Mostra warakdzã

Estudos da ancestralidade e da arte serão tratados em evento

Mostra acontece na Fundação Casa Grande e será aberta com a inauguração da galeria de exposições

22:00 · 01.08.2015 / atualizado às 00:00 · 02.08.2015
Image-0-Artigo-1901534-1
O encontro reúne músicos, antropólogos e arqueólogos, além de outros profissionais ( Fotos: Helio Filho )
Image-2-Artigo-1901534-1
A mostra, que acontece no período de seis a nove de agosto, promoverá a rememoração do Warakdzã, a festa sagrada do povo kariri

Nova Olinda. Um verdadeiro congraçamento cultural acontecerá de 6 a 9 de agosto, na Fundação Casa Grande, em Nova Olinda, com a Mostra Warakdzã - Conexões Culturais e Midiáticas no Sertão do Cariri. Músicos renomados vindos da Europa, américas do Norte e Latina, além da África, estarão reunidos em um verdadeiro intercâmbio, que trará estudos da ancestralidade e da arte.

Diversos estudiosos de países como Moçambique, Argentina, Peru, Portugal, Estados Unidos e das regiões Nordeste e Sul do Brasil terão contato direito com as vivências da arte, dos antepassados e a cultura do povo kariri, por meio da mostra. Segundo a diretora administrativa da Fundação Casa Grande, Fabiana Barbosa, o evento proporciona, pela sétima vez em que acontece na região, um momento rico de trocas de saberes.

Outro importante trabalho voltado para a arte e educação foi aberto ainda ontem, na Fundação, com foco nos aspectos educativo e patrimonial, reunindo estudantes das escolas de cidades como Salitre, Santana do Cariri, entre outros municípios, proporcionando um aprendizado 'in loco' aos alunos. As atividades foram iniciadas neste dia 1º, tendo continuidade nas quintas-feiras, sextas-feiras e sábados.

A Fundação Casa Grande é um dos equipamentos culturais do Cariri mais visitados. A entidade recebe a cada ano, em média, cerca de 60 mil visitantes. Segundo Fabiana Barbosa, o processo é ascendente. A diferença entre de 2013 e 2014 é de 4.200 pessoas. O crescimento é anual e reflete nas ações que a entidade tem empreendido.

No encontro internacional, são 30 convidados participantes dos países que a entidade vem mantendo intercâmbio, com os seus integrantes, acompanhados pelos diretores Alemberg Quindins e Rosiane Limaverde. Com seus 23 anos de história, a Fundação tem sido uma guardiã dos antepassados do homem kariri. A atuação da entidade se estende deste a educação patrimonial, indo ao estudo da arqueologia, comunicação, em seu caráter amplo, à preservação da memória.

Festa

O Warakdzã tem o objetivo de promover a articulação de profissionais de áreas multidisciplinares, por meio de ciclos de debates, formação de rede e celebrações musicais para a disseminação do conteúdo e suas diversas formas e linguagens. A mostra promoverá a rememoração do Warakdzã, a festa sagrada dos kariri. "É uma forma de celebrar inovadora, com a disseminação de conteúdo e conexões culturais e midiáticas entre pessoas, instituições e coletivo de artistas, formando uma grande rede que busca integrar, interagir e promover a formação de crianças e jovens. Isso, a partir do encontro com o espaço de vivência em gestão institucional, por meio da Casa Grande e gestão do patrimônio cultural da Chapada do Araripe", define Fabiana Barbosa.

Ela destaca que este é um momento muito esperado pelos meninos e meninas da entidade. "A ansiedade toma de conta da Casa e de todos, que não veem a hora de exercer suas funções, já que cada um tem um papel importante no evento, para receber os convidados que virão de vários países", afirma. Serão, ao todo, 19 do Brasil, dois da Argentina, dois de Portugal, um do Peru, três de Moçambique e mais três dos Estados Unidos.

Entre os participantes, estão nomes conhecidos como o instrumentista Renato Borghetti, do Rio Grande do Sul. Acordeonista, folclorista, artista plástico, ensaísta e antropólogo brasileiro, ele toca gaita-ponto e seu primeiro disco, o Gaita-Ponto, tornou-se o primeiro álbum de música instrumental brasileira a ganhar um disco de ouro, vendendo 100 mil cópias.

Também estará presente o violoncelista norte-americano Eugene Friesen, ao todo, quatro vezes vencedor do prêmio Grammy, um dos mais importantes da música. De Moçambique, virá o cantor Stewart Sukuma, premiado com o Ngoma para Melhor Intérprete Nacional em seu país de origem, onde realizou vários concertos pela Europa, como o promovido no Festival de Berlim, em Londres, no Hackney Empire, na Finlândia, na Noruega, na Dinamarca, Suécia, Holanda, entre outros.

Também haverá a presença de jovens vindos de comunidades regionais no evento. Eles estarão realizando um intercâmbio na Fundação dentro da programação da Mostra Warakdzã, nos diálogos sobre artesanato e turismo comunitário, no sentido de despertar os jovens da comunidade de Várzea Queimada.

Exposições

A mostra será aberta com a inauguração da galeria de exposições, com a participação de parceiros e representantes do Ministério da Cultura e Secretaria de Cultura do Estado, além do Itaú Cultural, às 19 horas do próximo dia 6 de agosto. A conferência de abertura, a ser realizada no dia 7, às 10 horas, tratará da Pré-história Luso Americana, com a professora doutora Maria da Conceição Lopes, Arqueóloga do Centro de Estudos de Arqueologia, Artes e Ciências do Patrimônio, da Universidade de Coimbra, em Portugal.

Mais informações:

Av. Jeremias Pereira, 444
Nova Olinda/CE
Projetoencantados@gmail.Com
Tel: 88-3546-1333

Elizangela Santos
Colaboradora

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.