Saúde

Diversificação marca academias

O culto à boa forma física tem sido favorecido pela expansão da ginástica em bairros da cidade

00:00 · 22.11.2015 por André Costa - Colaborador
Image-1-Artigo-1972057-1
Equipamentos de ginástica têm se disseminado em Juazeiro do Norte ( Fotos: André Costa )
Image-0-Artigo-1972057-1
As academias ao ar livre se expandem pelo Município. No entanto, os especialistas recomendam que haja acompanhamento de um profissional da área

Juazeiro do Norte. A quantidade de academias de ginástica neste Município saltou consideravelmente nos últimos anos. Nos dez bairros mais populosos da cidade, que concentram uma população de 130.401 habitantes, de acordo com o último senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há pelo menos uma academia regularizada. Segundo dados do Conselho Regional de Educação Física (Cref), são 41 academias registradas em Juazeiro.

Por trás desse fenômeno está a preocupação com um corpo saudável e atlético, que alimenta um mercado em franca ascensão. Além da busca por uma melhor qualidade de vida, o aumento de renda dos brasileiros é apontado, também, como fator preponderante para essa evolução e nova consciência.

O educador físico Neto Tavares, 26, ressalta que "antigamente, a academia era espaço quase exclusivo para homens que queriam ficar com um corpo atlético. No entanto, atualmente, a realidade é outra". Segundo ele, o aumento da expectativa de vida da população brasileira é reflexo deste momento. "Hoje as pessoas estão mais conscientes da importância de saírem do sedentarismo", acrescenta.

Rotina

A aposentada Antonieta Graça Moreira conta que só resolveu praticar atividade física por recomendação médica. Com 63 anos, há quatro sua rotina mudou completamente. Ela revela que as mudanças foram além do físico. "Perdi alguns quilos e estou mais disposta, mas o mais importante nesses anos de atividade é minha autoestima. Estou mais alegre, mais feliz comigo mesma", comemorou.

Para ter permissão de funcionamento, as academias precisam de CNPJ, alvará da Vigilância Sanitária, certificação do Cref, além da obrigatoriedade do acompanhamento de profissionais de Educação Física, credenciados pelo Conselho.

A lei considera infração à legislação sanitária "instalar ou manter em funcionamento institutos de estética, ginástica e fisioterapia sem licença do órgão sanitário competente. Com isso, Juazeiro, como qualquer cidade, não está imune. Contudo, o que conta é a consciência pela boa forma, num equipamento que seja credenciado.

O presidente da Comissão de Orientação e Fiscalização do Cref5, Adriano Marcelo Thomaz, explicou que a Região do Cariri recebe fiscalização de rotina de uma a duas vezes por ano, "podendo receber mais visitas em caso de denúncias".

Durante a fiscalização, observa-se se o local possui alvará de funcionamento e sanitário, CNPJ e se a academia está de acordo com as normas da lei. Marcelo ressalta que todas as academias registradas pelo órgão possuem, pelo menos, um profissional formado.

Academia Popular

Para os adeptos à prática ao ar livre, Juazeiro dispõe de uma boa opção de lazer. A Praça Feijó de Sá, mais conhecida como Praça do Girador, localizada no triângulo Crajubar, intercessão que une as cidades de Barbalha e Crato, atrai centenas de pessoas todos os dias. O espaço conta com equipamentos de ginástica e amplo espaço para caminhada e corrida. Em todo o Município, são 18 academias populares instaladas desde o ano de 2010.

O secretário de Esportes e Juventude, Antônio Ferreira dos Santos, pondera que os locais, "além de possibilitarem a prática de atividades gratuitamente, atuam como equipamentos de socialização entre os praticantes, o que melhora sobremaneira o corpo e a mente".

O engenheiro elétrico Marcelo Hugo Santana é um dos frequentadores assíduos da Praça do Girador. Ele revela as razões pelas quais optou pela atividade ao ar livre. "Vejo inúmeras vantagens e pouquíssimas desvantagens. Academia convencional é chata e monótona. Nunca me acostumei. Aqui, além de me exercitar, converso com amigos e me distraio. A atividade se torna prazerosa". Marcelo frequenta o espaço quatro vezes por semana. Com uma turma de três amigos, ele corre dois quilômetros por dia. "O resultado aparece, a saúde melhora e bolso agradece", brinca o engenheiro.

Cuidados

Apesar dos exercícios serem realizados fora das quatro paredes, o praticante deve ter orientação profissional antes de usar os equipamentos, tal qual nas academias convencionais. A má postura ao executar um exercício, por exemplo, "pode acabar prejudicando muito mais do que beneficiar", conforme pondera Neto Tavares.

"A questão é que os equipamentos estão expostos 24 horas por dia, portanto, muitas pessoas acabam utilizando-os de forma errada", pondera Neto. Segundo o educador físico, uma solução poderia ser o rodízio de instrutores nos horários de maior frequência de pessoas. Atualmente, em nenhuma das 18 academias populares instaladas em Juazeiro possui profissionais para instrução.

O titular da pasta justifica a ausência afirmando que aguarda a liberação da verba do Programa Esporte e Lazer da Cidade (Pelc) Vida Saudável para contratação de instrutores para as dez praças de maior demanda. "No ano retrasado nos inscrevemos no Pelc e fomos contemplados, no entanto, até agora, não obtivemos a liberação dos recursos", explica.

O secretário antecipou que, caso a liberação não saia até o próximo mês, a Prefeitura irá contratar profissionais com recursos próprios. "Até janeiro deveremos ter educadores em, pelo menos, oito praças onde o fluxo de praticantes é maior". Ainda conforme Antônio Ferreira, os monitores atuarão nos horários de pico, das 5h30 às 7h30 e das 16h às 20h.

Desempenho

Entre os anos de 2006 e 2012, o número de academias de ginástica no País mais do que triplicou. Segundo dados da Associação Brasileira de Academias (Acad), a quantidade saltou de 7 mil para 22 mil. Deste total, a maioria está inserida como micro e pequena empresa, conforme levantamento paralelo feito no mesmo período pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

O boom das academias nos últimos anos tem feito com que o País caminhe para assumir a liderança mundial nos negócios voltados para a prática de atividade física. Atualmente, o Brasil só tem menos empresas nesse segmento que os Estados Unidos, país cuja quantidade de empreendimentos é estável.

O número de alunos nas academias brasileiras praticamente dobrou no período, de 3,5 milhões em 2006 para 6,7 milhões em 2012. No ano passado, o Brasil tinha uma proporção per capita de academias de ginástica superior à americana. Nos EUA existia um estabelecimento para cada 10,5 mil americanos, aqui essa proporção era de uma academia para cada 9,1 mil pessoas.

Enquete

Os exercícios físicos mudaram sua vida?

"Entrei há seis meses na academia e, de lá para cá, só tenho notado benefícios no meu dia a dia. Melhorei minha disposição para o trabalho e para as atividades domésticas e perdi seis quilos"

Ana Célia Rodrigues, dona de casa

"Pratico atividade física há anos. No começo entrei visando somente a estética. Mas, com o passar dos anos, percebi que a academia trazia benefícios para minha vida. Hoje, malho porque gosto"

Edival Bezerra, professor de dança

 

Mais informações:

Conselho Regional de Educação Física (Cref)

Fortaleza: (85) 3234-6038

Secretaria de Esporte e Juventude

Juazeiro do Norte

Telefone: (88) 3571-3244

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.