Intervenção urbana

Grafite se consolida em Mauriti, gerando oportunidade para artistas

Pintura em spray chegou à cidade pelas mãos de jovens locais e já toma conta dos muros e fachadas de prédios

22:00 · 17.01.2015 / atualizado às 00:00 · 18.01.2015
Image-0-Artigo-1778959-1
Além de oficinas para a juventude, os adeptos da arte urbana já promoveram shows beneficentes
Image-1-Artigo-1778959-1
Um dos equipamentos públicos já grafitados no município foi a Escola José Cartaxo. Alguns desenhos reproduzidos nos muros e fachadas expressam sentimentos e inquietações dos artistas, e outros retratam personagens da cultura nordestina

Mauriti. Uma arte de rua presente em maior volume nos grandes centros urbanos começa a ganhar adeptos em pleno sertão cearense. Neste município, o grafite vem sendo desenvolvido por um grupo de jovens, formado por moças e rapazes de diferentes faixas etárias, e está exposto em muros e fachadas de prédios públicos, a partir do apoio da Prefeitura local e do setor empresarial do município.

Os desenhos produzidos pelos grafiteiros, na maioria dos casos, retratam personagens da cultura nordestina e da própria região do Cariri, como Patativa do Assaré, Padre Cícero, Lampião e Luiz Gonzaga.

Criado em meados de 1970, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, o grafite também passou a ser visto como uma nova forma de expressão popular, onde os artistas que dominam as técnicas da pintura, por meio do uso dos sprays de tinta, retratam situações do cotidiano e sentimentos próprios, ou realizam homenagens a figuras importantes de diferentes setores da sociedade. Em Mauriti, o trabalho tem sido reconhecido pela população, que, além de fazer elogios à qualidade dos desenhos, afirma que as ruas da cidade ganharam cor e beleza com as pinturas.

Pioneiros

O grafitismo chegou à cidade pelas mãos do jovem Roger Granjeiro, mais conhecido como Roger Grafite, que conheceu a arte de rua em Juazeiro do Norte. Conforme o artista, desenhista desde criança, as pinturas descobertas na terra de Padre Cícero foram determinantes para que ele também aderisse ao movimento e passasse a querer difundi-lo em seu município.

"Eu desenhava desde pequeno. Quando descobri o grafite em Juazeiro, fiquei encantado. Não tinha como não passar a grafitar também. Sou grafiteiro há cerca de oito anos e não me vejo fazendo outra coisa. Pelo contrário, a intenção é ensinar outras pessoas que também se interessam pela arte e, futuramente, criar projetos coletivos em vários municípios da região", explicou Roger Grafite.

Participante de diversos Festivais, dentre eles o Festival Nacional de Grafite "Recifusion", realizado na cidade pernambucana de Recife, um dos mais importantes do circuito nacional, o desenhista é, hoje, um dos principais nomes do grafite no Estado. As técnicas adquiridas, durante as experiências nos Festivais, ele procura repassar por meio de oficinas direcionadas ao público jovem da cidade.

Oficina

"Realizamos a primeira oficina de grafite em Mauriti com um público de 40 pessoas, dividido em duas turmas, nos períodos da manhã e da tarde. A intenção desse trabalho foi justamente a de criar mecanismos para propagação da arte de rua e, a partir daí, o surgimento de grupos que possam ampliar esse trabalho", disse.

A oficina teve duração de dois dias e foi concluída com ações de pintura nos muros laterais da Escola André Cartaxo e com a realização do I Mauriti Grafiti Fest, evento que reuniu aprendizes da pintura em spray e contou com a participação de skatistas, street bikers e integrantes de grupos de hip-hop e street dance. Também foram realizados shows beneficentes em prol da Associação Pestalozzi da cidade. As apresentações incluíram bandas de reggae, rock e música eletrônica, com DJs do próprio município. "Foi uma ação de interação entre os diferentes grupos atuantes em Mauriti. Uma forma de demonstrar que a arte e as diferentes formas de cultura também estão presentes na cidade", observou Roger Grafite.

Além de criar novas perspectivas visuais aos locais onde os desenhos são produzidos, o grafite também começa a gerar renda aos seus adeptos. "Eu desenho caricaturas e o grafite tem sido uma oportunidade muito boa porque estão surgindo chances de trabalhos, como propagandas, por exemplo. Já está saindo um dinheiro bom", afirmou o grafiteiro Jonas Estevão, que aprendeu as técnicas que utiliza com o pioneiro Roger Granjeiro.

Desde 2013, o artista cria desenhos em equipamentos públicos do município. A ação tem o apoio do atual governo, que avalia a iniciativa como social e necessária para a aproximação da juventude as demandas cotidianas vividas no município.

Modernidade

"O grafite é uma das formas mais modernas de expressão popular encontrada por segmentos juvenis que, além de exporem seus sentimentos, necessidades e interesses, ofertam um embelezamento diferenciado aos logradouros escolhidos para a pintura", avaliou o prefeito de Mauriti, Evanildo Simão (PT).

"Acredito que o apoio que oferecemos para o desenvolvimento do grafite também pode ser visto como uma forma de atrairmos a população jovem a também observar, discutir e colaborar para as soluções dos problemas que ainda precisam ser sanados", acrescentou o gestor. (R. C.)

Mais informações

Prefeitura Municipal de Mauriti
Rua Otávio Pimenta de Souza, S/N 1º e 2º andares
Centro
Fone: (88) 3552-1300

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.