obra social

Falta de verbas pode encerrar atividades do Circo Sangine

Atividade pode fechar as portas, após desenvolver ação junto a crianças e adolescentes carentes

22:00 · 28.03.2015 / atualizado às 00:00 · 29.03.2015
Image-0-Artigo-1823206-1
Malabares são algumas das atividades que encantam os jovens ( fotos: elizângela santos )
Image-1-Artigo-1823206-1
Ligados diretamente às atividades, estão inseridos na trupe circense 25 alunos. Esses já realizam apresentações e alguns deles até já têm o aprendizado do circo como um meio de vida

Juazeiro do Norte. Um projeto que desde 2007 é realizado com crianças e adolescentes de bairros carentes neste município, o Circo Sangine, corre o risco de encerrar suas atividades por falta de apoio. É que mesmo se mantendo com praticamente a boa vontade dos seus participantes e algumas doações, há atualmente poucas condições de continuar.

O educador social e coordenador, Josivan Lima dos Santos, percebeu a necessidade de atuar de forma mais afetiva em seu bairro, chegando a auxiliar muitos dos integrantes do grupo a se desviar dos conflitos com a lei e do envolvimento com as drogas.

Neste momento ele vive o dilema desde que sofreu um acidente, tendo ainda, mesmo em tratamento, que ajudar o projeto a se manter com parte do seu próprio salário. São mais de 80 meninos e meninas que diariamente frequentam as aulas voltadas para o aprendizado circense, no bairro Triângulo. O trabalho de Josivan tem sido diário na tentativa de manter o local.

O terreno sede de 17x40 metros aos poucos recebe móveis velhos usados. Uma pequena área de tijolos aparente, ao meio, serve de local para guardar o material das aulas. E só. Do lado de fora, alguns instrumentos para o aperfeiçoamento dos acrobatas. Uma tenda e alguns instrumentos de malabares fazem os olhos dos alunos brilharem. A formação também se dá para os palhaços. Entre outros números.

O coordenador da organização não governamental afirma que pela primeira vez está pensando em fechar as portas e ao mesmo tempo resiste pela importância do trabalho na vida dos meninos e meninas. "Eu acabo sendo um conselheiro deles. Há situações bem delicadas que já tive que conviver, com o caso das drogas por exemplo", diz ele, ao relatar situações difíceis, que somente o circo foi capaz de dar uma nova dimensão na vida das crianças e adolescentes.

Preservação

Ligados diretamente às atividades, estão inseridos na trupe circense 25 alunos. Esses já realizam apresentações e alguns deles até já têm o aprendizado do circo com um meio de vida. "Não estamos apenas dando um passo, no sentido de oferecer uma alternativa para os alunos, mas preservando essa bela cultura circense em nossa cidade", afirma.

O fruto do aprendizado que Josivan obteve também foi graças a sua inserção em um projeto, da ONG, Juriti, no Circo Escola Ecocidadania, também em Juazeiro. Alguns alunos mais experientes também estão junto na coordenação e auxiliam nas pequenas despesas. Até colocam parte dos seus rendimentos para não ver as portas do circo fecharem. Eles reconhecem o trabalho e a dedicação de Josivan. "Pela primeira vez estou pensando no fechamento, por falta de condições físicas e financeiras. Preciso dar continuidade ao meu tratamento e estou com limitações no momento, por conta de um acidente de moto", explica Josivan.

As doações em grande parte têm sido realizadas por meio do projeto Mesa Brasil, do Serviço Social do Comércio (Sesc), através do Banco de Alimentos, além de outros projetos que fazem esporadicamente entregas de alimentos, roupas usadas, e até pequenos valores. No último mês recebeu uma doação em alimentos e roupas do projeto Cariri do Bem, do Cariri Garden Shopping, o suficiente para garantir a festa da garotada. Todo o material é separado e entregue com os devidos critérios de necessidade para os seus integrantes.

Apresentações

Um grupo unido. Essa é a primeira sensação para quem chega ao circo. Para Domício Rufino Braz, que chegou ao local no ano de 2012, o Sangine representa praticamente tudo que pôde aprender na vida. Hoje, além das atividades circenses, já como um profissional realiza apresentações pela cidade, faz festas de aniversário, entre outros eventos. É também um dos coordenadores de atividades do circo, além de realizar os serviços internos do projeto na secretaria. Entre as atividades que aprendeu, faz desde perna de pau, pirofagia, ao malabares, além das palhaçadas. "O Sangine mudou completamente a minha vida. Antes eu era amador, e hoje faço um trabalho profissional", afirma. Ele tem uma renda mensal com as apresentações e, mesmo realizando trabalhos de homem-mídia em lojas do Centro da cidade, de até mais de um salário.

O incentivo maior de Josivan é poder devolver aos meninos o que teve a oportunidade de aprender na vida. "Muitas dessas crianças não têm tantas chances e, ao invés de no tempo livre buscarem algo que não vai ajudá-las a melhorar, oferecemos uma alternativa de aprendizado", diz. Mas os critérios de participação exigem disciplina, frequentar as aulas do circo, e estar matriculado na escola, e com um bom comportamento. 

Mais informações:
Circo Sangine
Rua Marina Dante de Medeiros, 111
Bairro Triângulo
Juazeiro do Norte - CE
Telefone (88) 8832.1679

Elizângela Santos
Colaboradora

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.