Infraestrutura

Encosta do Seminário terá obras inauguradas em julho

Projeto custou R$ 33 milhões e consiste em saneamento e urbanização do mais populoso bairro

00:00 · 28.06.2015
Image-0-Artigo-1880634-1
A primeira etapa da obra estava prevista para ser inaugurada ano passado, mas o governador já anunciou para o próximo mês, quando virá à cidade para realizar a abertura da ExpoCrato ( Foto: Elizângela santos )

Crato. Foi anunciada para o mês de julho a inauguração da obra da Encosta do Seminário, em Crato, uma das mais importantes na área de infraestrutura da cidade. O projeto, de R$ 33 milhões, começou a ser debatido para sua execução há mais de seis anos. Mas a ideia é bem mais antiga, e que já vem de vários administradores, um deles o ex-prefeito e ex-deputado federal Raimundo Bezerra de Farias, já falecido, que dará nome à obra. O anúncio foi feito pelo governador do Estado, Camilo Santana. O projeto, inicialmente orçado em cerca de R$ 19 milhões, com as mudanças que precisaram ser realizadas no projeto, chegou ao valor atual, com financiamento do Banco Mundial e execução da Secretaria das Cidades, em parceria com a administração municipal local.

A primeira etapa da obra estava prevista para ser inaugurada ano passado, mas o governador já anunciou para o próximo mês, quando virá à cidade para realizar a abertura da Exposição Centro Nordestina de Animais e Produtos Derivados do Crato (ExpoCrato). O evento acontece de 12 a 19 de julho.

O projeto da Encosta do Seminário atende a um dos bairros mais populosos do Crato com saneamento, urbanização, construção de praças, iluminação, área de lazer, sinalização, além de retirar moradores de área de risco e levar arborização ao espaço da encosta, no sentido de evitar deslizamentos.

Voçoroca

Várias audiências públicas foram realizadas no intuito de debater a realização da obra. Havia alguns trechos que correspondiam a áreas de risco em situações bastante agravadas na cidade, a exemplo da voçoroca do "vulcão", local que ficou conhecido com esse nome pelo grau de erosão de uma área onde residiam, à beira do enorme buraco, dezenas de famílias do município. A voçoroca vai dar lugar a uma das maiores praças do projeto, com piso intertravado, e área de lazer.

Será estruturado um dos mirantes de onde se tem uma visão panorâmica da cidade do Crato de frente ao prédio histórico do Seminário São José. Haverá uma praça com banheiros, equipamentos de ginástica e serão instalados quiosques, como forma de estimular visitações ao local e o turismo. Para o secretário da Cidade do Crato, José Muniz, este projeto possui uma larga importância para o município, por ser uma das obras mais importantes do ponto de vista da infraestrutura da cidade.

Parte das águas que eram lançadas no Canal do Rio Grangeiro, vindas dos esgotos do bairro Seminário, agora serão despejadas direto numa área de esgotamento e drenagem que está inserida no projeto.

Com isso, serão minimizados os ricos de cheias no canal. De acordo com o secretário, já são cerca de 70% da obra concluídos. A meta é que o processo de construção seja acelerado até a inauguração, pelo menos de parte da obra.

Conforme Muniz, a maior praça será instalada de frente ao Seminário, onde haverá estrutura de acessibilidade, inclusive com banheiros para deficientes. Serão sete mirantes em todas as praças, que ainda vão contar com pista de skate, anfiteatro, além de equipamentos de ginástica. Mas já há a preocupação de moradores que apostam na preservação do espaço. É que a segurança de algumas áreas, que já foram finalizadas, está ameaçada. Há depredação, inclusive de lâmpadas, mesmo sem a conclusão da obra. A dona de casa Anália Rodrigues, residente do bairro, afirma que o local conta com uma excelente área para realizar caminhadas, mas vândalos têm depredado alguns espaços. "Esperamos contar com maior segurança para termos esse projeto sempre preservado para beneficiar os moradores", afirma. Muitas pessoas estão deixando de realizar cooper no finalzinho da noite pela falta de segurança.

Semana passada, foi realizada uma reunião com a Guarda Municipal, polícias militar e civil, Ronda do Quarteirão, com a finalidade de fortalecer a segurança na área e coibir esse tipo de ação. Segundo o secretário, por ser um espaço de vulnerabilidade social, há tráfico de drogas em alguns pontos e a intenção é que esse novo projeto de urbanização também auxilie, com a proposta de novos espaços de lazer, esporte e cultura.

Riscos

Muniz destaca o principal objetivo deste trabalho, que foi conter a encosta para não haver deslizamentos na cidade, retirando moradores de áreas de extremo risco de desabamentos, principalmente durante o período chuvoso. Mais de 100 famílias saíram do espaço de prolongamento da encosta que segue da Ladeira da Integração até a área após o prédio do Seminário São José.

Por ficar na parte mais alta da cidade, uma das metas, durante a administração do então prefeito Raimundo Bezerra, era instalar um elevador. O projeto não chegou a ser realizado, mas o governador não descartou a viabilidade nos próximos anos. A primeira etapa das obras é o trecho que vai da ladeira da Integração até o "vulcão", já soterrada e com cinco paredões de concreto pré-moldados à sua frente.

Os moradores comemoram esse primeiro momento de uma obra, que não acreditavam que saísse do papel, tendo em vista a área de risco onde residiam há muito tempo.

A moradora Ivânia Maria da Silva não esconde a sua alegria de ver crianças jogando bola na área que antes era um enorme buraco, um sumidouro, que no período chuvoso deixava os moradores em pânico. Morar de cara com o vulcão era um temor constante, deixando toda a comunidade em estado de alerta. "Hoje conseguimos ter a recuperação desse espaço", diz.

A rede de esgotos está sendo feita na extensão do bairro Seminário. Em várias ruas os moradores reclamam dos transtornos causados pela obra, a poeira e as máquinas, mas José Muniz afirma que esses problemas seriam inevitáveis para uma obra de grande porte como a da encosta. No domingo passado, foi iniciada a fase de asfaltamento, no bairro, pelo Governo do Estado, com investimentos de cerca de R$ 2,8 milhões.

Elizângela Santos
Colaboradora

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.