Santana do Cariri

Falta d'água afeta até 18 mil pessoas

O desabastecimento se agrava no município, onde todos os reservatórios já se encontram secos

00:00 · 25.01.2015
Image-0-Artigo-1784162-1
Carros-pipas são ainda a principal fonte de abastecimento das populações rurais ( Fotos: Amaury Alencar )
Image-1-Artigo-1784162-1
A distância entre as comunidades e os locais onde o produto é captado, no entanto, gera atrasos na distribuição da água, ocasionando, desta forma, transtornos e aborrecimentos

Santana do Cariri. A estiagem prolongada dos últimos três anos continua castigando as populações que residem em áreas interioranas nos municípios cearenses. Em Santana do Cariri, por exemplo, cerca de 18 mil pessoas estão prejudicadas pela falta de abastecimento hídrico. A água é levada às comunidades por meio de carros-pipas, sete ao total, contratados pelo município e pela Defesa Civil do Estado. No entanto, o número de veículos que realizam o serviço é insuficiente para atender à demanda. Todos os reservatórios estão secos por conta da insuficiência pluviométrica para recarga hídrica em açudes e pequenos barreiros. O maior reservatório do município, o Tatajuba, já atingiu seu volume morto e, atualmente, detém apenas 15% de sua capacidade total.

A qualidade da água ainda presente no reservatório também não é própria para o consumo humano. O abastecimento dos veículos que realizam a distribuição nas comunidades está sendo realizado em três fontes localizadas no sopé da Chapada do Araripe. A distância entre as comunidades e os locais onde o produto é captado, no entanto, gera atrasos na distribuição da água, ocasionando, desta forma, transtornos e aborrecimentos para as comunidades.

Desabastecimento

Há casos em que moradores de comunidades mais distantes precisam ficar dias sem tomar banho para economizar a água depositada nas cisternas construídas em frente às residências. No Distrito de Mororó, eles já chegaram a ficar 30 dias sem abastecimento hídrico. Na ocasião, conforme populares, houve dificuldades para cozinhar, beber água e para os afazeres domésticos.

A agricultora Ana Lauriana Cardoso de Lima, que reside na comunidade, avaliou a situação como preocupante, observando, no entanto, que os problemas aumentarão quando as cisternas secarem por completo. "Eu e meus filhos não estamos mais tomando banho com essa água porque o pouco que ainda resta temos que racionar. Os cacimbões e os pequenos açudes que ficam próximos aqui de casa já estão completamente secos. Até para escovar os dentes pela manhã falta água", afirmou.

Além da falta de água para o consumo humano, também há falta para a manutenção das criações animais e para a produtividade agrícola.

O agricultor Francisco Ferreira da Silva ressaltou que toda a zona rural do município de Santana do Cariri está sendo atingida com a falta de água para o consumo humano e animal. Na avaliação do agricultor, o número de carros-pipa que abastecem as comunidades da zona rural do município é insuficiente. "Não tem mais de onde tirar água para beber. Estamos vivendo uma crise em nosso sistema de abastecimento de água, toda a zona rural está em colapso, as nossas cisternas se encontram secas os poucos carros-pipas que têm são insuficientes para resolver a nossa situação" avaliou o produtor rural.

Incertezas

Para Pedro Vieira, que também trabalha na produção agrícola do município, a situação tem gerado incertezas junto aos produtores do município. Sem previsão de chuvas acima da média histórica também para este ano, a maioria teme que o plantio seja perdido pela ausência de precipitações e haja, desta forma, além da escassez hídrica, prejuízos financeiros por conta da possibilidade de perda e safra.

"A seca está deixando os trabalhadores sem saber mais o que fazer. Não estamos mais suportando ficar sem água para o consumo. A pouca água que vem para as nossas cisternas só dá para bebermos dois ou três dias. No restante da semana ficamos sem água. Há animais que estão sem água e estamos temendo uma grande mortalidade por conta disto. Pedimos aos governos Estadual e Federal, que se apiedem dos trabalhadores rurais aqui de Santana do Cariri. A situação é tão preocupante que em minha casa até racionamento tenho que fazer, às vezes só tomamos banho uma vez por dia, mesmo com este calor insuportável. O sofrimento é muito grande", disse o agricultor.

Conforme o secretário de Agricultura do município, Valdir Bráulio, a situação em Santana do Cariri é de extrema preocupação. "A Prefeitura está disponibilizando cinco carros-pipa para atender as comunidades. Outros dois veículos foram autorizados pela Defesa Civil do Estado.

O número, no entanto, é insuficiente. Estamos pedindo ajuda para todos os órgãos competentes no Estado e junto ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, em Brasília, na tentativa de diminuirmos o sofrimento da nossa população", informou.

O secretário observou que, caso não haja a configuração de uma boa quadra invernosa neste ano, capaz de ocasionar a recarga hídrica nos reservatórios do município, além dos problemas relacionados com a questão do abastecimento, o município também deverá enfrentar sérios problemas no setor produtivo.

"No ano passado, a perda da safra agrícola atingiu mais de 60%. Se não houver um bom inverno é possível que o índice de perda seja ampliado. Nossa situação é muito preocupante", concluiu Valdir Bráulio. (R.C.)

Mais informações:

Prefeitura Municipal de Santana do Cariri
Rua José Augusto, s/n°
Centro
Telefone (88) 3545-1175

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.