Malha rodoviária

Melhoria de estradas sai até maio

Antiga reivindicação, obras já foram autorizadas pelo Departamento Estadual de Rodovias (DER)

00:00 · 06.03.2016 por Elizângela Santos - Colaboradora
Image-1-Artigo-2026589-1
Vias precárias têm causado prejuízos para a população da cidade e vizinhança ( Fotos: Elizângela Santos )
Image-0-Artigo-2026589-1
As más condições de estradas têm mobilizado as comunidades em manifestações, inclusive ameaçando impedir o tráfego no local

Nova Olinda. Após anos de reivindicações para melhorias das estradas de Crato a Nova Olinda, o pleito dá sinais de que será atendido. O governo anunciou, para maio deste ano, o início das obras de rodovias, principalmente na área que atravessa a Floresta Nacional (Flona) do Araripe, e, do município cratense ao distrito de Santa Fé, com a construção da CE-561.

Com isso, poderão chegar ao fim as dificuldades dos moradores de terem que atravessar áreas esburacadas, sem sinalização e que têm causado diversos transtornos, prejuízos e até acidentes graves.

O Departamento Estadual de Rodovias (DER) informa que as duas obras citadas fazem parte do mesmo edital. Os serviços de restauração com processo licitatório encontram-se em andamento no Departamento.

Restrições

Durante os últimos anos, além da indefinição inicial de quem faria o trecho de cerca de 15Km de Crato ao distrito de Santa Fé, houve o entrave burocrático para realizar os levantamentos exigidos pelos órgãos ambientais das normas de legislação. Por conta disso, várias restrições foram colocadas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), para as questões serem melhor avaliadas na área.

Segundo o secretário de Meio Ambiente do Crato, Stephenson Ramalho, o Município realizou os levantamentos para a elaboração do Estudo de Viabilidade Ambiental (EVA), no caso da CE-561. O documento foi encaminhado ainda no ano passado, para ser liberada a licença pela Superintendência de Meio Ambiente do Estado do Ceará (Semace), após o aval do ICMbio.

Com a maior deterioração de estradas do Cariri durante o período de chuvas, moradores de diversas localidades da região têm reclamado constantemente das péssimas condições de tráfego, colocando em risco a vida das pessoas.

Destruição

A CE-561 não recebeu asfaltamento e está praticamente destruída, desde que a estrada foi criada. A população local já chegou a realizar manifestações e ameaçou impedir o tráfego no local, por conta dos problemas, além de boicotar a votação nos políticos da localidade nas eleições municipais.

Na CE-292, no trecho de Crato ao Município de Nova Olinda, uma placa anuncia, há vários anos, na Chapada do Araripe, os 30Km de trecho danificado. A licitação, com as readequações do projeto para as vias, estava prevista para julho do ano passado, o que não aconteceu.

Ambas as CEs estão em Áreas de Proteção Ambiental (APA), e, no caso da área maior a ser recuperada, é também Área de Proteção Permanente (APP) e Flona do Araripe.

Os dois trechos já chegaram a ter as obras licitadas e autorizadas, mas o problema estava relacionado principalmente ao cumprimento das exigências das legislações ambientais.

Exigências

No caso da estrada de Nova Olinda, foram 27 itens solicitados ICMbio para a liberação da obra. Uma delas exigia parte da estrada construída com pavimento rígido de concreto. Outra solicitação do órgão ambiental são as passagens de fauna, subterrâneas e áreas entre fragmentos florestais transpassados pela rodovia, considerando a possibilidade de prever passagens de fauna no mesmo nível do terreno. O projeto de restauração desse trecho chegou a ser licitado em 2009, mas a licença ambiental estava pendente.

No caso do distrito, em Crato, a Prefeitura assumiu a realização de levantamentos técnicos e elaboração do projeto, no valor de aproximadamente R$ 100 mil. Após a finalização desses procedimentos, foi feito o Relatório de Autorização para o Licenciamento Ambiental (Reala). Neste caso, foram atendidos cerca de 22 procedimentos relacionados aos critérios ambientais.

Moradora da localidade há 28 anos, Lurdes de Carlim disse que as dificuldades das pessoas que moram em Santa Fé são imensas, principalmente quem precisa de transporte alternativo, pelo desconforto da viagem, além dos riscos. A estrada se tornou CE-561 há poucos anos, mas antes era de iniciativa do poder público municipal. Até acontecer o repasse, houve diversos problemas relacionados à competência de gestão e melhoria da via. Nesse intervalo, o mínimo de asfaltamento que restava acabou, ficando praticamente a estrada de chão batido.

Melhoramento

Lurdes chegou a solicitar, por várias vezes, do próprio governo, a realização da obra, além de reivindicar nas rádios da cidade. Ela disse que, nos últimos anos, tem sido realizado um melhoramento com a passagem das máquinas da Prefeitura, mas apenas um paliativo.

Motoristas que precisam sobreviver do transporte de passageiros da localidade dizem que são muitos prejuízos causados. Antônio Cândido é um deles. O trecho que poderia ser feito por ele em 20 minutos, demora até mais de uma hora. "Se a gente não andar devagar, quebra tudo", diz.

Por enquanto os prejuízos têm se acumulado, e é preciso dividir o lucro do transporte de passageiros com o mecânico. O condutor afirma que o problema já extrapolou e passou a ser um descaso com a vida das pessoas.

A construção das estradas também atende aos próprios operadores do turismo no Cariri. Com a melhoria dos acessos, a expectativa é que os passeios pela região se tornem mais atraentes para a captação de visitantes, entre os que praticam o turismo religioso, com as romarias de Juazeiro do Norte, e o Científico, por meio do Museu de Paleontologia em Santana do Cariri.

Levantamentos

"Encaminhamos várias reivindicações e esperamos que esses serviços sejam iniciados o quanto antes" . Lurdes de Carlim - Moradora

"Levantamos dados, solicitados pelo ICMbio, já encaminhados, para construção da estrada de Santa Fé". Stephenson Ramalho - Secretário

Mais informações:

Departamento Estadual de Rodovias (DER)

Rua Rodolfo Teófilo, 10

Centro - Crato

Telefone: (88) 3102-1224

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.