estação chuvosa

Estrutura de canal está ameaçada

O drama de destruição e medo das populações voltam a se repetir com elevação do nível da água do Rio Grangeiro

00:00 · 03.05.2015
Image-0-Artigo-1844716-1
Volume d'água elevado compromete a segurança de comunidades locais ( fotos: elizângela santos )
Image-1-Artigo-1844716-1
O risco de cheias no Canal do Rio Grangeiro deixa o município em alerta permanente. O temor maior da população é que as novas chuvas agravem os problemas de infraestrutura , principalmente, na cidade do Crato

Crato. Um rio que se tornou um grande escoadouro de esgoto a céu aberto e passou a ser conhecido como o 'canal do medo' tem sido a grande preocupação em tempos de chuvas no Crato. Semana passada, uma precipitação de 162 milímetros voltou a causar estragos. A ameaça de cheias do Canal do Rio Grangeiro deixa a cidade em alerta constante. Comerciantes de áreas centrais, em 2011, chegaram a amargar prejuízos de até 100% das suas mercadorias e esperam ainda hoje serem ressarcidos de processo contra a administração pública, pelo que consideram negligência.

Em 2012, outra precipitação de 162mm voltou a inundar a cidade e, na madrugada do último dia 23 de abril, mais uma vez uma chuva com o mesmo volume de água, em termos de milímetros, provocou nova cheia do canal. Na ocasião, a incidência arrastou veículos, invadiu casas e estabelecimentos comerciais, além de deixar um rastro de terra e lama nas ruas. Um pesadelo para moradores e trabalhadores que convivem com uma situação que se agrava a cada chuva.

A administração aguarda liberação de verba de R$ 1,2 milhão, por parte do Ministério da Integração Nacional (MIN), para elaboração de projeto específico para resolver o problema.

Saneamento

O poder público aposta em um projeto de saneamento para conter a quantidade de água despejada no local, além da construção de bacias de amortecimento, nas áreas do Grangeiro e Lameiro, para controle da água que chega ao canal e atravessa a cidade, a partir do bairro Pimenta. Da Chapada do Araripe, a água vem como uma avalanche, que desemboca nas ruas em grande velocidade, carregando tudo que tem pela frente.

O secretário da Cidade, José Muniz, afirma que o canal tem sido uma grande preocupação para o Crato há muitos anos. Ele destaca momentos ruins, em que viu parte da cidade praticamente destruída pelas cheias. Uma grande força-tarefa foi mobilizada, inclusive com a Defesa Civil, para conseguir abrigos para as pessoas. No dia 23, ele disse que às 5 horas havia mobilizado trabalhadores e abastecido máquinas para realizar uma limpeza e recuperação da cidade.

Moradores temem novas precipitações

Crato. O saldo da chuva em pleno final de abril último foi de mais estragos para o Cariri, especialmente para o Crato, que tem convivido com o drama das enchentes. Os prejuízos da parte de alguns moradores permanecem sendo contabilizados. O acesso à Escola 18 de maio continua prejudicado. Parte do canal cedeu, abrindo uma enorme área de entulhos e colocando uma residência na iminência de ruir.

A ponte de acesso ao mercado Walter Peixoto ainda se encontra destruída. Comerciantes e moradores voltam a preparar as placas de proteção nas portas dos seus estabelecimentos e a construir paredes.

Tudo isso remete aos momentos traumáticos de 2011, em que ninguém esperava perder praticamente tudo o que tinha. O comerciante Ney Pereira lembrou que obteve prejuízo em seu estabelecimento comercial, que chegou a ser tomado com mais de um metro de água. A parede construída em seu armazém, na semana passada, fecha mais uma das portas. "Foi mais um susto no dia 23 de abril, quando a gente ficou esperando passar a chuva da madrugada e imaginando chegar ao local e ver tudo destruído", disse.

Já o comerciante Antônio Osmar Araújo contou que chegou a perder tudo que tinha em 2011. Não tinha se preparado para o pior. A barreira de alvenaria que tem hoje nas portas do estabelecimento teria minimizado as perdas. Ele aguarda solução do poder público, ao mesmo tempo em que diz perder a fé nos gestores para chegar a uma solução. A moradora Antônia Rodrigues de Alencar afirma que chegou a assistir a torrente que arrastou parte do canal na semana passada. Para ela, ver tanta água com toda a força e velocidade é algo assustador. "Uma destruição de dar medo", afirmou.

Mais informações:

Prefeitura Municipal de Crato
Telefone: (88) 3586-8000
Cogerh
Centro Administrativo do Cambeba
Fortaleza
Telefone: (85) 3218.7020

Elizângela Santos
Colaboradora

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.