. Além dos lampiões, as esculturas das irmãs Cândido também despertaram bastante interesse do designer.

A herança do trabalho com o couro vem de três gerações anteriores ao seu Espedito. Ele começou a atividade aos oito anos. "É o que sei fazer", admite o artesão que, com o tempo, buscou novas alternativas de utilização do material de trabalho, para sobreviver no mercado.

Mulheres

Então, inseriu cores nas sandálias e bolsas e conquistou um público que ele nem imaginava, além das selas e gibões para os vaqueiros do sertão: as mulheres. O artesão, além do reconhecimento como mestre da Cultura do Estado, também já obteve a Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura.

O couro ricamente trabalhado de seu Espedito segue uma trajetória vitoriosa nas passarelas brasileiras, inspirando coleções como a da Cavalera, e confecções de tecidos que inspiram o seu artesanato alegre e feito de forma minuciosa.

Para Humberto Campana, é algo perfeito que o diferencia dos demais que tentam muitas vezes imitar o seu trabalho. "O trabalho dele me chamou atenção pela qualidade, o acabamento e a sofisticação", afirma ele, ao acrescentar que o que tem feito pelo Brasil com o irmão é justamente procurar valorizar o que é realizado no País e focalizar o que é bom", completa.

Mais informações:

Espedito Seleiro

Rua Monsenhor Tavares, 140,

Centro

Nova Olinda - CE

Telefone (88) 3546. 1432

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.