Economia sustentável

Estudantes reduzem custos de reator para produzir biodiesel

Projeto de alunos do IFCE é aprimorado e já viabiliza investimentos para reaproveitar o óleo de cozinha

00:00 · 15.11.2015
Image-0-Artigo-1966757-1
O estudo iniciado em 2011 já teve exposição internacional nos Emirados Árabes e atinge sua culminância no próximo ano, com a utilização do óleo para produção do combustível usado na frota escolar da cidade ( Foto: André Costa )

Juazeiro do Norte. Alunos do Instituto Federal do Ceará (IFCE), campus deste Município, desenvolveram um projeto intitulado "Reciclagem de Óleo Comestível Usado Para a Produção de Biodiesel, Glicerina e Sabão", com a finalidade de destinar corretamente o óleo de cozinha, visando à preservação do meio ambiente. O estudo, iniciado em 2011, atinge sua culminância no próximo ano, com a utilização do óleo para produção do combustível usado na frota escolar da cidade.

O professor Ricardo Ferreira da Fonseca, o qual atuou na orientação do trabalho, adverte que, atualmente, o material é comumente descartado nas pias de cozinhas, tendo como destino final as redes de saneamento básico. "O descarte irregular entope esgotos, contamina as águas de rios e córregos, mata peixes, enfim, os danos são inúmeros", acrescenta.

Durante a primeira etapa de implantação do projeto de reciclagem, ainda em 2011, os estudantes mapearam a quantidade de óleo de cozinha consumido e desperdiçado nas residências de Juazeiro do Norte, totalizando aproximadamente 132 mil litros mensais. Durante a segunda fase, foram iniciados os testes de beneficiamento do óleo e, na terceira, foi desenvolvido um reator para transformação do óleo descartado em biodiesel, glicerina e sabão. O professor lembra que o projeto durou vários anos devido à complexidade dos estudos realizados.

Custo

Para fabricar esse reator, os alunos adaptaram um corote - espécie de reservatório de água utilizado pelos caminhoneiros -, e materiais como vassoura, polia, madeira e garrafa de plástico. O custo da construção foi orçado em R$ 80, com capacidade para produzir 19 litros de biodiesel.

O reator desenvolvido pelos estudantes não necessita de energia elétrica para funcionar. Já o equipamento mais barato do mercado, capaz de produzir a mesma quantidade de biodiesel, custa, em média, R$ 30 mil. O reator foi idealizado pela estudante Alana Lucenna, deficiente visual, que só possui apenas 10% da visão.

Ricardo Ferreira avalia que o equipamento pode contribuir para o surgimento de uma cultura de reaproveitamento do óleo usado, reduzindo, assim, os impactos ambientais. "O nosso reator é o mais barato do mundo, se criarmos uma cultura de utilização desse equipamento teremos excelentes ganhos", disse.

Economia

Na última fase do projeto, os estudantes calcularam a quantidade de biodiesel reaproveitado que poderia ser utilizada na frota de veículos a diesel da cidade. Para cada 600 litros de óleo de cozinha, é possível produzir 450 litros. O combustível produzido seria suficiente para que um veículo fizesse o percurso de ida e volta entre Juazeiro do Norte e Rio de Janeiro (4.400Km), a baixo custo, sem impacto ambiental e de maneira sustentável.

Somente com consumo mensal de óleo produzido em Juazeiro (132 mil litros), seria possível, segundo estudos feitos durante o projeto, produzir combustível para rodar 1.5 mi de quilômetros. "Esse número é sensacional, seria o transporte verde, o que acarretaria redução de temperatura com menos liberação de gás carbônico (CO2), economia na compra de gasolina e tantos outros benefícios".

Maria Jéssica da Silva, uma das estudantes participantes do projeto, conta que a expectativa agora é pela aprovação de uma lei municipal em tramitação, a fim de regulamentar a reutilização do óleo descartado para o abastecimento da frota de ônibus juazeirense. Desse modo, a usina de reaproveitamento iniciada por eles poderá ser alimentada.

Ricardo Ferreira antecipa que, a partir do próximo ano, todas as escolas municipais irão coletar o óleo. O engajamento destas unidades de ensino possibilitará que a usina de reaproveitamento seja alimentada com periodicidade. "Na medida que as coletas forem ganhando corpo, instalaremos mais reatores. A intenção é de que o biodiesel produzido a partir do óleo abasteça toda a frota escolar do Município. O excedente poderá ser comercializado", acrescenta.

A coleta de óleo está sendo realizada no Instituto Federal do Ceará (IFCE) - Campus Juazeiro do Norte, localizado na Avenida Plácido Aderaldo Castelo, 1646, bairro Planalto.

Conquistas

Os estudantes Cícero Paulo dos Santos, Maria Jéssica da Silva e Alanna Lucena, que desenvolveram o projeto, viajaram para Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, há dois anos, para apresentar o projeto. Neste ano, o trio participou da I-SWEEEP, uma importante feira de ciências realizada em Houston, Texas, nos Estados Unidos. O trabalho também foi apresentado rem feira científica no Rio Grande do Sul. 

Mais informações:

Instituto Federal do Ceará - Campus Juazeiro do Norte

Av. Plácido Aderaldo Castelo, 1646 Telefone: (88) 2101-5300

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.