Esporte e lazer

Famtour quer difundir cicloturismo

Iniciativa deverá percorrer 200 quilômetros, em três dias, nos municípios inseridos no Geopark

00:00 · 10.04.2016
1
O Cariri é uma das mais extensas rotas do cicloturismo no Ceará ( Fotos: Elizangela Santos )
2
O Ciclotur Chapada do Araripe foi um evento experimental de lançamento de um roteiro permanente que pudesse ser feito autonomamente pelo visitante. O trabalho vem sendo realizado pela empresa Trilhar

Juazeiro do Norte. Um novo famtour está programado para acontecer neste ano para divulgar o cicloturismo no Cariri. A ideia é trazer formadores de opinião e apaixonados pelo esporte à região para percorrer cerca de 200 quilômetros, em três dias, nos municípios do território do Geopark Araripe.

O Cariri se apresenta como uma das mais extensas e únicas rotas do cicloturismo, com melhores condições de tráfego do Nordeste. Participam, neste ano, 30 pessoas convidas pela coordenação do evento. Desde 2010, o roteiro vem sendo trabalhado com a finalidade de abrir espaço para esse segmento do turismo sustentável na região.

O evento será uma forma de reconhecimento e divulgação do trajeto, que passa por pontos turísticos da região e momentos de convivência com os povos da Chapada do Araripe. Criado pelo Grupo Eco Biker´s, o projeto vem se destacando por incentivar o turismo de natureza na Região do Cariri, com o apoio do Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae), o roteiro cria alternativas de negócios em vários segmentos.

Integração

A rota consiste em integrar os seis municípios que compõe o território do Geopark Araripe, entre eles Crato, Nova Olinda, Santana do Cariri, Barbalha, Missão Velha e Juazeiro do Norte. Segundo o coordenador do projeto, Ernesto Rocha, viajando de bicicleta por caminhos e trilhas, os visitantes têm a oportunidade de conhecer a cultura do povo "kariri", produtos artesanais, culinária e hospitalidade. O trabalho vem sendo realizado por meio de sua empresa, a Trilhar, de receptivo com experiência e conhecimento nas trilhas da Chapada, e conta com serviços desde uma simples consultoria até montagem de uma cicloviagem sob medida.

Lançamento

O reconhecimento da funcionalidade do roteiro, segundo Ernesto, é primordial nesse momento. "Com esta ação vamos continuar o trabalho juntos com nossos parceiros, na montagem desta rota de cicloturismo, tão importante para a região sul cearense", afirma o empreendedor. O Ciclotur Chapada do Araripe foi um evento experimental de lançamento de um roteiro permanente que pudesse ser feito autonomamente pelo visitante. Idealizado pelo grupo Eco Biker's desde 2010, conseguiu ser articulado entre 2013 e 2014 com parcerias como o Geopark Araripe e apoio das prefeituras dos municípios do território do Geopark. Contando ainda com parcerias como o Serviço Brasileiro de Apoio aá Micro e Pequena Empresa (Sebrae), a Fundação Casa Grande, a Floresta Nacional do Araripe (ICMbio), Parque Estadual do Sítio do Fundão, Instituto Karius e Sítio Pinheiros.

Diferença

Neste ano, será um pouco diferenciado no sentido de apoios, e, para isso, há uma abertura maior para a iniciativa privada, principalmente por parte dos restaurantes e rede hoteleira. Ernesto ressalta que não tem sido fácil, mas ao mesmo tempo há um retorno para a sociedade e é necessário que ela mesma reconheça esse potencial de turismo e divulgação maior da região. E esse trabalho inclui principalmente os moradores das áreas da Chapada do Araripe. Neste período tem sido feito um trabalho junto a eles, proprietários de pousadas e restaurantes, artesãos, para que atendam as pessoas e ao mesmo tempo possam ter um retorno, mas essencialmente atuar na conservação das áreas, mantendo as rotas as sinalizações.

Ernesto afirma que o número de participantes está voltado principalmente para a realidade que se tem em termos de receptivo. Uma estrutura que deve ser construída a longo prazo, e que demanda um trabalho que depende de apoio institucional e dos locais, até que aconteça de forma autônoma, definitivamente. "Mas antes disso, as pessoas devem se conscientizar desse projeto e dos benefícios que ele poderá promover na região, no âmbito social, econômico, cultural, além do caráter de sustentabilidade", afirma.

Surpresa

Em 2015, Ernesto inscreveu o projeto no Ministério do Turismo e, no fim do ano passado, foi surpreendido com o resultado que, entre 65 projetos do Brasil inteiro, o do Cariri saiu na temática de boas práticas de turismo. Resolveu, então, fazer novamente um famtour do ciclotur. Além dos formadores de opinião, estarão presentes no evento as pessoas que fazem parte de clubes de ciclismo, entidades de cicloturismo, dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco, além dos convidados do sul do País. São participantes de televisão e revistas impressas especializadas.

Sinalização

A ideia é continuar executando o projeto dessa rota, que, conforme Ernesto, não é algo fácil de fazer. A questão envolve os moradores da cidade e do roteiro, no sentido de abraçarem a causa. Há locais onde sinalização foi destruída. "Importante que os moradores do espaço tenham essa consciência de preservação, e essa é a maior dificuldade", diz. Para ele, as pessoas têm que ver que é interessante, que o turista vai passar por esses locais.

Em 2014, aos que finalizaram a rota, foi ofertado um certificado de conclusão do ciclotur, com mais de 280 quilômetros percorridos, nas seis cidades. Neste ano não vai passar em Missão Velha. Começa no Crato, saindo do Geopark às 7h do dia 22, concluindo em Juazeiro do Norte. Todas as pessoas vão receber um passaporte do ciclotur com registros carimbados nos principais pontos. Boa parte dos moradores já aderiu à ideia. "A ação de fazer o passaporte é para mostrar a esses parceiros que a coisa funciona assim no resto do mundo, afirma. Mas, ele diz que a maior dificuldade ainda é convencer o morador.

A ideia partiu de exemplos de rotas de cicloturismo e turismo de aventura no Brasil, como em São Paulo e Santa Catarina, sendo o primeiro percurso de cicloturismo do Estado do Ceará. Os ciclistas passam por áreas verdes e asfalto, com os pernoites. Como resultados desta experiência tem-se a geração de benefícios maiores do que os esperados ou investidos inicialmente, como a criação de projetos de sinalização. Ernesto destaca a importância do estímulo ao desenvolvimento do turismo sustentável na região.

O ciclista Francisco Macedo, do Clube Terra Bike de Ouricuri, em Pernambuco já teve a oportunidade de pedalar pelo Cariri. Ficou surpreso, mas não imaginou que fosse algo tão inédito para ele. "Passei por locais no Cariri que sequer imaginava que existia. Sem dúvida, locais de rara beleza, com um trajeto maravilhoso", diz ele, ao acrescentar o grande potencial existente a ser explorado na Floresta Nacional do Araripe (Flona). (E.S.)

Mais informações:

Trilhar

Rua Tristão Gonçalves, 501 - Centro

Crato

E-mail: trilaretudo@gmail.com

Telefone (88): 9 9904-6263

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.