Curso de Medicina

Crato quer mais mobilização para implantar faculdade

Município foi pré-selecionado para abrigar instituição, mas há desafios para se adequar às exigências

00:00 · 11.01.2015
Image-0-Artigo-1775366-1
Município tem que cumprir exigência para receber curso de Medicina. A inadequação dos itens requisitados poderá ocasionar que a cidade seja preterida no esperado sonho de também formar profissionais médicos ( Foto: Mirelly Morais )

Crato. Após receber autorização dos ministérios da Saúde e da Educação para abrigar uma nova faculdade particular de Medicina, o município de Crato tem se esforçado, nos últimos meses, para atender às exigências do Governo Federal. Desmentindo informações divulgadas no fim do ano passado, de que a cidade teria sido excluída da lista de pré-selecionados para a implantação do curso, o prefeito Ronaldo Gomes de Mattos (PMDB) afirmou, nesta semana, que a gestão continua trabalhando para trazer a instituição.

Em nota divulgada à imprensa, Gomes disse que espera contar com apoio político para o avanço do projeto. "Os desafios ainda são muitos. Precisamos de união, de ajuda política em Fortaleza e Brasília", destacou. O prefeito também convocou os políticos votados no município para fortalecerem a luta. "Todos aqueles que são votados no Crato têm obrigação moral de apoiar esse projeto e esse município", cobrou o prefeito.

No último dia 30 de dezembro, em entrevista a uma rádio local, o deputado federal Arnon Bezerra (PTB) alegou que Crato estava fora da disputa pela faculdade, tendo por base um relatório divulgado pelo Ministério da Educação no Diário Oficial da União, em que o município não aparece entre os contemplados. A gestão nega a informação.

Vistorias

Crato foi habilitado em 2013 para participar de uma pré-seleção que escolherá cidades em todo o Brasil para receber novos cursos de medicina que serão liberados pelo Governo Federal. Técnicos dos ministérios da Educação e da Saúde visitaram o Município no segundo semestre do ano passado com o objetivo de realizar vistorias. Foram levados em consideração critérios como necessidade social do curso para a localidade, estrutura da rede pública de saúde e a capacidade que se teria para se realizar o programa de residência médica na região.

Após essa análise o Crato está entre as cidades que receberam um prazo de seis meses para fazer adequações e atender aos padrões do Ministério. Uma das dificuldades encontradas pelo Município é o número de leitos hospitalares demandados. Enquanto o Governo exige 242 vagas, Crato só tem à disposição cerca de 140.

O deputado federal José Nobre Guimarães (PT) declarou apoio à causa e disse que o município pode ter sido prejudicado no processo de vistorias, o qual, segundo ele, foi incompleto. Porém, o deputado afirma que Crato ainda tem tempo para atender ao prazo da chamada pública, que deve ocorrer no dia 23 deste mês. Guimarães promete conversar com os ministros para assegurar que a cidade não perca a chance de conquistar o tão esperado curso de Medicina.

Além do Crato, os municípios visitados pela Comissão de especialistas dos ministérios e que precisam se adequar são Bacabal (MA), Ananindeua (PA), Itaboraí (RJ), Assis (SP), Indaiatuba (SP) e Pindamonhangaba (SP). Após as mudanças, eles devem ser incluídos definitivamente na lista.

A mobilização política que tanto o deputado Arnon quanto o deputado José Guimarães têm declarado se disponibilizarem para encabeçar pode ser facilitada agora tendo em vista que o atual ministro da Educação é o ex-governador do Estado, Cid Gomes.

Cursos

Outras 205 cidades que se habilitaram para receber faculdades de Medicina também foram vistoriadas. Destas, apenas 39 chegaram a ser pré-selecionadas, tendo atendido os pré-requisitos de infraestrutura, importância da cidade em relação aos municípios vizinhos e condições de receber novos alunos. De acordo com o Governo Federal, o processo total para definição deve ser finalizado até 2017.

As Faculdades de Medicina que serão liberadas fazem parte do Programa Mais Médicos como estratégia de expansão da formação de profissionais no País. As cidades, com 70 mil habitantes ou mais e que não tinham curso superior para graduação médica estão distribuídas em 11 Estados.

Mais informações:

Prefeitura Municipal do Crato
Endereço: Rua Doutor Elíseo Figueiredo, 155, Gizélia Pinheiro
Telefone: (88) 3521-9600

Mirelly Morais
Colaboradora

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.