Gea - Terra Mãe

Geopark reúne 1.500 alunos para debater o meio ambiente

Os estudantes são do Ensino Médio e Fundamental que refletiram sobre "O solo que sustenta a vida"

00:00 · 06.12.2015 por Elizângela Santos - Colaboradora
Image-0-Artigo-1980265-1
Alguns estudantes levam as informações aos familiares agricultores ( Foto: Elizângela Santos )

Juazeiro do Norte. Mais de 1.500 estudantes de 35 escolas públicas do Ensino Fundamental e Médio dos seis municípios do território do Geopark Araripe, no Cariri, participaram da segunda edição do concurso Gea - Terra Mãe, que teve sua culminância na última quinta-feira, com a apresentação de trabalhos, na Universidade Regional do Cariri (Urca), no Crato.

Durante o evento, foram premiadas as escolas vencedoras, em cada categoria, que passaram por um julgamento técnico de profissionais, desde músicos, fotógrafos, artistas plásticos e cineastas, que observaram as atividades nas suas mais diversas modalidades artísticas. O material será exposto até o próximo ano, no Centro de Interpretação e Educação Ambiental dos Municípios. O tema deste ano é "O solo que sustenta a vida".

Os alunos expuseram os seus trabalhos, em diversas salas da Universidade. Um deles, o estudante do 7º ano do Centro de Educação Rural Pedro Raimundo Cruz, Bruno Santos de Carvalho, produziu um desenho que enfatiza a degradação ambiental e a desertificação. "É importante que as pessoas cuidem do meio ambiente, mas estamos vendo que ainda falta muito para isso acontecer", afirmou.

Mobilização

A coordenadora de educação do Geopark Araripe, Neuma Galvão, disse que é de grande relevância trazer à tona essas temáticas, principalmente por ser o Ano Internacional do Solo. Ela afirma que as atividades, com mais de 70 trabalhos inscritos, nesta segunda edição, proporcionam, mais uma vez, uma grande mobilização das escolas que estão inseridas nos seis municípios que incluem os geossítios, do Geopark Araripe.

No próximo dia 11, haverá atividades de campo para o trabalho, que acontece com visita à Fundação Casa Grande, em Nova Olinda.

"É uma oportunidade de levar às escolas essa reflexão a respeito da preservação dos solos, da natureza", diz a coordenadora. Para o professor Jeorge Ulisses, da Escola Líder Comunitário Antônio Miguel de Sousa, o projeto tem sido importante no sentido de proporcionar uma mobilização dos alunos, por um tema importante na atualidade. Muitos estudantes daquele estabelecimento de ensino são filhos de agricultores e os pais ainda praticam a queimada em seus roçados. "Estamos justamente levando uma mentalidade diferente daquela que ainda hoje vem sendo praticada e os alunos acabam sendo multiplicadores desse processo", explica.

De acordo com Jeorge, desde o começo do ano que os alunos estão engajados em atividades ligadas ao Geopark, e aderiram, pela primeira vez, ao concurso, com três alunos que produziram desenhos e vídeo para concorrer com as outras escolas.

Teatro

A solenidade para dar início aos julgamentos foi aberta com a apresentação da fanfarra da Escola Estado da Paraíba, de Crato. Os alunos também apresentaram uma esquete teatral, além do teatro de bonecos. As outras atividades envolvem desde artes visuais, literatura, teatro, dramaturgia e vídeos.

O diretor executivo do Geopark, Idalécio Freiras, destacou que esse é um desafio para os alunos, mas fica o conhecimento e a difusão de percepções, com a importância do solo para a vida.

Mais informações:

Geopark Araripe

Rua Carolina Sucupira, S/N

Centro

Crato

Telefone: (88) 3102-1237

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.